domingo, 30 de dezembro de 2012

Apropos C

As grandes amplitudes térmicas têm sido o pão nosso de cada dia e com tanta gente constipada à minha volta, até me admirava da sorte grande ainda não me ter calhado.
Espirros, garganta irritada, ouvidos a zunir, arrepios de frio... só coisa boa para a Passagem de Ano.
Atirei-me às clementinas e tangerinas que são docinhas.
E para reforçar, duas pastilhas de Apropos C por dia. São assim para o carote mas em equipa que ganha não se mexe!
Estas benditas pastilhas não costumam falhar. Começo a tomar quando sinto algum dos sintomas e elas conseguem impedir que a constipação progrida.

 Com um bocadinho de sorte, amanhã estou quase fina.


sábado, 29 de dezembro de 2012

Tias de Cascais

No dia de Natal gramei com duas. Foram cerca de noventa minutos. Uns longos noventa minutos.
Uma, mãe da outra.
A mãe engalinhou com o marido, muito discretamente. Ela queria ir embora, ele não. Ela ajeitava o cabelo emproado, ele sentou-se a meu lado pronto a começar uma tertúlia. Tertúlia sobre poesia. Poesia ou teologia. Que sorte a minha.
O senhor, pessoa de muitos estudos e possuidor de uma vastíssima cultura, mexia e remexia as mãos finas e alvas. Sempre que via a senhora sua esposa e o seu comportamento de criança mimada, revirava os olhos cansados. 
Sempre que estou com ele, sinto como se estivesse com um Bispo. Perco o jeito. Tenho de medir todas as palavras que me saem da boca.
A Tia mais nova, quarentona, de uma magreza extrema, a tresandar a tabaco, sentou-se por perto. Tanto ela como o pai, são daquele tipo de pessoas que falam com uma calma que entorpece. A Tia mais velha é o oposto. Parecia excitada.
De repente, apercebo-me que a mais nova parece sucumbir na cadeira. Com voz de passarinho, sussurra: "Hoje não comi nada. Esqueci-me."
Alguém lhe enfiou rapidamente, um prato com uma fatia enorme de bolo nas mãos. O passarinho voltou a piar. Parece que é normal esquecer-se de comer.
E eu sentada, num almofadão, a rezar para que a florzinha não me despencasse em cima, só me perguntava: - Que mal fiz eu?

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Agora já posso falar

Passei pelo Natal com pézinhos de lã. Estava com medo de falar muito e a coisa correr-me mal.
Mas este ano fui compensada.
Avisei o meu marido que na véspera de Natal, antes das 16h00 queria estar fora de casa. Estar em casa, à hora em que fazia um ano que me esborrachei na banheira, era impensável.
A mana cravou-me para comprar duas lembranças de que se tinha esquecido e de seguida fui visitar uma "avó do coração" ao hospital. Por ironia, o primeiro funcionário do hospital com quem me cruzei, foi a pessoa que me recebeu o ano passado quando entrei nas urgências. Não trepei marido acima porque já sou grandinha e não me fica bem certas atitudes.
Só me queixo de uma coisa... de não saber controlar a gula. Numa família onde os cozinheiros entram em competição para ver quem faz os melhores pratos, há sempre comida em excesso. Estou que não me aguento. Quase que rebolo.
Até à passagem de ano, vai ser sopinha todos os dias. Sopinha, peixe e fruta.

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

É bom saber o que é importante para os homens

Ontem à noite, o marido chega a casa e diz:
"Bora... vamos lá aproveitar..."
Olhei para ele e vi-o com um sorriso bem malandro. "Aproveitar?"
"Pois, se o mundo acabar amanhã..."

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Calor de Inverno

Estamos em Dezembro. Em vésperas de começar o Inverno, pelo menos é o que diz o calendário.
De manhã, o sol aquecia. À tarde a mesma coisa. Nada de vento. Nada de frio. Parecia um bom dia de Primavera.
Toca a despir casacos. Os pés, nas botas, ferviam.
Estamos em Dezembro. No hemisfério norte. Em Portugal continental.
Os pés ferviam dentro das botas. Eu... A maria dos pés gelados.
Tou pasma.
É inédito.

Nem sequer é parecido

Porque é que sempre que quero dizer bruschetta, me sai xaputa?

Raios.

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Odeio as "lojas chinesas"

Odeio. Odeio. Odeio.
Se dependesse de mim, nem uma que havia.
Entrei para comprar papel de embrulho e saí cheia de comichões.
Já para não falar dos espirros.
E não sou de alergias nem sensibilidades cutâneas!
E não é preconceito. É por ver o "cancro" que elas são.

Privatização da TAP

É muito fácil de entender.
O governo está a tratar a alienação do Grupo TAP, mais ou menos da mesma maneira, que um administrador de insolvência trata da venda da massa insolvente de uma empresa.
Ao desbarato.

Apetites esquisitos

Há três meses que tenho uma familiar internada. Tem saltitado entre enfermarias, cuidados intensivos e cuidados médios. Contra todos os prognósticos, hoje está quase bem. Por telefone, perguntei o que lhe apetecia.
Eu à espera que me pedisse uma grande fatia de bolo com creme e ela sai-me com:
"Comida ácida. Salada de alface, tomate e atum, temperada com azeite e muito, muito vinagre! Como eu fazia em casa!"
Um cachorro quente também pode ser. E falo de uma pessoa com oitentas e muitos anos. Nas palavras dela: "Pãozinho aquecido com salsicha da boa lá dentro!"

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

As mulheres são umas insatisfeitas que nunca sabem o que querem

A maioria é assim.
Tenho uma amiga que não come, nem deixa comer. Se o rapaz anda em cima dela, é um chato. Se não lhe manda mensagens é porque não lhe liga.
Antes de conhecer o espécime que é hoje meu marido, confesso que era uma terrorista no mundo das relações. 
Há pouco, por causa dessa minha amiga, disse ao meu marido:
"As mulheres são umas C*****. Lembras-te de fulano? Pois quando saíamos juntos, ao fim da noite, dava-lhe ordem de marcha. Qualquer motivo servia de desculpa. Ou porque tinha de me levantar cedo, ou porque tinha ainda de preparar uma reunião para o dia seguinte, olha era o que calhava. Isto era o que eu fazia por capricho. Só para testar. Para me divertir. Se chegasse a casa e ele não estivesse lá à minha espera, dizia que afinal, ele não estava tão interessado como fazia crer. Mas se eu chegasse a casa e ele lá estivesse, com um sorriso maroto a bailhar-lhe nos olhos, então era um frouxo."
Nunca estamos satisfeitas. Pegamos por tudo.
Já me deixei disto. Há quinze anos. Mandaram-me tratar bem este menino e é o que tenho feito.
Como diz a minha avó D.: "Ele merece."

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Parabéns Avô

Esteja onde estiver. Perto, de preferência.
Há coisas que se sentem mas não se explicam.

A culpa é do mosquito

Não sei por que carga de água, nos últimos dias apareceram uns mosquitos enormes. Só espero que não tenham vindo da Madeira!
Os dias têm estado anormalmente quentes e húmidos e vi a casa invadida. Nem no Verão, vejo tanto bicho.
A meio da noite, acordei com uma comichão atroz no lábio. E vai que comecei a reclamar em voz alta. Tinha sido picada. Liguei a luz e ainda fiquei ali um bocado à procura do desgraçado. Acordei o marido. As marcas dos estragos eram mais do que visíveis. Caras e mãos.
Mas nem sinal do vampiro!
De manhã quando me levantei, olhei para a almofada e gritei para o marido:
"Olha... está um mosquito gordo esparramado na minha almofada!"
Ele começa a rir e diz:
"Mulher... foi um beijo mortal?"

Expulsa da cozinha

Tinhamos reservado o dia de hoje para compras mas como não estamos especialmente vocacionados para o frete, adiámos para amanhã.
A permanência na cozinha foi-me proibida.
Parece que os abacates já estão maduros.
Hoje janta-se uramaki.
Sabe-me bem é no Verão mas há uma menina que ultimamente só fala de sashimi e uma pessoa sofre de gula, não resiste à tentação e vai daí...

O Passos "convidou" e o pessoal alinhou

Cada vez que vou ao facebook, descubro que alguém pegou nas malas e fez-se à vida.
Argélia, Qatar, Inglaterra, Brasil, França, Holanda, Angola, Cabo Verde, Suiça, Austrália, Canadá, EUA.

domingo, 16 de dezembro de 2012

Pergunto

Porque é que eu, que nem no duche canto, sempre tive namorados que cantavam para mim?

Quando se muda e não é para melhor

Ao fim da tarde, o marido foi buscar as caixas das decorações de Natal. Abriu-as, escolheu umas quantas peças e começou pelo hall.
Eu, encostei-me à parede e fiquei a olhar. Até que ao fim de algum tempo, comecei a opinar.  "Aí não. O outro. Aí, desse lado. Traz a vela vermelha do corredor. Experimenta aqui. Tira dali..." Na sala pus um Menino Jesus grande. Só Ele. Nem virgens, nem São Josés, nem vacas e burros. Reis Magos nem vê-los.
A árvore de Natal vai ficar guardada.
Com o passar dos anos, tenho vindo a perder a vontade. Na casa da minha mãe e da minha irmã, tem piada e dá gosto decorar a casa. Juntamo-nos todos. Pequenos e graúdos. A árvore é enorme. O presépio é à antiga. É um ritual. Lá faz sentido. Aqui não.

Esta semana temos de comprar os presentes. A vontade e a inspiração? Cadê?


quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Não esquecer

Quando souber de antemão que vou para um local com lareira, não posso usar blush.
Não posso usar mesmo.
Tiraram-me fotos quando estava sentada ao lado (para não dizer em cima) de uma lareira.
Quando as vi, pensei que era Carnaval! Isso ou então... talvez ter... emborcado meio garrafão de tintol!

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Só a mim

Fechar a porta do quarto para as gatas não irem lá para dentro e na hora de ir dormir não a conseguir abrir.
Trinco encravado. Ainda não percebi como.

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Aberta a season da carraspateira cá em casa

Vulgarmente conhecida por época da gripe.
E esta está a ser cozinhada em lume brando.
- Amor, não desesperes. A continuar assim, estás curado lá para o Natal!
 

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Atentados ao Natal... depois do Papa... chegou a vez do meu pirralho

O meu sobrinho, entra a correr na sala com um desenho de uma rena nas mãos. Mostra o desenho à mãe e diz:
"Olha, mãe! É igual aos camelos do Pai Natal!"

domingo, 9 de dezembro de 2012

Retiros espirituais

Um amigo foi convidado para um retiro espiritual.
Quando lá chegou, ofereceram-lhe de beber, uma chávena de chá.
Ele estava cheio de sede e perguntou se podia beber outra chávena. A pessoa sorriu e serviu-o.
Parece que ao fim de uns minutos, estava com alucinações! Pronto a subir paredes e já a pensar que quinava!
E depois chamam-lhes retiros espirituais.

sábado, 8 de dezembro de 2012

E quando o despertador toca

Quase todos os dias, sou acordada pelo meu peludo.
Quando acha que já são horas de EU acordar, põe-se a meu lado, a olhar fixamente durante um bom bocado.
Como vê que só olhar não dá resultado, põe-me a cabeçorra em cima. Se com isso não me arrancar um movimento ou uma saudação, dá-me uma focinhada na cara.
Normalmente, chegamos sempre a este ponto e por isso, assim que o sinto a olhar, enfio a cabeça debaixo do edredon. E o que é que ele faz? Arranja maneira de enfiar a dele, lá debaixo também! E aí não há quem me valha. É a primeira lavagem do dia!

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Parecenças

Há pelo menos três actrizes que são ou foram, em determinada altura, fisicamente parecidas comigo.
Sei que em Lisboa também tenho uma sósia.
O meu irmão, podia ser gémeo de um actor brasileiro.
A minha mãe em nova, era a cara chapada desta actriz escocesa.
Uma amiga, é a versão física portuguesa da protagonista deste filme.
Uma conhecida, é praticamente gémea, de uma americana que entra num programa rasca do TLC. A voz, a maneira de falar, o olhar, o género de cabelo. Um susto!
E ainda podia arranjar mais exemplos.
Concluindo:
Acho que isto de sermos únicos, é treta!

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Está visto

Faço parte daquele grupo de pessoas que dizem: "Tenho aqui um osso que diz que vai chover"
Irritante.

Helena Sacadura Cabral

Gosto muita desta senhora.
Não a conheço pessoalmente mas sinto "aquele" respeito.
De quando em quando, dou um pulo ao blogue dela.
Hoje, ri com gosto. A ler isto.

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

A pássara da minha sogra

Soa mal? Soa, soa!
A minha sogra tem uma Roseicollis muito esperta mas muito bruta e eu que não me dou muito bem com aves, raramente uso o nome dela porque é o nome de uma das minhas gatas. É que nem sequer associo o nome ao bicho e quando dou por mim, já saiu "a pássara da minha sogra"... o que por vezes deixa as pessoas a olharem-me de lado.
Pior ainda: "A pássara da minha sogra é muita maluca!"
Então e: "A pássara da tua mãe gosta do aspirador."
Sem comentários.


Não sei o que me meteram no café... se panicar pr´aqui, já se sabe de quem é a culpa!

domingo, 2 de dezembro de 2012

E com uma botija de água quente no meio das pernas, faz de conta...

Frio é coisa que não lhe assiste

Há já alguns dias que faz frio, frio, frio. Muito frio.
Se respirar pelo nariz, congelam-se-me as narinas. Até doem.
Para aproveitar o sol luminoso que tem estado, temos ido para a praia para o Sasha brincar.
O que o meu marido temia e eu não acreditava que acontecesse, é que o Sasha após a primeira corrida atrás da bola, nos virasse costas e entrasse mar adentro.
Esta tarde voltou a repetir.
E quando vem para fora ostenta um ar estupidamente feliz!
Céus! Eram as pessoas a rir e eu quase a ter uma coisinha má por causa do frio que estava!
Sei que labrador gosta muito de água mas com estas temperaturas??  Meu menino, tem dó, sim?

O meu sobrinho acorda duma soneca, senta-se num dos degraus da lareira, computador no colo. Olha para o fogo e diz:
- Tia?
- Hum?
- Aqui (apontou para as chamas) parece o sol!