quinta-feira, 13 de abril de 2017

A reter

E porque nem toda a gente celebra a Páscoa, não estranhes o muro de silêncio da próxima vez que falares das celebrações a alguém.

sábado, 8 de abril de 2017

Terreno conhecido

Faltam-me as palavras. Literalmente.
O cérebro está preguiçoso. Está cansado. Isto de o obrigar andar a mil, tem consequências nefastas. Os gestos são mecânicos.
Preciso de umas boas férias. Boa praia. Muito peixe, marisco e fruta. Pouca ou nenhuma internet. Sonos descansados. Preciso de perder 10 ou mais quilos.
Preciso mas não há tempo.
Reforçam-se as vitaminas, luta-se contra a vontade de comer porcarias e tenta-se ir à praia o mais possível, nem que seja só para apanhar quinze minutos de sol.

Entrei novamente naquele ciclo de há dez anos em foi preciso a vida meter-me um travão para abrandar. A ver se tenho força de vontade para evitar que tudo se repita.

Já passei dos quarenta e continuo a viver em função de tudo menos de mim. Não há um meio termo.
Sou a minha maior inimiga.

Não aprendas, não!