quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

2016

Um novo ano está à porta. Aquela cena de fazer uma lista com objectivos a atingir nunca me convenceu. Acredito que tudo tem um tempo para acontecer. Podemos dar uma empurrãozinho mas o que tem de vir, a nós virá mais cedo ou mais tarde!

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Macaco de imitação

Em conversa com o sobrinho mais velho:
- Amorzinho, gosto muito de ti!
Resposta pronta:
- Chaaaata!

Em conversa com o marido:
- Amorzinho, amo-te muito!
Resposta pronta:
- Chaaata!

O autor da resposta é o sobrinho. Dá esta resposta por gozo há alguns anos. O marido imita-o!

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

4h29m

Ele sai com o Sasha para dar a voltinha do xixi.
De repente cai um pé de água.
Estão a chegar.
Já tenho o secador de cabelo à espera deles!

Madura? Eu?

Nas duas perfumarias onde comprei presentes para o Natal... hum, como hei-de dizer isto???               - Deram-me nas duas, amostras de cremes (de marcas diferentes!) para pele madura!

Pele MADURA, eu? Nem uma ruga nesta trombinha! Vão pastar palha, vão!

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Acerca da adopção de crianças por casais homossexuais

O muito dar dói e já estou pelos cabelos com os homofóbicos.
Tenho-os por todo o lado. Desde familiares a amigos/conhecidos.
E por causa da aprovação de hoje, é lindo (not) de se ler o mural do meu facebook.
Desde "gente retrograda e mal formada, moral e espiritualmente", a "crianças têm o direito a pai e mãe e não dois andróides" ou "isto é abusar de crianças que nem escolha têm"... é vê-los a encanitarem-se.

Do que é que eu gostava neste momento?
- Gostava de ter a capacidade de agarrar nesta gente para quem tudo é preto no branco e torná-los gays durante tempo indeterminado. Oh, se gostava!

Mas é bom que não se coíbam de falar. É bom saber a cor da casaca de certa gente.

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Poderia ser sinal de futilidade... se eu fosse uma pessoa fútil...

...mas como não sou, torna-se difícil explicar o tamanho prazer que senti ao ir duas vezes a um determinado restaurante, no espaço de duas semanas. Não seria nada de estranho se para tal não tivesse que viajar cerca de seiscentos quilómetros...

Deve ser da idade...


quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Racismo?

Desde que há umas semanas começou a mais recente novela política, descobri que o Sr. António Costa tem novos nomes... "Preto" e "Monhé"!
As pessoas sempre a surpreenderem pela negativa!

Cá para mim é só mais um invertebrado mas como sou pessoa que não tem fé alguma na classe política, a minha opinião vale o que vale!

Ouvidos de mercador

Disse-lhe que preciso de mudar.
Olhou-me de esguelha e clarifiquei que são coisas pequeninas. 
Pequeninas mas muito importantes para mim. Não lhe disse isto, fiz mal, eu sei!
Acho que nem ligou porque não mostrou interesse em que especificasse.
Tenho de aprender a escolher as palavras certas. Se fizer um dramalhão pode ser que me ouça!

Homens!

terça-feira, 10 de novembro de 2015

As saudades que eu tenho...

De quando comia e bebia tudo e mais alguma coisa e o raio do estômago nem piava.

Deve ser da idade pois que só pode. Parece que em passando os quarenta ficamos mais blalhcquinhas.

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Jerónimo de Sousa

Será que não há ninguém que diga ao Sr. Jerónimo de Sousa que já é altura de pôr de lado aqueles casacos larguíssimos que usa? Casacos que foram adquiridos, provavelmente quando o senhor era bem mais robusto?
Com todo o respeito... quererão mesmo passar a imagem de debilidade física que estão a passar?
Só espero que a perda de peso seja unicamente sinal de envelhecimento e nada mais.

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Às pessoas que mudam... para pior.

- Tu que eras uma pessoa porreirinha e que de há uns anos para cá optaste por ser uma besta quadrada e até hoje não percebes que te tornaste uma pessoa amarga, desagradável e ressabiada...

- Vai de retro e quanto menos me apareceres à frente, melhor!

Pena que só possa dizer isto aqui. Bom mesmo, era dizer-to na cara! Mas valores mais altos se levantam...

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Esta foi a noite em que fui para um quase descampado, pôr-me ao relento durante umas duas horas, para ver o eclipse que só se repetirá em 2033

Ele cansou-se de olhar para o céu e adormeceu.
Eu perdi a conta ao número de estrelas cadentes que vi.
Ele continuou a dormir.
Eu enamorei-me pela lua.
Ele acordou quando três galos acordaram e de locais diferentes cacarejaram à desgarrada durante uns bons minutos.
Eu... bem, estou com uma dor no pescoço que não me aguento!

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Pensamentos impróprios para uma mulher casada...

... e como às vezes me foge o pé para o chinelo!

Para me  distrair de uma insónia chata, abro o Youtube e começo a ver vídeos de músicas. Escolho uma música que nunca vi mais do os primeiros 60 segundos do vídeo e deixo correr. E foi ali, ao minuto 2:14 que pumba! Seis segundos de imagem foram os suficientes para sentir o sangue borbulhar nos lábios! Literalmente. E repeti, repeti, repeti n vezes! Os olhos viam mas o cérebro não estava a conseguir processar!
O homem não é um Gerard Butler, o homem não é o meu tipo mas o homem tem uma particularidade que me deixou a babar! E a particularidade não tem nada de ordinário... já os pensamentos suscitados pela particularidade...

Se contei ao marido? Claro!

sábado, 22 de agosto de 2015

Os Gelados de Querença...

Amêndoa e Figo. Bocadinhos de figo... uma perdição!




Aqui há dias deixaram-me um comentário sobre os geladinhos de Querença. No ano passado quando lá fomos vimos tudo fechado. Pensámos que a dona teria fechado portas.

Por causa do comentário e porque ontem tínhamos umas horas livres, fomos a Querença, mais precisamente ao Pombal. Não tem que enganar. Perguntem lá no café ao pé da alfarrobeira que alguém há-de indicar o caminho.
Quase que babei quando vi as portas abertas! Desta vez trouxe um contacto, assim quando me der a gula já lá não vou em vão!

Sabores: Chocolate e Coco  

sexta-feira, 24 de julho de 2015

...

Estou esgotada, sem estar.
Estou cansada das pessoas, sem estar.
Estou cansada de gente viperina, estou cansada de gente insensível, estou cansada de gente que não sabe estar, estou cansada de gente que apesar da boa educação ao falarem só lhes sai palavrões e que gritam a todo o instante, estou cansada de gente que só olha para o seu umbigo.
Pergunto-me se estou a fazer tudo bem. Mais uma vez a pergunta de que género é o sangue que me corre nas veias! Perguntam-me se não me revolto. Preciso revoltar-me? Acredito que a solução vai passar por afastamento, um corte de relações. Não me vou agastar. Cada um vive com a sua consciência.
Pergunto-me se vale a pena tanta dor de cabeça, tantas pegas de caras. Valerá a pena?

Preciso... nem sei do que preciso.

Olhando à minha volta, precisava que as pessoas que me rodeiam estivessem mais lúcidas.


Mais conscientes da realidade, mais controladoras das suas vidas e que tivessem respeito pelas vidas dos outros. Acima de tudo, o respeito pelo outro!

Queria ver menos ganância, menos miséria emocional.

Estou tão mas tão cansada.

Valerá a pena?

quarta-feira, 22 de julho de 2015

Ou não estivessemos em Portugal

A burocracia existente entre departamentos da segurança social é de fazer nascer o cabelo a um careca!

Sim, entre departamentos!

segunda-feira, 20 de julho de 2015

E atingida a maioridade

Prepara-te para outros tantos, Amor meu!

Daqui a dezoito anos digo-te tudo outra vez!

P.S. Para logo à noite, basta-me sapateira e Alvarinho bem gelado. Em casa, amori! Em casa!

sábado, 4 de julho de 2015

Viver um faz de conta

Não sou mais do que os outros. Defeitos tenho-os aos montes e não os disfarço. Posso tentar corrigir os piores mas também assumo que pelo menos uma das qualidades de que me orgulhava, já não existe graças a algumas rasteiras da vida.

Quando vejo alguém que sei ser uma grande vaquinha comportar-se como uma santinha na prática da sua nova religião, sinto uma agonia garganta acima. Um aperto no peito. 

Tristeza.

Alguém que observado com algum cuidado se revela tóxico, o verdadeiro cão que morde a mão a quem a estende cegamente por confiar plenamente... na prática da sua nova religião é só boa energia, é só gratidão pelos ensinamentos e coragem que lhe transmitem, é só bênçãos e milagres....

Mas as pessoas também mudam... será que foi isso que aconteceu? Se só agora me cruzasse com ela, será que lhe via a maldade, o sarcasmo, a soberba, o escárnio que vi há uns anos? Será que a doença lhe abriu os olhos?

Será que mudou ou é tudo um faz de conta? 

sexta-feira, 3 de julho de 2015

A percepção que se tem da realidade é muito limitada

Acabei de escrever um post.
Quando o reli acrescentei um adjectivo numa frase. Esse adjectivo dá mais peso ao que quero dizer.
Actualizei. Pré-visualizei. O adjectivo não aparece no texto.
Num lado existe. No outro não.
Apaguei a frase, escrevi de novo.
Pré-visualizei.
Continua a não aparecer.

Estou parva com isto. Nunca aconteceu.
Significa o quê? Que não devo publicar o post?

Agendei-o. Logo vemos se o adjectivo continua oculto...

Vai caroço, vai pevide, vai grainha. Vai tudo!

Azeitonas, uvas, cerejas e melancias.
Como tudo. Não me faz qualquer diferença.

Mas com a quantidade de melancia que tenho comido ultimamente, temo que me nasça uma na barriga tal é a quantidade de pevides que ingeri.

quinta-feira, 2 de julho de 2015

A melhor marca de ar condicionado

Não preciso procurar muito.
Já tenho um.
Marca: TPM.

Temperatura ambiente 30 graus e como estou eu? Tapada até às orelhas!

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Tal e qual

Até o Sasha sabe que o dono quando anda em déficit de noites bem dormidas, fica insuportável como uma criança.

Só que o Sasha tem muita paciência para o aturar, enquanto eu...

terça-feira, 30 de junho de 2015

O que a situação da Grécia me faz lembrar

Lembrei-me de quando a professora de português do 5.º ano pediu para fazer um trabalho sobre contos tradicionais portugueses. Adorei. Deu-me um prazer enorme fazê-lo.
Trinta anos depois, ainda me lembro de alguns contos. Há um em particular que a parte final me faz rir a bom rir. Disparate, eu sei porque não é nada de especial mas com isto da Grécia, nem digo as vezes que determinado excerto me vem à cabeça.

É algo do género:

              Fui cagar ao cemitério
              Mesmo por cima de um penedo
              Levantou-se de lá um morto e disse:
              - Tens um cu que mete medo!

E não faço comentários.

Até fiquei atordoada

"- Amorzinho, quarta queres ir à praia connosco?"
"- Quarta, tia? Quarta tenho uma reunião!" - disse ele, todo importante.

O puto tem sete anos, querem lá ver... Começa cedo!
E só vai à escola receber as notas!

Amor meu II

Ontem passou a última hora antes de irmos dormir, a torrar-me o juízo.
"- E pró jantar de amanhã, o que te apetece?"

Perdi a conta às vezes que disse estar sem ideias.

De repente, saio-me com um creme de cenoura e uns camarões fritos em cerveja e mostarda.

- "Para desenjoar dos últimos dias!"

"- É que amanhã há jogo na televisão..." - lembrou(-me) ele.

Suspiro.
"- Vá! Bifanas no pão, pode ser?"

"- Pão ou papo-seco?"

A sério? Chiça!

Amor meu

Sento-me na cama e deito-me de imediato. Marido entra no quarto e digo-lhe:
- Estou a andar...
- Estás? - pergunta ele irónico.
- ... à roda. - termino.

E o desgraçado ri-se.
Queria ver se tivesses quebras de tensão, ó meu palerma!

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Diz-me lá... foi só praia este fim-de-semana?

Pelo amor da santa! Mas eu ia lá para a praia com o caloraço que estava?

O fim-de-semana foi passado em casa, a enfardar caracóis, pianinho no churrasco, lasanha, melancia, damascos, cerejas e gelados como se não houvesse amanhã!

Ah! E aproveitei para fazer umas belas de umas sestas! Abençoadas!

sábado, 27 de junho de 2015

E no Algarve é assim...

Assim, é como quem diz...
Num dia normal de Verão, às sete da manhã ainda está um fresquinho gostoso.
Hoje, às sete da manhã já estava calor.

O dia promete.

segunda-feira, 22 de junho de 2015

As coisas que tenho de ouvir

- Do que mais me arrependo nesta vida foi de não me ter metido na política. Os meus amigos que o fizeram está tudo mais que orientado!

Coitadinho! Morro de pena de ti!

domingo, 21 de junho de 2015

Perdão

Há tempos, uma amiga escreveu um texto muito bonito sobre perdão.
Li. Fiquei a remoer. Cobicei-lhe a capacidade.
Sei. Assumo. Não sou capaz de perdoar.

Posso esquecer. Aliás, esqueço com alguma facilidade. Meto lá pró fundo. Mesmo fundo. Acontece que às vezes o que foi esquecido vem rapidamente à tona. Acontece, sim senhora! E tudo fresquinho.

Talvez um dia, cresça um bocadinho.


sábado, 20 de junho de 2015

Dor de cotovelo

E muitas nódoas negras.
Primeiro, afinfei uma cotovelada na ombreira da porta da casa de banho.
Depois, afinfei outra cotovelada na porta da frente, mesmo na quina.

Tudo condensadinho no mesmo cotovelo.

Gosto tanto de mim! O marido também, já que marcou presença nas cotoveladas...

quinta-feira, 18 de junho de 2015

Falsas compensações

Ando a tentar compensar uma insatisfação geral com comida. Grelhados, massas, marisco, doces, salgados.

Resultado: Nada me sabe bem e continuo insatisfeita.

Mulheres!

quarta-feira, 17 de junho de 2015

Confiança ou a falta dela

Em conversa com o mano, assumi que não confio em ninguém.
E não é só a nível profissional, infelizmente.
É verdade. É triste mas é verdade. Quanto mais as pessoas se aproximam, menos eu confio.
Só experiências boas, ?

terça-feira, 16 de junho de 2015

Quebras de tensão

Ao acordar. Tem sido o pão nosso dos últimos quinze dias!

É tiro e queda. Ainda nem abri a pestana e pumba. Quarto a rodar.
Pensava que era por estar muito calor e o corpo ainda não se ter habituado mas nos últimos quatro dias as temperaturas baixaram consideravelmente e não faço a mais pálida ideia do que provoca isto. Fazer até faço... o despertador. O acordar bruscamente.

Mas houve um dia em que acordei fresca e maravilhosa. Saí de casa a deitar foguetes.
Fiz o que tinha a fazer nessa manhã mas apanhei sol com fartura na moleirinha e torrei, literalmente. Fui almoçar com o marido e uma amiga. À porta do restaurante, a amiga estatelou-se na calçada. Cara ao chão. sangue por todo o lado. Fomos para a casa de banho e depois do sangue estancado é que deu para ver os estragos. Um pequeno corte na cana do nariz e outro corte no lábio inferior. Lábio superior com grande hematoma interior e ponta do nariz queimada da fricção. Costelas e um pulso doridos. Podia ter sido muito pior. Podia ter partido uns ossos que a queda não foi bonita.
Já sentada à mesa, começo a ver tudo a rodar. Vieram uns calores enormes ao mesmo tempo que não sentia o chão debaixo dos pés e só tive tempo de pedir ao marido que me levasse para a casa de banho. Fiquei lá uns dez minutos de cabeça encostada aos azulejos frescos da parede e regressei perfeitamente recuperada à sala de refeições. Calculo que o calor em excesso na rua, seguido do tempo que ficamos na casa de banho, exageradamente refrigerada, foi o gatilho para a quebra.
Foi um verdadeiro almoço gourmet! As especialidades não faltaram!

A ver vamos nos próximos dias...

sábado, 13 de junho de 2015

Antecipação

Tenho umas compras para fazer. De hoje não pode passar. Há quinze dias que adio. Daqui a umas horas vou gastar solas (se fossem só as solas!) num dos centros comerciais cá do burgo. E como é sábado e o tempo não está para praia, aquela coisa vai estar apinhada de pessoal. Gabo-lhes o gosto.

Fico enjoada só de pensar.

Estou tão cáustica que ainda abro um buraco no sítio onde ficar parada mais de dois minutos...

Cuidado com as pedras

Ontem de manhã:
- Amorzinho?
- Diz...
- Vão umas sardinhitas?
- Mas tu pensas que tou prenha ou quÊ???
- Depois do Santo António!
- Ah, bom! Assim está melhor!

sexta-feira, 12 de junho de 2015

Só sei dizer que a paciência que é coisa boa...

Escafedeu-se.

Levou-a, o vento desgraçado.

Digam-me que isto é do tempo porque se for da idade, vou ali e já volto.

Caracinhas

Tenho os pés gelados e ontem à noite quando saímos para jantar, bati as dentolas.
Há três horas que luto para adormecer mas não consigo porque o cobertor com que me tapei, não é o suficiente para aquecer.
Só vejo uma solução mas corro o risco de ser corrida da cama: enroscar-me no homem.
Mas como o homem deve estar com calor, resta-me o cão.
Querem lá ver? Cama para três?

domingo, 31 de maio de 2015

Digam-me que óculos usam

Porque preciso de uns iguais.

Para uns sou um Doce, para outros sou um Coração Puro.

Poças, até fico envergonhada! E os defeitos? São invisíveis?

segunda-feira, 25 de maio de 2015

Amoroso

Ontem tirei a tarde para tratar de um móvel velhinho. Já era velhinho quando o trouxe cá para casa.
Assentei arraiais no chão, o meu traseiro incluído.
Tirei-lhe o pó e quando me preparava para passar a lixa, vejo uns riscos que pareciam letras num dos lados, imperceptíveis quando estamos de pé. Ajeito-me tentando encontrar a posição em que os riscos fizessem sentido e ...

                                 Paulo
                                    +
                                Nazaré

Escusado será dizer que o móvel ficou como estava. Tratei-o somente com óleo de cedro.

Era lá capaz de apagar uma declaração de amor?

quarta-feira, 20 de maio de 2015

É grande a coceira

Coço o queixo. Coço atrás da orelha. Coço o pescoço. Mordisco o lábio. Coço a cabeça.
Cruzo os braços, encosto-me à cabeceira da cama e fico a olhar para o monitor.

Esta terra é tão pequena!

sábado, 16 de maio de 2015

"Padeira de Aljubarrota" de Maria João Lopo de Carvalho

Esteve dois anos à espera que me passasse o feeling que não seria boa leitura.
Li-o em Janeiro. E não é que o raio do feeling estava certo?
Partes muito cativantes, outras sofridas, assim que meio a encher chouriços.
Comentei na altura com o meu marido que o livro não parecia ter sido todo escrito pela mesma pessoa...
Foi uma decepção.

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Esquisitices não se discutem

Gosto de molas da roupa.
Gosto de estendais de roupa. Daqueles grandes que dão para pendurar os lençóis somente dobrados ao meio.
Mas só gosto de ver "cordas de roupa" no campo ou nas zonas mais antigas de uma cidade.
Ver um estendal ou roupa ao sol, num edifício moderno, é um verdadeiro atentado.
Um atentado ao significado que para mim tem uma "corda de roupa" ao sol.


quinta-feira, 14 de maio de 2015

Carinha laroca

As pessoas que me dizem que estou bem com este peso, só mostram que não me ligam patavina.
Porque se importassem comigo, sabiam à partida como estes sessenta quilos são prejudiciais para a minha saúde.
Aos "de fora" ainda tolero mas aos "de casa"... não me lixem o juízo, está bem?

quarta-feira, 13 de maio de 2015

Uma pessoa às vezes perde por não ficar calada.
E eu já aprendi que não vale a pena investir contra moinhos de vento, se esses moinhos de vento não forem meus.

terça-feira, 12 de maio de 2015

Ando meio que a fugir da balança

Fugir não fujo mas também não passo por onde ela está...
Mas não me parece que esteja abaixo dos sessenta.
Aiiiiiiiiii!

segunda-feira, 11 de maio de 2015

domingo, 10 de maio de 2015

Isto de fazer uma sandes com o toucinho, o tutano e a chouriça do cozido à portuguesa, não foi grande ideia. Sabe muito bem mas agora...

Gordura. Gordura. Gordura a mais!

quarta-feira, 6 de maio de 2015

Um desabafo ou como preferia fazer reset

Já na cama, peguei no diário. Olhei para a página em branco e nem um movimento de mão para iniciar o registo do dia que estava a terminar.

Não consegui escrever nada. Tem acontecimentos que precisam de distância.

Se de início consegui assimilar um acidente que resultou na perda de um animal da família, muito mais difícil foi lidar com o que senti quando uma pessoa que assistiu, me relatou tudo. Com todos os detalhes. Fiquei muito impressionada.

Sei que era vital para essa pessoa partilhar. Se para mim o que ouvi esta tarde me tirou o sono, imagino como está quem presenciou!

Por muito que sejamos racionais e tenhamos consciência que não somos omnipresentes, que por muito que cuidemos e protegemos os acidentes acontecem, custa horrores ver um animal partir.

Mas a vida consegue ser de uma ironia... partiu um mas nasceram quatro lindos bebés. Não vão conhecer o pai mas vão ser um testemunho da vida dele.


Assumo


- Sou doida por papas!

Cerelac, abacate com mel e canela, banana com bolacha maria.

No outro dia, nem as sobras da papa do sobrinho piquinino escaparam! Acho que alguém tentou avisar-me que aquilo tinha sido feito com leite de fórmula mas já não foi a tempo...

terça-feira, 5 de maio de 2015

Com a boca toda lixada

Saio do trabalho, passo ali no supermercado e negra de fome, compro um pão com chouriço.
Costumam ser muito bons mas aquele, ainda não ia a meio e já sentia o céu da boca todo dorido e irritado. Pão muito cozido. Joguei o que restava para cima do tablier e alguém me perguntou se a intenção era partir o carro!

Chego a casa da mãe, ainda negra de fome e vejo uma cesta com abacates. Procuro um já maduro. A mãe agarra nele e fez uma papa com um tiquinho de mel e canela.

Agarro na taça e como. Três ou quatro colheradas quase sem respirar. Já disse que estava negra de fome? E todo o interior da boca começou a arder. Maravilha!

Passadas quase doze horas, estou que não me aguento.

segunda-feira, 4 de maio de 2015

Está difícil de digerir

Soube há pouco que a política de algumas instituições (refiro-me neste caso a creches/infantários) de averiguar/denunciar possíveis situações de maus tratos, negligência e violência é... inexistente.

Um dos argumentos que mais gostei foi: "Os pais parecem boas pessoas, alguma vez isso é possível?"

Só digo uma coisa: Tenho Medo da sociedade em que vivemos.

Senhores doutores praqui, senhores doutores prali e só vêem o dinheiro à frente do nariz!



sexta-feira, 1 de maio de 2015

E ao primeiro de Maio, eis que...

Habemus mousse de limão!

Podia tê-la feito eu, pois que podia mas não seria a mesma coisa.
Já fiz a mousse de chocolate e amanhã de manhã despachamos a torta de laranja!

É feriado. É a desgraça total... só é pena não ir comer os caracóis ali para o meio do mato!

sábado, 25 de abril de 2015

Prestes a fazer birra

Ele: - Quando voltarmos tenho de ir apanhar uns limões.
Eu: - Sim? Para quê?
Ele: - Vou fazer mousse de limão.
Eu, já a babar: - Tens natas e leite condensado?
Ele: - Yap!

Passaram dois dias e ainda não fez a mousse.
Dá para perceber pela nossa conversa quem manda na cozinha cá de casa, não dá?


sexta-feira, 24 de abril de 2015

Nem daqui a um ano

Ervilhas com ovos.
Gosto.
Pena é que por vezes me pare a digestão quando as como.
São elas e as ostras.

Vá, daqui a uns 11 meses... talvez consiga vê-las de novo...

quinta-feira, 23 de abril de 2015

A eterna questão

O que fazer quando sabemos que alguém se anda a "portar mal"?

Como o dar com a língua nos dentes é coisa que costuma dar para o torto, o melhor talvez seja mostrar a essa pessoa que corre o risco de levar uma bela de uma dentada nas canelas no caso de...

terça-feira, 21 de abril de 2015

Airbag para gente doida

Aqui está uma coisa que nunca me passou pela cabeça mas é o que vou ser esta noite.

Fui convocada para ser um airbag entre uma pessoa dita "normal" e uma que tem o miolo frito.
Miolo frito, sim.
Digo-o assim, sem o mínimo de compaixão. A pessoa é de má índole. Não me suscita pena.

Pelo amor da santa! O que uma pessoa faz pela família...

Ai, ai! 



Marimbe-se a coisa

Estava aqui a questionar-me, assim a meio de uma insónia que não se coíbe de me dar cabo do sono...

- Se me borrifar para aquela coisa, será que cai o carmo e a trindade?

sexta-feira, 10 de abril de 2015

Pode parecer mau mas é bom demais

Espirrei.
Cocei levemente o nariz.
Espirrei novamente.

Tornou-se rotina, no caminho para casa, na última semana.

O cheiro a flor de laranjeira é tão intenso que inebria.

Sorte a minha que não sofro de alergias, porque sofresse estava tramada.

quinta-feira, 19 de março de 2015

Comissão Inquérito BES II

Pergunto-me se o Dr. Ricardo Salgado terá tomado um calmantezinho antes de ir para a comissão.

É que há bocado vi-o ruborizar de tal maneira que temi uma explosão de raiva...

Agora, mais rosa e menos roxo, parece ter acalmado um pouco...

Comissão Inquérito BES I

Sinto-me exactamente como numa sala de aula quando tentava ouvir quem ensinava e só ouvia barulho de fundo:

- Apetece-me mandar gente para a rua.

Não é que o Sr. Ricardo Salgado seja um professor mas se lhes interessa o homem ali, ao menos saibam comportar-se.

De regresso aos bons e velhos tempos

Li cerca de duas mil páginas na última semana.

Beijinho a mim!

quarta-feira, 18 de março de 2015

A MEO está uma Merda


Falhas de transmissão praticamente todos os dias, avarias constantes que duram 48 horas ou mais,  trocas de linhas... Dizem que mandam técnicos e os técnicos não aparecem... dizem que telefonam com uma solução mas bem podemos esperar sentados... 

Estou pelos cabelos!

quarta-feira, 11 de março de 2015

E ao anoitecer

já se ouve a Primavera.

Aquele momento... aquele instante...

Em que de tanto escrever determinada palavra, uma pessoa estaca feita burro a olhar para um palácio e questiona-se onde estariam com a cabeça quando arranjaram aquele nome para aquela coisa e como aquela coisa não faz sentido...

terça-feira, 10 de março de 2015

E eu a pensar que era "mal" dos ciganos

Mas afinal não são só eles que têm filhos atrás de filhos com o objectivo de serem sustentados pela segurança social...

Aposto uns euritos quanto ao tempo que a estaferma vai levar a engravidar já que que a licença de maternidade acabou? Ou  ....

Menos! Menos, Soneca! Controla-te, mulher!

segunda-feira, 9 de março de 2015

Outro espirro destes e escangalho-me toda... Arre!

A Fé, o que é?

Não sou de igrejas. Vou para admirar. Vou para relaxar.
Não sou de missas. Para lá ir, preciso que o padre "me fale" e que tenha algo para me dizer. Não o blá-blá-blá que a maioria dos padres debita e me provoca bocejos. Infelizmente só dois (e um já cá não está), até hoje, se mostraram verdadeiros exemplares do que para mim deve ser um padre.
Não preciso de igrejas, de missas, confissões e padres para me encontrar com Deus. Andei dois anos na catequese e saí porque não estava a aprender nada de útil. Certa de que quem falhou foi a própria Igreja e a orientação da maioria das pessoas que naquela altura a representavam na minha zona. Não fosse o que a minha família me transmitiu e o que vida me ensinou e seria como tantas outras pessoas. Garanto que não precisei  de uma igreja para sentir Fé.

Mas sigo com alguma atenção e curiosidade este blogue. Hoje li isto e digo que subscrevo sem hesitar: "- Meu filho, enquanto tu tiveres tudo para te sentires satisfeito e preenchido, é óptimo. Mas quando deixares de o ter, também podes continuar a sentir-te satisfeito e preenchido. É isso que a fé faz. Por isso ela é tão importante."

domingo, 8 de março de 2015

Ao anónimo das fotos

Aqui há dias, um anónimo deixou um comentário a pedir mais fotos. "Como as que eu punha antes."

Vou tentar, está bem?  :)

A sensatez de se estar calada... ou não...

Tenho dias em que dispenso estar a par da vida de alguns familiares.
Não me digam, não quero saber. 
Acho que se reagisse consoante os sentimentos que afloram, o resultado não seria muito bom.
A indisposição, a revolta e a raiva são tão gritantes que sinto-me capaz de partir o focinho a alguém.
Hoje fico calada.
Não me peçam para ficar por perto. Não me peçam para criar laços.
Há comportamentos que para mim são mau tratos. E se quem se deve impor e insurgir não o fizer, vai chegar o dia em que farei alguma coisa... o quê, é que ainda não sei.

quarta-feira, 4 de março de 2015

'Tá morno, 'tá morno... ***

Nem dá para acreditar que as temperaturas têm estado tão amenas!
Temos ido almoçar todos os dias à praia.
São 90 minutos alapados ao sol. Nós ao sol e o Sasha a correr para dentro de água.
Felicidade pura!

*** cantar ao som desta música das Doce

terça-feira, 3 de março de 2015

A passar-me com uma password

Ter a certeza que estou a meter a password correcta e o site repetir incessantemente que não está correcta, só me leva a concluir que:

- Estão a gozar com a minha cara ou... alguém entrou na minha conta! Só pode!

É por estas e por outras que os bancos não me convencem a aderir on-line.

domingo, 1 de março de 2015

Março, marçagão, manhãs de Inverno, tardes de Verão...

Nem sempre é assim mas no fundo o que me interessa, é que no último fim-de-semana do mês muda a hora e aí, é ver-me de tacha arreganhada porque o sol vai pra cama mais tarde!

E Março é o meu mês! Não foi escolha acertada os meus pais fazerem-me pisciana... Raios... isto não soou lá muito bem... "fazerem-me pisciana"! Ou se calhar até que acertaram na mouche... quem me manda ser tão esquisitinha... vá, fora da terra?

Resumindo: quero mais calor, mais tempo de luz natural, sonhar menos (um bocadinho menos, só!) e fazer mais!

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Divago e às vezes até me perco

Unhas. Sem paciência para pintar mas cheinha de saudades de um vermelho, vermelhão.

Fotos. Centenas para organizar.

Mamas e TPM. Este mês são sinónimo de blocos de cimento...

Ah, ah e o mês está a acabar, dizem que vem mais frio aí e só me apetece sumo da Compal.  A toda a hora... era só o que faltava ceder ao capricho! Laranjas. Tangerinas. Aqui a história já é outra. Cede-se sem pensar duas vezes..

Agulhas e lã.

Gosto de mim. Gosto de ti.

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Soneca, ias formosa mas não segura!

Foi mesmo assim.
Cruzo-me com uma vizinha numa esquina e gritei como se tivesse visto uma assombração!

Credo! Aposto que se ouviu no raio de um quilómetro...

Que vergonha...

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Escorçoadinha do coração

São três da matina e custa-me pensar que tenho de ir para a cama.

Ao fim de 15 anos e alguns meses de casamento, hoje é o início de uma nova etapa...

Assim sendo, hoje é dia de mudança.

E custa-me, pois que me custa... só eu sei o peso que me vai no coração, tantas noites partilhadas e agora...

Vou dormir num colchão novo.

 O outro, cansado, já não agradava ao senhor, meu marido.

Mas eu... eu sinto esta mudança como uma traição. Meu rico, meu velhinho...

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Agoniam-me as imagens que nos chegam da Ucrânia.

P*** que pariu o Putin!


Seca como uma ameixa

Não me lembro de alguma vez ter tido a pele tão seca como de há umas três semanas pra cá.

Seca como palha. Não há creme que ajude. Gordos, magros, nada resulta. Fica hidratada durante uma horinha, depois volta à miséria que se vê e sente!

Raio do frio.

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

O dia em que temi que o meu ovário direito desse à sola

Aqui há uns dias fiz um EMG, quem não sabe o que é, procure no Google porque não me apetece falar de agulhas e choques.
Contudo... o momento em que o técnico avisou que ia estimular na zona da virilha foi tão fugaz que nem deu tempo para dizer que de virilha aquilo não tinha nada. Por baixo estava o desgraçado do ovário!
Aguentou-se bem. O pior foi depois. O resto do dia e toooooda a noite. Pontadas mai lindas!

Da próxima vez que estivermos juntos vamos ter uma conversinha. É garantido.

domingo, 1 de fevereiro de 2015

E já foi...

Aleluia.
Vou dormir.

Quando os encontrar, dou-lhes os parabéns pelo vigor.

São quase cinco da manhã e vai de forrobodó!

Há um festival por cima do meu quarto.

Os vizinhos estão animados e cheios de energia.

Só espero que a estrutura da casa (prá cama deles tou-me a borrifar!) aguente...

Bater com o cabo da vassoura no tecto é de gente velha, não? É que mais de 50 minutos disto, já começa a cansar...

Gin...

Mais uma vez... expliquem-me lá, por favor... estou aqui de mente aberta... qual a piada de beber um balde daquilo?

domingo, 18 de janeiro de 2015

E chove, chove, chove

Há umas horas que chove sem parar.
O meu avô diz que é necessário que a água entranhe na terra uns quantos metros para servir de alguma coisa às árvores. Ontem repetiu-me isto várias vezes. Ele foi muito pormenorizado mas não vale a pena entrar aqui em detalhe.
Hoje, enquanto jantava, espetava o garfo nas cenourinhas bonitas mas que não sabiam a cenoura e dizia-me: - Estão tenrinhas mas nem as deixam fazer-se! Na minha altura, aquilo é que eram cenouras!
Agora é tudo muito diferente. Antigamente, certas coisas eram muito melhores. Só se devia mudar o que não presta. Mas o progresso e a globalização dá-nos a volta e enrola-nos como as ondas.

Hoje alguém dizia ao meu avô que deviam ir comer uns belos de uns caracóis com um copinho de vinho. Comentei que ainda faltavam uns meses para o tempo deles. Responderam-me que estes caracóis eram especiais. Senti-me um bocado a mais na conversa. Não era para mim. Era entre eles. Sorri e calei-me.
Já aprendi que existem os Grandes e depois existem os que estão à sombra dos grandes e que nem aos calcanhares lhes chegam. E tomara que se aceitem porque nem todos nasceram para ser Grandes.

Pois e chove, chove, chove. E continuo cheia de frio. Ontem quase que se me congelaram os olhos.
Agora, chove. E eu só penso no calor de que se queixa a minha amiga do outro lado do Atlântico.
Calor bom que aquece a alma.

Agora, chove. E se continuar assim, vai entrar os tais metros terra adentro de que fala o meu avô para que as árvores se façam.
E depois a água sobe e pode ser que lave a porcaria toda. Tudo o que não presta. Isto digo eu que tenho uma vida muito engraçada. Que conheço gente muito boa mas também conheço gente que parece boa mas é a maior bosta que pode haver. Postos na terra para adubar, matariam tudo o que lá fosse plantado.

Agora, chove e eu acabei de lavar um pouco a alma.
Com o caraças! Falta muito para o Verão?



segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Nem tudo o que luz é ouro... mas às vezes...

Sou pessoa de difícil trato quando chega a hora de me fotografarem. Se não me aperceber é garantido que a foto fica boa mas se tenho de fazer pose, é um ai jesus porque a feição de natural não tem nada!
Aqui há dias, insistiamos porque sim que tinhamos de conseguir uma foto jeitosa. Jeitosa!!! Pois, tá bem...
Inúmeras tentativas e numa... unicamente uma... o meu olhar ganhou vida e toda a minha a cara se iluminou. O que fiz? Eu? Nada! Mas naquele momento passava na televisão uma reportagem sobre um determinado modelo da Mercedes...

Vá, sou fútil mas há prazeres e prazeres... e se me fotografarem num dia de Verão dentro de água, seja ela salgada ou doce... ou a comer amoras... ou a fazer festas no focinho de um cavalo... consegue-se também uma foto excelente... a felicidade também se encontra nas coisas mais simples.

domingo, 11 de janeiro de 2015

Confirmar que tinha razão em determinada situação, é uma grandessíssima MER**!

De coração cheio

Tem dias que passe o tempo que passar são sempre celebrados com a mesma intensidade.
Hoje é um desses dias.
Os milagres acontecem e há pessoas que vêm a este mundo para nos encher o coração.
E vinte anos passados, sabemos que nos saímos bem e estamos todos de parabéns.
- Parabéns, Biscoito!

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

sábado, 3 de janeiro de 2015

Vinho tinto Monte Velho

Ora aqui está um chão que já deu uvas!

No jantar do último dia do ano, houve quem trouxesse umas garrafas de tinto Monte Velho, produção de 2013. Houve logo quem tentasse convencer a pessoa a ir trocar as garrafas mas a pessoa quis provar a porcaria que comprou. E todos os que beberam concordaram: aguado. Falta-lhe o belo corpo que teve em tempos.

Recadinho para os senhores que o produzem (quem gosta de vinho sabe bem quem eles são): - Vão pastar palha para Abrantes, sim?

FRIO. FRIO. FRIO.

Até o ar que se respira em casa faz doer entre-olhos.
Querem lá ver que terei de dar o braço a torcer e encher a casa de aparelhos de ar condicionado?