sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Só falta dizerem-me na cara: "Não tens filhos, como te atreves a mandar postas de pescada?"

Já faltou mais.

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

A moda do Gin

Vire-se uma pessoa para onde se virar, parece que só se bebe gin. A maneira como se serve o gin mudou, para melhor, muito melhor e os olhos também bebem.
Não aprecio. Não gosto. Melhor dizendo, nunca gostei.

Sou pessoa de whisky.
Aprecio. Gosto. Melhor dizendo, longe vai o tempo em que era consumidora assídua. Efeito de a cara-metade não gostar de álcool! Perde-se o hábito.

Mudam os tempos, mudam as pessoas, mudam as bebidas.

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

A falta de Consistência

Dizem na televisão que as temperaturas vão baixar novamente no Algarve.

Dão-nos o doce e mal o metemos na boca, correm a tirá-lo.
É qualquer coisa deste género. Confuso? 

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Disparidade

Sabes que estás no sítio onde judas perdeu as botas quando entras no único Café do sítio para comprar pastilhas e descobres que só têm Gorilas.

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Quem disse que ser queixinhas é feio?

As temperaturas estão a subir.
Hoje esteve um dia Upa, Upa! Calorzinho do bom! E parece que amanhã vai estar igual!
E tenho aqui um cão que esta tarde gania ao irmos para a praia... só porque via o mar ao longe e não havia maneira de pararmos para ele sair e enfiar-se na água!

Como é que é? Amanhã... praia? :)

Modernices que dispenso

Irritam-me as uvas sem grainhas.
E as melancias sem pevides.

A prova de que isto está muito mau por aqui?

Estou a comer o último cacho de uvas.
E apetece-me chorar por ser o último.

Como me convenço que daqui a quatro horas posso ir comprar mais uvas? Que não há razões para chorar? Que não é o fim do mundo? Argh.

Drama. Tanto drama.


TPM, minha grande f**** d* p***!

Eu, alapada no sofá, a afagar a minha gata bipolar.
Ele, na cozinha, a preparar camarões para grelhar.

Eu: - Estou tão deprimida que se ver um cão a ca***, desato a chorar...
Ele: - Tu acabaste de dizer o que me pareceu ter ouvido?

Depois de dois meses seguidos sem sinais de tpm, este mês tenho tido direito a tudo e mais alguma coisa, em doses maciças.
E por muito que se tente ignorar, por muito que se seja realista, a tristeza hoje consome-me.

- Recuso-me a chorar, pá! Hormonas desgraçadas, vão lá dar cabo do juízo a outra!

domingo, 24 de agosto de 2014

Como começar bem o dia? (a ver se esqueço a cena da praia)

Lavar um generoso cacho de uvas docinhas.
Barrar uma grande fatia de pão mole com margarina.
E comer, comer, comer.
Sabe-me pela vida! Tão bom! E sacia por horas e horas!

Acho mesmo que é costume da gente da terra! Pão com fruta!

Pão com figos.
Pão com laranja.
Pão com uvas... saudades deste lanche à sombra de uma alfarrobeira, enquanto se fazia a vindima! As uvas até tinham outro gosto!
Pão com banana. (mais outra perdição!)

Ah! Felizmente, os espasmos na pálpebra já pararam!
Foram quase três dias muitaaaaaaaaa compridos!

Desejo

Ou a falta dele... é que só  pode ser!
Este Verão não apetece fazer praia.
Continuamos a levar o Sasha  para as banhocas dele mas nós, népia! Este ano ainda não assentei o traseiro na minha praia.
Parece sacrilégio mas é a maior das verdades. Este ano não apetece.
Culpa das baixas temperaturas? Que para mim são baixas... 27º, 28º, 29º...
Por culpa da temperatura da água que está muito mais fria do que é normal? Friorenta como sou, mal molho os pés tenho aquela sensação de ossos a partir... (argh! Como é infeliz esta expressão agora que sei o que são ossos partidos!) e entro logo em hipotermia!

E o mais triste, é que posso contar pelos dedos de uma mão (e nem preciso deles todos) as vezes que dormi sem cobertor, desde o ínicio de Junho...

Porcaria de tempo! Até me falta o alento.

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Espasmo muscular... tique... ou raio... que nome se dá a isto?

Há dois dias que me treme a pálpebra inferior do olho esquerdo. Coisa nova para mim.

A minha irmã diz que é stress, eu só espero não ter para aí nenhuma convulsão por falta de descanso! O sono continua a ser irregular e insuficiente. Não é normal nem saudável, que numa noite se durma somente duas horas e meia e que só se consiga voltar a adormecer mais de vinte e quatro horas depois.

domingo, 17 de agosto de 2014

Defeito


Confesso que às vezes me falta humildade.
Não faço por mal e quem me conhece bem, nem liga. Mas quem me ouvir, sem me conhecer, fica com uma péssima imagem de mim. Devo dar a parecer que sou mais que os outros.
Sou assim. Bem que me esforço mas no que toca a educação e a respeito em déficit, sou muito, MUITO intolerante.

Hoje foi um dia complicado.

Aqui há tempos fomos convidados para um casamento. Apenas um dos noivos era conhecido de um de nós. Pessoa 5 estrelas. Aceitámos o convite.
Sabiamos que o casamento seria uma cerimónia simples mas só para ter noção do tipo de roupa a usar, fui ao facebook da pessoa conhecida. E a partir dela percorri família e amigos.
Percebi logo que estava metida em trabalhos.

Primeiro: faz-me muita confusão quando as pessoas postam qualquer coisa. Sem filtro. E privacidade nem vê-la. Perfis abertos.

Segundo: erro letra sim, letra não. Já para não falar nos palavrões a cada três palavras. Pontuação, então... deve ser bicho desconhecido para muita gente.
Mas esta gente andou (ou anda) a fazer o quê na escola?

Paniquei. Avisei logo o marido que a coisa ia ser complicada. Ele pediu-me tolerância. Custa assim tanto?

Chegou o dia.
Eu bem que me esforcei. Juro. Mas ao fim de meia hora, já ria de desespero. Ao fim de uma hora já ferrava as unhas na perna do marido, ao mesmo tempo que mandava uma rosnadela abafada a um sujeito que na igreja e durante a cerimónia, resolveu começar a falar como se estivesse no café. Ao fim de hora e meia já trocava mensagens de "Acode-me que já não consigo disfarçar" com a mana. E ao fim de umas duas horas, já a minha sogra se ria à gargalhada quando lhe telefonei para desabafar.

Parece ter piada? Não tem.
Educação, minha gente! Onde ficou ela?
Vidas muito modestas e de muito trabalho, não significam gente mal educada e mal formada!

Quem são os pais que acham normal, as filhas vestirem-se, calçarem-se e maquilharem-se como prostitutas adolescentes? Pois, se os pais não dão o exemplo... 
Não exagero quando digo que, em determinada altura, pensei estar numa casa de alterne em vez de numa simpática igrejinha.

Soutiens, cintas, cuecas, tangas. Preto. Brancos. Fúcsias. Dourados. Plásticos. Folhos. Na maioria das novas e também em muitas mulheres mais que maduras. Tudo ali à vista, nos vestidinhos acetinados ou de lycra, dos amigos chineses. Seios enormes, espartilhados, a gritarem por liberdade, a ponto de quase rebentarem os trapinhos.

E a linguagem? Ai, mãezinha! Deve ser por causa de tanto piercing na língua. E nos narizes. Também devem ter uns tantos no cérebro. Ali, há qualquer coisa que não funciona correctamente.

Já para não falar dos telefones a tocarem em plena cerimónia. E o pessoal a atender... e a falar alto pois não se pode desperdiçar tempo precioso.

Muita paciência teve aquele padre. Uma jóia de homem que soube levar a água ao seu moinho. Reconheço-lhe o mérito. A tolerância e a sapiência.

Há que relevar mas para mim é muito díficil. Gostava de ser uma "paz de alma" como o meu marido... mas não sou. Não sou mais que os outros mas não consigo aceitar pessoas assim.  Bem que me esforcei por ignorar, afinal estava ali por quem nos convidou e o resto são cantigas.

No final, nem tudo foi negativo. Conheci gente boa. Gente muito simples mas educada.
E estivemos com uma bebé linda e fofa, fofa, fofa que compensou o resto. Coisinha mais boa!

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Agora é que o caldo entornou

Posso comparar as minhas insónias às dores de barriga provocadas por algo que comemos e sabemos de antemão que nos faz mal. As minhas insónias são deste tipo. Chamo-lhes insónias comportamentais.

- Alminhas, tu que és dessa coisa das psicologias, logo me dizes se existe algo deste género!

Sei qual o risco que não devo pisar de maneira a evitá-las mas não adianta... porque vai daí, dou ao sapato, piso o risco e... Insónias.

Por três dias seguidos tive de fazer pequenas sestas... pequenas, é como quem diz... duas horas e meia.
Tempo esse que somado às duas horas que durmo durante a noite (manhã), dá o bonito número de quatro horas e meia de sono mal aviado por dia!

E eu que adoro dormir, que preciso de nove a dez horas bem dormidas para funcionar... Ando rota, os níveis de concentração andam em mínimos históricos, é um calvário.

Quem me manda ter mais energia à noite? Arre, burra!

E agora, como viro o bico ao prego?

terça-feira, 12 de agosto de 2014

Tavira

Andava a organizar umas pastas de fotos no computador quando dou de caras com umas de Tavira, tiradas em Abril, num lindo dia de Primavera que mais parecia de Verão.

Das cidades algarvias, digo sem qualquer hesitação, que é das mais bonitas.
Mas eu sou suspeita pois gosto mais do sotavento do que do barlavento. O primeiro é muito mais calmo, mais convidativo ao descanso.
Amo de paixão a zona rural de Tavira, adoro a pacatez da cidade e para mim só tem um senão: para ir à praia tem de se passar de barco e eu não gosto de estar dependente de barcos mas A ilha de Tavira é uma delícia e isso ninguém questiona.
Apesar de alguns mamarrachos que se encontram,  fruto do chamado "desenvolvimento", Tavira ainda é um lugar onde, digo sem pensar muito, que não me importava de lá viver. Adoro a luz que o rio reflecte, adoro os telhados dos casarios antigos. Amo os pomares, as vinhas, as mil e uma igrejas, as pessoas.


 






sábado, 9 de agosto de 2014

Pequenos Prazeres

Fazer uma sesta, numa tarde quente. Delicioso!

E à noite, finalmente que já era tempo, dormir de rabinho ao léu... sem cobertores e sem lençol. Ah, calorzinho bom!

O seu a seu dono e como não te rias do mal do teu vizinho que o teu vem a caminho...

O almoço foi óptimo e correu sobre rodas, graças à minha mãe, à sogra e à mana! Cinco estrelas!

E eu, no futuro, tenho de me lembrar que não devo brincar com os amoques dos outros! lol Também sou menina de quebras tensão! Uma florzinha de estufa que quebra quando lhe interrompem o sono!

Parto difícil

Aqui está uma palavra que detesto. Parto. Mas que no contexto em que a aplico, é a melhor para descrever a situação.
Ter que organizar um almoço festivo e ninguém se acertar quanto ao cardápio.

Primeiro, temos logo o problema de ser um almoço e não um jantar. A preparação de um almoço é sempre mais cansativo.

Segundo: não nos podemos alargar com as entradas porque a fome ainda não é muita. Quer isto dizer que para entradas nos resumimos a pataniscas, a salada de cenoura cozida, ao paté de atum caseiro, às amêijoas e ostras abertas na hora de ir pra mesa. (Só de me lembrar do cheiro das ostras já sinto náuseas! Detesto.)

Terceiro: prato principal, só podia ser o bom do bacalhau assado, em posta, na brasa e posteriormente desfiado, indo para a mesa já temperado com alho, muita salsa picada e azeite caseiro. Acompanhado por batata cozida e salada de alface ou de pimentos assados na brasa.
Este bacalhau foi motivo de birra. Eu bem que sugeria uma boa de uma cataplana mas não consegui demover o anfitrião.

Quarto: e para sobremesa? Querem lá ver que não havia maneira de "a pessoa" se decidir? Ficamos pela mousse de chocolate, por um doce que a sogrinha faz e que é delicioso e por um semi-frio de morango? É o que parece.

Agora isto tudo implica madrugar. E para quem anda outra vez numa de insónias, não é nada boa ideia!
Não vai haver maquilhagem que me salve.

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Até tenho medo de perguntar...

Depois de dois dias de calor delicioso, aquele calor que eu adoro (mas que ao marido dá quebras de tensão, rapaz sensível...) e que me faz querer hibernar na praia, coisa que este Verão ainda não tinha acontecido... a sério... até tenho medo de perguntar:

- Verão? Amor meu, agora é a sério? Posso tirar o cobertorzinho da cama? Posso dar uso ao biquini e ao protector solar?

terça-feira, 5 de agosto de 2014

A deitar fumo pelas ventas

Ir à loja comprar dois novelos de lã para acabar a mantinha e vir de lá com um número de telefone para ligar daqui a uma semana, não era bem o que esperava. Tudo porque a fábrica da Rosários 4 está de férias e não entregou o que tinha sido encomendado.
Se é a verdade ou se é desculpa, nem quero saber. 

Esta manta está enguiçada. Só pode!

Faça-se luz

E toca de ir comprar um candeeiro de tecto para a cozinha!

Durante o dilúvio tememos um curto circuito. Tal nunca aconteceu. A fuga foi detectada e vai que, quando só aguardamos que as paredes sequem em condições para poderem ser arranjadas e pintadas, dá o berro o candeeiro!

Sem gemido, sem queixume algum, apagou-se o desgraçado.

Crianças obesas e adultos anoréticos (ou bulímicos, sabe-se lá!)

Não sei onde os pais têm a cabeça mas cada vez mais, olho à minha volta e vejo crianças obesas. Até mete dó! Pequenos e pequenas, a rebentarem pelas costuras e com dificuldades para se mexerem.
Mas também o que não falta são mulheres de pele e osso! Pele e osso. E gostam. E gabam-se. E passeiam os ossos dentro de roupas diminutas, como se fossem um troféu!

A cegueira mental é tramada.


segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Pronta a rifar o marido

O aniversário de casamento está próximo. Aqui há uns dias procurava passagens aéreas para S. Miguel nos Açores e como as datas que pretendia estavam disponiveis, resolvi abrir o jogo pró marido:
- Amorzinho?
- Hum? (nem levantou os olhos do computador!)
- Que me dizes a cinco dias nos Açores?
- E o Sasha?
(bolas!)