domingo, 31 de maio de 2015

Digam-me que óculos usam

Porque preciso de uns iguais.

Para uns sou um Doce, para outros sou um Coração Puro.

Poças, até fico envergonhada! E os defeitos? São invisíveis?

segunda-feira, 25 de maio de 2015

Amoroso

Ontem tirei a tarde para tratar de um móvel velhinho. Já era velhinho quando o trouxe cá para casa.
Assentei arraiais no chão, o meu traseiro incluído.
Tirei-lhe o pó e quando me preparava para passar a lixa, vejo uns riscos que pareciam letras num dos lados, imperceptíveis quando estamos de pé. Ajeito-me tentando encontrar a posição em que os riscos fizessem sentido e ...

                                 Paulo
                                    +
                                Nazaré

Escusado será dizer que o móvel ficou como estava. Tratei-o somente com óleo de cedro.

Era lá capaz de apagar uma declaração de amor?

quarta-feira, 20 de maio de 2015

É grande a coceira

Coço o queixo. Coço atrás da orelha. Coço o pescoço. Mordisco o lábio. Coço a cabeça.
Cruzo os braços, encosto-me à cabeceira da cama e fico a olhar para o monitor.

Esta terra é tão pequena!

sábado, 16 de maio de 2015

"Padeira de Aljubarrota" de Maria João Lopo de Carvalho

Esteve dois anos à espera que me passasse o feeling que não seria boa leitura.
Li-o em Janeiro. E não é que o raio do feeling estava certo?
Partes muito cativantes, outras sofridas, assim que meio a encher chouriços.
Comentei na altura com o meu marido que o livro não parecia ter sido todo escrito pela mesma pessoa...
Foi uma decepção.

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Esquisitices não se discutem

Gosto de molas da roupa.
Gosto de estendais de roupa. Daqueles grandes que dão para pendurar os lençóis somente dobrados ao meio.
Mas só gosto de ver "cordas de roupa" no campo ou nas zonas mais antigas de uma cidade.
Ver um estendal ou roupa ao sol, num edifício moderno, é um verdadeiro atentado.
Um atentado ao significado que para mim tem uma "corda de roupa" ao sol.


quinta-feira, 14 de maio de 2015

Carinha laroca

As pessoas que me dizem que estou bem com este peso, só mostram que não me ligam patavina.
Porque se importassem comigo, sabiam à partida como estes sessenta quilos são prejudiciais para a minha saúde.
Aos "de fora" ainda tolero mas aos "de casa"... não me lixem o juízo, está bem?

quarta-feira, 13 de maio de 2015

Uma pessoa às vezes perde por não ficar calada.
E eu já aprendi que não vale a pena investir contra moinhos de vento, se esses moinhos de vento não forem meus.

terça-feira, 12 de maio de 2015

Ando meio que a fugir da balança

Fugir não fujo mas também não passo por onde ela está...
Mas não me parece que esteja abaixo dos sessenta.
Aiiiiiiiiii!

segunda-feira, 11 de maio de 2015

domingo, 10 de maio de 2015

Isto de fazer uma sandes com o toucinho, o tutano e a chouriça do cozido à portuguesa, não foi grande ideia. Sabe muito bem mas agora...

Gordura. Gordura. Gordura a mais!

quarta-feira, 6 de maio de 2015

Um desabafo ou como preferia fazer reset

Já na cama, peguei no diário. Olhei para a página em branco e nem um movimento de mão para iniciar o registo do dia que estava a terminar.

Não consegui escrever nada. Tem acontecimentos que precisam de distância.

Se de início consegui assimilar um acidente que resultou na perda de um animal da família, muito mais difícil foi lidar com o que senti quando uma pessoa que assistiu, me relatou tudo. Com todos os detalhes. Fiquei muito impressionada.

Sei que era vital para essa pessoa partilhar. Se para mim o que ouvi esta tarde me tirou o sono, imagino como está quem presenciou!

Por muito que sejamos racionais e tenhamos consciência que não somos omnipresentes, que por muito que cuidemos e protegemos os acidentes acontecem, custa horrores ver um animal partir.

Mas a vida consegue ser de uma ironia... partiu um mas nasceram quatro lindos bebés. Não vão conhecer o pai mas vão ser um testemunho da vida dele.


Assumo


- Sou doida por papas!

Cerelac, abacate com mel e canela, banana com bolacha maria.

No outro dia, nem as sobras da papa do sobrinho piquinino escaparam! Acho que alguém tentou avisar-me que aquilo tinha sido feito com leite de fórmula mas já não foi a tempo...

terça-feira, 5 de maio de 2015

Com a boca toda lixada

Saio do trabalho, passo ali no supermercado e negra de fome, compro um pão com chouriço.
Costumam ser muito bons mas aquele, ainda não ia a meio e já sentia o céu da boca todo dorido e irritado. Pão muito cozido. Joguei o que restava para cima do tablier e alguém me perguntou se a intenção era partir o carro!

Chego a casa da mãe, ainda negra de fome e vejo uma cesta com abacates. Procuro um já maduro. A mãe agarra nele e fez uma papa com um tiquinho de mel e canela.

Agarro na taça e como. Três ou quatro colheradas quase sem respirar. Já disse que estava negra de fome? E todo o interior da boca começou a arder. Maravilha!

Passadas quase doze horas, estou que não me aguento.

segunda-feira, 4 de maio de 2015

Está difícil de digerir

Soube há pouco que a política de algumas instituições (refiro-me neste caso a creches/infantários) de averiguar/denunciar possíveis situações de maus tratos, negligência e violência é... inexistente.

Um dos argumentos que mais gostei foi: "Os pais parecem boas pessoas, alguma vez isso é possível?"

Só digo uma coisa: Tenho Medo da sociedade em que vivemos.

Senhores doutores praqui, senhores doutores prali e só vêem o dinheiro à frente do nariz!



sexta-feira, 1 de maio de 2015

E ao primeiro de Maio, eis que...

Habemus mousse de limão!

Podia tê-la feito eu, pois que podia mas não seria a mesma coisa.
Já fiz a mousse de chocolate e amanhã de manhã despachamos a torta de laranja!

É feriado. É a desgraça total... só é pena não ir comer os caracóis ali para o meio do mato!