quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

2015

Então podia lá despedir-me deste ano a dizer que ia tratar das melenas?!?

Os votos são sempre os mesmos ano após ano. Os votos repetem-se mas sempre com sinceridade. Para conhecidos e desconhecidos.

Muito Amor.
Muita Paz no coração.
Que a Saúde nunca falte.
Ter sempre em mente que a felicidade também é feita de pequenas coisas.

Para o ano, se Deus quiser, estarei aqui a escrever praticamente o mesmo.

Bom Ano.

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

De regresso à terra

Já era tempo.
Foram dias de descanso forçado!  Nada de stresses (está bem, está!), nada de computadores e televisão.
Tenho de perder o hábito de me pregar partidas no mês de Dezembro. Naquele dia lembrei-me imediatamente da Rita (Silvina) e de como ela teria a capacidade de se rir comigo do que aconteceu! Ainda deu para dar umas boas risadas com a famelga e alguns amigos mais próximos, apesar de alguns deles me olharem de lado, não fosse eu ter queimado alguns fusíveis! Não queimei nada, apenas estou (ainda) mais directa do que é costume!
Esqueço-me que já não tenho vinte anos e o corpo, de muito abusarmos, verga, ao contrário do que acontecia há umas décadas!

O frio, a sério, chegou para obrigar a pessoinha aqui a ficar mais em casa e mantenho-me quente com as botijas de água já que o marido anda tão gelado quanto eu!

Agora vou ali tratar das melenas que uma pessoa tem de se preparar para receber o 2015 e como algo me diz que o senhor vai ser bravo, o melhor é recebê-lo em grande estilo!

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

sábado, 6 de dezembro de 2014

E esta, hein?

Consto na página de agradecimentos de um livro.
...
...
...

Fecha a boca que entra mosca!
Por esta não esperava eu.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Brincar, brincar mas na gaita não tocar...


Conheço um ignóbil que diz à boca cheia que "no roce, roce" não se engravida. Diz o ignóbil que tudo isso é mito.

Preferia chamar-lhe mais coisas porém fico-me pelo ignóbil.

Daqui a seis meses, se me lembrar faço o ponto da situação... e caso me esqueça, se vier para aqui dizer que estou a fazer uns casaquinhos para oferecer, é muito provável que seja para o ignóbil... e fica mais uma vez provado que quem nasce torto, tarde ou nunca se endireita...

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Mensagem... de quem? (do céu do calçado?)

Num dia rebento com a sola de umas botas.
No outro, rebento com os chinelos da piscina.

Sei que sou poupadinha e que o calçado já não era novo mas por algum motivo só compro de boa qualidade. Caro mas bom. Para durar. E eles duraram. Muito.
E ainda estou para aqui a queixar-me!
Alguém entende?
Eu não. Sinto-me traída.

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Bate leve, levemente...

Não é chuva, não é gente e também não é o tpm!
Tem dias assim.
Em que os ponteiros do relógio passam lentamente, ao contrário dos dias.
Tem dias assim.
Em que, sabe-se lá porquê, acordamos viradas do avesso mas completamente anestesiadas.
Tem dias assim.
Em que cancelamos tudo o que estava planeado para o dia e vegetamos numa inércia assustadora quando o que só nos apetece é partir tudo à volta.
Tem dias assim.

Amanhã é outro dia.
E que o de hoje não se repita.

domingo, 30 de novembro de 2014

Receita da Mousse de Limão

Fácil, rápida e deliciosa para quem gosta de limão!

- 1 pacote de natas (200 ml)
- 1 lata de leite condensado (370 g)
- sumo de limão (metade da lata do leite condensado)

Deitar as natas no liquidificador, bater. Introduzir o leite condensado. Continuar a bater.
Depois de tudo bem misturado, juntar o sumo de limão e bater até ficar grossinho.

Conselho: Nada de cortar na dose do sumo de limão porque é ele que "coze" as natas.

Sugestão: Tirar do frigorifico uns 30 a 40 minutos antes de servir e colocar no congelador. Servir como gelado.

Boas lambuzadelas!
Pior do que sonhar com o Sr. Sócrates e com o Sr. Ricardo Salgado (família incluida), é sonhar com eles todos na mesma noite!

(tenho de deixar de ver notícias)

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Querem lá coisa melhor para animar a noite

Sentada na cama, esticar o braço para despir o roupão e afinfar com os nós dos dedos na quina da mesa de cabeceira?

Há com cada bicheza...

Preciso de pilhas novas. Não precisam ser daquelas que duram e duram... já me dou por feliz se me aguentar 12 horas acordada... 12 horas para comer e trabalhar, as outras 12 para dormir... já não era mau... muito melhor do que agora...
Mal me encosto, apago. Sento-me num sítio confortável, apago.
Seja de noite ou de dia.
Nada me mantém acordada. As pálpebras pesam toneladas. Bem que oiço as pessoas falarem mas abrir os olhos é que é coisa impossível. Só ainda não fui a correr para o médico porque chego à cama e fico aqui firme e hirta que é como quem diz, fresca que nem uma alface. Sendo assim talvez venha a ponderar trazer o trabalho para a cama, comer na cama, ver tv na cama e quando quiser dormir alapar, sabe-se lá, no sofá.


quinta-feira, 13 de novembro de 2014

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Apaixonei-me por um sofá que vi num decorador. Dois lugares. Se forem magras, cabem três pessoas.
Ando a namorá-lo. Aquele namoro de olhar mas não tocar.
Precisamos trocar os sofás da sala. Mas não é qualquer sofá que serve. Sou clássica. Rústica. Não gosto de sofás baixos e muito modernos.
Aquele é um pouco retro, tem um tecido lindo, amo os pés mas preferia outro tipo de braço. E cá para casa tinham de ser dois. E cheira-me que não é nada barato... e não me posso esqueço que tenho cão e gatas... e que nem todos os sofás têm a capacidade de durar o que os meus já duraram... e eu gosto de coisas resistentes.

Ontem, pedi ao marido que passasse por lá e perguntasse o preço. Quanto mais longe eu ficar, melhor.

Quando ele chegou ao pé de mim, comecei o interrogatório:
- É bonito, não é?
- É.
- É bom, não é?
- É.
- Custa uns X's?
- Mais 50...
- Vês? Tenho pontaria, não tenho?
- Yap...
- Mas é giro... e tem personalidade... aiiii... e o preço de dois dá-me para comprar um enorme de uma boa marca...

domingo, 9 de novembro de 2014

Dos meus gostos

Nem sempre o que é caro é bom.
Nem sempre o que é caro é bonito.

Mas eu tenho A pontaria.
Metam-me uma série de artigos bem misturados em exposição. Dispenso marcas. Metam os artigos e peçam-me para escolher os que prefiro. 95% das escolhas são os artigos mais caros.

E isto é uma constante no meu dia-a-dia!

Da CM TV

Abomino a maneira como o Correio da Manhã faz noticiários. Só desgraças e demasiado detalhadas. Não respeitam a privacidade das pessoas. Lucram com a desgraça dos outros. Falam demais mas dizem-me pouco. Tem jornalistas e repórteres que me dão náuseas só de os ouvir.
Abomino a programação do canal. Mau demais. Pobreza.

E pensar que pago por esta porcaria, mesmo sem a querer...

sábado, 8 de novembro de 2014

Nada de coisa nenhuma

Lista interminável de afazeres na cabeça.
Cansaço.
Sair da cama directamente para o sofá.
Cansaço.
Ignorar a lista.
Cansaço.
Teclar com uma só mão, enquanto a outra aquece no meio das pernas.
Cansaço.
O edredon regressa hoje à cama.
Cansaço.

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

O tempo não dá para nada... nem para um ai

Duas semanas de molho. O meu sistema imunológico deve andar pela rua da amargura...

Trabalho acumulado e mais que atrasado... a impressora revoltou-se quando regressei ao escritório e vá de me cuspir as folhas para cima... - Ingrata! É assim que se agradece todo o carinho que te dei ao longo destes anos de parceria?

Projectos urgentes de tricot terminados e entregues.

Marido nem vê-lo! Vá, vejo-o de relance... conseguimos jantar e dormir juntos.

Continuo a não perceber com que roupa devo sair à rua. Saio com roupa de Verão e à noite, regresso geladinha até ao tutano. À noite, só à noite que de dia anda-se muito bem de chinelas e manga curta.

O mais recente membro da família já nasceu. É um bebé muito bonito, nem tem cara de recém-nascido. Em contrapartida a mãe renasceu. Mexem-me com os nervos, as mulheres que sabendo terem grandes probabilidades de complicações durante o parto, não avisam os médicos e depois quase lhes sai o bilhete de passagem para o outro lado.  Mexem-me com os nervos, os médicos que vendo o trabalho de parto arrastar-se sem grande progresso, preferem arriscar a vida da parturiente e da criança a optarem pela cesariana!
O pior já passou. Agora, é hora de mimar aquela coisinha boa...

sábado, 18 de outubro de 2014

Juba de leão

A minha irmã está exasperada.
Diz que não sabe se é do tempo, se é mesmo do cabelo, certo é que o amaciador não está a dar conta da cabeleira. Parece que alguém a comparou a um leão... tal foi o susto...

Ah, ah, ah! Deixa-me rir mais um bocadinho com a cena que não vi mas imagino! Bom demais.

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

À sombra da chuva

Parei neste post do blogue "A Horta Encantada" e imergi em lembranças. Lembranças da infância, daqueles últimos dias das férias de Verão em que a chuva chegava e eu insistia com a minha mãe que era necessário vestir casaco, gorro e botas, apesar do calor húmido. E mesmo morrendo de calor, agarrava no guarda-chuva e fugia para o caminho que me levava ao pomar, só para sentir a chuva... lá, bem no meio das árvores. Com todos aqueles cheiros bons...

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Sexo após a refeição

Ouve-se cada uma na esplanada...

As pessoas não se inibem de falar da vida privada em público, pois não?

Os meus melhores amigos do momento

Um rolo de papel higiénico, febre, brufen, Apropos e chá de gengibre com canela.

Nada como viajar e trazer para casa um presentinho daqueles que ninguém quer.

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Mini-Oreo's

Agora é que me desgraçaram! Logo eu que nunca fui fã das Oreo's.

Nunca devemos dizer "nunca".
As de tamanho normal deixam-me enjoada por serem demasiado doces, estas por serem pequeninas são perfeitas.

Irradiar amor

Diz que é bom. Que nos faz bem. Tirar uns minutinhos do dia para espalhar amor. Mentalmente. Mandar amor para quem gostamos muito, para quem gostamos, para quem gostamos pouco e até para quem não gostamos nada... pois esta última aqui é que me ficou assim atravessada na goela... não sou assim tão... ou se calhar até sou... vou enviar tanto amor a umas certas pessoas que... afinal não vou. Ponto final.

sábado, 20 de setembro de 2014

Momento nada sensual

Aquele, em que passados uns quinze dias da depilação, os pêlos começam a romper a pele e só conseguimos imaginar o alívio que daria, esfregar as pernas com um esfregão verde...

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Família solidária

Hajam mais famílias como a minha!
Acontece-nos as mesmas coisas quase, quase ao mesmo tempo.
Se eu ainda estou a lidar com as consequências das infiltrações cá de casa, agora é a sogra que está a braços com paredes a escorrer. E se eu aprendi a relevar (que remédio!), a sogra está literalmente com os nervos esfrangalhados e prestes a arrancar os cabelos.



É stress. Somente stress estúpido.

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

A cauda do Sasha está farfalhuda... assim como o meu cabelo que chega ao fim do dia eléctrico.
A humidade pegajosa que está no ar é no mínimo, nojentinha.

As surpresas boas da vida

Ontem foi bom!
Pena que só tenham sido umas horas. Souberam a pouco.

Fica para a próxima!
Dá para perceber que estou feliz? 

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Anzol e cana de pesca

Qual o melhor isco para pescar algo do passado da nossa vida?

Sou péssima pescadora.
É isso ou é somente mais um sinal de que o que é passado, é mesmo para deixar ficar no passado.
Até em sonhos!

domingo, 14 de setembro de 2014

Primeiras vezes

Amanhã é o primeiro dia de escola, a sério, do sobrinho e estou agoniada.
São quase 22h00 e nem consigo pensar em jantar!

sábado, 13 de setembro de 2014

"O" momento em que pensas estar a roçar a insanidade

Pegas num objecto, pequeno, usas esse objecto, colocas o objecto ao teu lado e quando vais apanhá-lo para o usar novamente, népias, nadica... desapareceu.

E depois de já ter procurado, com olhos de ver, abstenho-me de pensar no assunto, só para não sentir que estou a ficar cheché!

Isto é castigo. Ontem ri-me perdidamente de uma amiga que anda sempre a perder os óculos.
É que não aprendo!

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Quebranto? Que é isso?

Tão bom que não podia deixar passar...

Duas jovens, nem vinte anos teriam, uma delas com um bebé lindo ao colo, conversavam descontraidamente:

"- Pois que no outro dia o menino ficou muito prostadinho. Sem energia, muito em baixo.
- Ainda é cedo para os dentinhos, não?
- E a minha mãe nem estava cá para me ajudar.
- Foste ao pediatra?
- Não... o P. quando chegou da universidade, olhou para ele e disse que era quebranto.
- Quebranto? Que é isso?
- Oh, pá! Mau-olhado... nunca ouviste falar?
- Sério?
- ...
- Tás a falar a sério? Mesmo?
A mãe da criança fungou e nem respondeu.
- E depois? Que fizeram? - perguntou a outra baixinho.
- O P. levou-o a um benzedeiro.
- Ah... e que fez ele?
- Olha que tu!!! Benzeu-o! E disse que era mau-olhado e que tinha sido uma mulher a lançar.
- A lançar? - perguntou a outra de olho arregalado.
- Mas tu és burra? Foi uma mulher a dar-lhe o mau-olhado...
- Ah... - impagável a cara da miúda.
- Mas foi caro... 20 euros por umas orações.
- 20 euros?
- Mas tu estás surda?"

Dificilmente me passaria pela cabeça que miúdos tão novos acreditassem em maus-olhados! Tive de me agarrar à cadeira para não me virar para trás e dizer-lhe que se ela quisesse lhe dava a oração e para a próxima eram 20 euros que lhe ficavam no bolso!

Uma das minhas avós acreditava que quase tudo se curava com oração. Não havia mau-olhado, constipação, dor de barriga, zona, entorses, maus jeitos e outros tantos males que não fossem passíveis de tratamento com uma oração específica.
A outra avó não acredita em nada disto mas o curioso é que sempre que sai ou chega a casa, faz o credo em cruz. Sim... porque acredita em más energias e acredita na protecção do Credo.


quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Podes até não acreditar mas (neste caso) quem te avisou até estava a ser teu amigo

Fisiatra e fisioterapeutas, sempre a dizer:
"Não fazer."
"Não forçar."
"Devagar."
"Pouquinho."
"Não exagerar."

Como pisciana pura que sou, teimei que poderia fazer mais de uma hora de exercício, num determinado aparelho.

E fiz... pois que fiz!
Resultado: mal consigo andar. Tenho aqui uns músculos meio que... corrijo, todos esfrangalhados.

Não me irrita o facto de ser teimosa que nem uma mula. Não me irrita não dar ouvidos a ninguém e agora estar pr'aqui a impar cada vez que mexo um dedo dos pés...

O que me irrita é que o aparelho é de ginástica passiva. Daqueles em que não fazemos esforço algum... a máquina faz por nós...

Vamos bem, está mais que visto!

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Só falta dizerem-me na cara: "Não tens filhos, como te atreves a mandar postas de pescada?"

Já faltou mais.

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

A moda do Gin

Vire-se uma pessoa para onde se virar, parece que só se bebe gin. A maneira como se serve o gin mudou, para melhor, muito melhor e os olhos também bebem.
Não aprecio. Não gosto. Melhor dizendo, nunca gostei.

Sou pessoa de whisky.
Aprecio. Gosto. Melhor dizendo, longe vai o tempo em que era consumidora assídua. Efeito de a cara-metade não gostar de álcool! Perde-se o hábito.

Mudam os tempos, mudam as pessoas, mudam as bebidas.

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

A falta de Consistência

Dizem na televisão que as temperaturas vão baixar novamente no Algarve.

Dão-nos o doce e mal o metemos na boca, correm a tirá-lo.
É qualquer coisa deste género. Confuso? 

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Disparidade

Sabes que estás no sítio onde judas perdeu as botas quando entras no único Café do sítio para comprar pastilhas e descobres que só têm Gorilas.

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Quem disse que ser queixinhas é feio?

As temperaturas estão a subir.
Hoje esteve um dia Upa, Upa! Calorzinho do bom! E parece que amanhã vai estar igual!
E tenho aqui um cão que esta tarde gania ao irmos para a praia... só porque via o mar ao longe e não havia maneira de pararmos para ele sair e enfiar-se na água!

Como é que é? Amanhã... praia? :)

Modernices que dispenso

Irritam-me as uvas sem grainhas.
E as melancias sem pevides.

A prova de que isto está muito mau por aqui?

Estou a comer o último cacho de uvas.
E apetece-me chorar por ser o último.

Como me convenço que daqui a quatro horas posso ir comprar mais uvas? Que não há razões para chorar? Que não é o fim do mundo? Argh.

Drama. Tanto drama.


TPM, minha grande f**** d* p***!

Eu, alapada no sofá, a afagar a minha gata bipolar.
Ele, na cozinha, a preparar camarões para grelhar.

Eu: - Estou tão deprimida que se ver um cão a ca***, desato a chorar...
Ele: - Tu acabaste de dizer o que me pareceu ter ouvido?

Depois de dois meses seguidos sem sinais de tpm, este mês tenho tido direito a tudo e mais alguma coisa, em doses maciças.
E por muito que se tente ignorar, por muito que se seja realista, a tristeza hoje consome-me.

- Recuso-me a chorar, pá! Hormonas desgraçadas, vão lá dar cabo do juízo a outra!

domingo, 24 de agosto de 2014

Como começar bem o dia? (a ver se esqueço a cena da praia)

Lavar um generoso cacho de uvas docinhas.
Barrar uma grande fatia de pão mole com margarina.
E comer, comer, comer.
Sabe-me pela vida! Tão bom! E sacia por horas e horas!

Acho mesmo que é costume da gente da terra! Pão com fruta!

Pão com figos.
Pão com laranja.
Pão com uvas... saudades deste lanche à sombra de uma alfarrobeira, enquanto se fazia a vindima! As uvas até tinham outro gosto!
Pão com banana. (mais outra perdição!)

Ah! Felizmente, os espasmos na pálpebra já pararam!
Foram quase três dias muitaaaaaaaaa compridos!

Desejo

Ou a falta dele... é que só  pode ser!
Este Verão não apetece fazer praia.
Continuamos a levar o Sasha  para as banhocas dele mas nós, népia! Este ano ainda não assentei o traseiro na minha praia.
Parece sacrilégio mas é a maior das verdades. Este ano não apetece.
Culpa das baixas temperaturas? Que para mim são baixas... 27º, 28º, 29º...
Por culpa da temperatura da água que está muito mais fria do que é normal? Friorenta como sou, mal molho os pés tenho aquela sensação de ossos a partir... (argh! Como é infeliz esta expressão agora que sei o que são ossos partidos!) e entro logo em hipotermia!

E o mais triste, é que posso contar pelos dedos de uma mão (e nem preciso deles todos) as vezes que dormi sem cobertor, desde o ínicio de Junho...

Porcaria de tempo! Até me falta o alento.

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Espasmo muscular... tique... ou raio... que nome se dá a isto?

Há dois dias que me treme a pálpebra inferior do olho esquerdo. Coisa nova para mim.

A minha irmã diz que é stress, eu só espero não ter para aí nenhuma convulsão por falta de descanso! O sono continua a ser irregular e insuficiente. Não é normal nem saudável, que numa noite se durma somente duas horas e meia e que só se consiga voltar a adormecer mais de vinte e quatro horas depois.

domingo, 17 de agosto de 2014

Defeito


Confesso que às vezes me falta humildade.
Não faço por mal e quem me conhece bem, nem liga. Mas quem me ouvir, sem me conhecer, fica com uma péssima imagem de mim. Devo dar a parecer que sou mais que os outros.
Sou assim. Bem que me esforço mas no que toca a educação e a respeito em déficit, sou muito, MUITO intolerante.

Hoje foi um dia complicado.

Aqui há tempos fomos convidados para um casamento. Apenas um dos noivos era conhecido de um de nós. Pessoa 5 estrelas. Aceitámos o convite.
Sabiamos que o casamento seria uma cerimónia simples mas só para ter noção do tipo de roupa a usar, fui ao facebook da pessoa conhecida. E a partir dela percorri família e amigos.
Percebi logo que estava metida em trabalhos.

Primeiro: faz-me muita confusão quando as pessoas postam qualquer coisa. Sem filtro. E privacidade nem vê-la. Perfis abertos.

Segundo: erro letra sim, letra não. Já para não falar nos palavrões a cada três palavras. Pontuação, então... deve ser bicho desconhecido para muita gente.
Mas esta gente andou (ou anda) a fazer o quê na escola?

Paniquei. Avisei logo o marido que a coisa ia ser complicada. Ele pediu-me tolerância. Custa assim tanto?

Chegou o dia.
Eu bem que me esforcei. Juro. Mas ao fim de meia hora, já ria de desespero. Ao fim de uma hora já ferrava as unhas na perna do marido, ao mesmo tempo que mandava uma rosnadela abafada a um sujeito que na igreja e durante a cerimónia, resolveu começar a falar como se estivesse no café. Ao fim de hora e meia já trocava mensagens de "Acode-me que já não consigo disfarçar" com a mana. E ao fim de umas duas horas, já a minha sogra se ria à gargalhada quando lhe telefonei para desabafar.

Parece ter piada? Não tem.
Educação, minha gente! Onde ficou ela?
Vidas muito modestas e de muito trabalho, não significam gente mal educada e mal formada!

Quem são os pais que acham normal, as filhas vestirem-se, calçarem-se e maquilharem-se como prostitutas adolescentes? Pois, se os pais não dão o exemplo... 
Não exagero quando digo que, em determinada altura, pensei estar numa casa de alterne em vez de numa simpática igrejinha.

Soutiens, cintas, cuecas, tangas. Preto. Brancos. Fúcsias. Dourados. Plásticos. Folhos. Na maioria das novas e também em muitas mulheres mais que maduras. Tudo ali à vista, nos vestidinhos acetinados ou de lycra, dos amigos chineses. Seios enormes, espartilhados, a gritarem por liberdade, a ponto de quase rebentarem os trapinhos.

E a linguagem? Ai, mãezinha! Deve ser por causa de tanto piercing na língua. E nos narizes. Também devem ter uns tantos no cérebro. Ali, há qualquer coisa que não funciona correctamente.

Já para não falar dos telefones a tocarem em plena cerimónia. E o pessoal a atender... e a falar alto pois não se pode desperdiçar tempo precioso.

Muita paciência teve aquele padre. Uma jóia de homem que soube levar a água ao seu moinho. Reconheço-lhe o mérito. A tolerância e a sapiência.

Há que relevar mas para mim é muito díficil. Gostava de ser uma "paz de alma" como o meu marido... mas não sou. Não sou mais que os outros mas não consigo aceitar pessoas assim.  Bem que me esforcei por ignorar, afinal estava ali por quem nos convidou e o resto são cantigas.

No final, nem tudo foi negativo. Conheci gente boa. Gente muito simples mas educada.
E estivemos com uma bebé linda e fofa, fofa, fofa que compensou o resto. Coisinha mais boa!

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Agora é que o caldo entornou

Posso comparar as minhas insónias às dores de barriga provocadas por algo que comemos e sabemos de antemão que nos faz mal. As minhas insónias são deste tipo. Chamo-lhes insónias comportamentais.

- Alminhas, tu que és dessa coisa das psicologias, logo me dizes se existe algo deste género!

Sei qual o risco que não devo pisar de maneira a evitá-las mas não adianta... porque vai daí, dou ao sapato, piso o risco e... Insónias.

Por três dias seguidos tive de fazer pequenas sestas... pequenas, é como quem diz... duas horas e meia.
Tempo esse que somado às duas horas que durmo durante a noite (manhã), dá o bonito número de quatro horas e meia de sono mal aviado por dia!

E eu que adoro dormir, que preciso de nove a dez horas bem dormidas para funcionar... Ando rota, os níveis de concentração andam em mínimos históricos, é um calvário.

Quem me manda ter mais energia à noite? Arre, burra!

E agora, como viro o bico ao prego?

terça-feira, 12 de agosto de 2014

Tavira

Andava a organizar umas pastas de fotos no computador quando dou de caras com umas de Tavira, tiradas em Abril, num lindo dia de Primavera que mais parecia de Verão.

Das cidades algarvias, digo sem qualquer hesitação, que é das mais bonitas.
Mas eu sou suspeita pois gosto mais do sotavento do que do barlavento. O primeiro é muito mais calmo, mais convidativo ao descanso.
Amo de paixão a zona rural de Tavira, adoro a pacatez da cidade e para mim só tem um senão: para ir à praia tem de se passar de barco e eu não gosto de estar dependente de barcos mas A ilha de Tavira é uma delícia e isso ninguém questiona.
Apesar de alguns mamarrachos que se encontram,  fruto do chamado "desenvolvimento", Tavira ainda é um lugar onde, digo sem pensar muito, que não me importava de lá viver. Adoro a luz que o rio reflecte, adoro os telhados dos casarios antigos. Amo os pomares, as vinhas, as mil e uma igrejas, as pessoas.


 






sábado, 9 de agosto de 2014

Pequenos Prazeres

Fazer uma sesta, numa tarde quente. Delicioso!

E à noite, finalmente que já era tempo, dormir de rabinho ao léu... sem cobertores e sem lençol. Ah, calorzinho bom!

O seu a seu dono e como não te rias do mal do teu vizinho que o teu vem a caminho...

O almoço foi óptimo e correu sobre rodas, graças à minha mãe, à sogra e à mana! Cinco estrelas!

E eu, no futuro, tenho de me lembrar que não devo brincar com os amoques dos outros! lol Também sou menina de quebras tensão! Uma florzinha de estufa que quebra quando lhe interrompem o sono!

Parto difícil

Aqui está uma palavra que detesto. Parto. Mas que no contexto em que a aplico, é a melhor para descrever a situação.
Ter que organizar um almoço festivo e ninguém se acertar quanto ao cardápio.

Primeiro, temos logo o problema de ser um almoço e não um jantar. A preparação de um almoço é sempre mais cansativo.

Segundo: não nos podemos alargar com as entradas porque a fome ainda não é muita. Quer isto dizer que para entradas nos resumimos a pataniscas, a salada de cenoura cozida, ao paté de atum caseiro, às amêijoas e ostras abertas na hora de ir pra mesa. (Só de me lembrar do cheiro das ostras já sinto náuseas! Detesto.)

Terceiro: prato principal, só podia ser o bom do bacalhau assado, em posta, na brasa e posteriormente desfiado, indo para a mesa já temperado com alho, muita salsa picada e azeite caseiro. Acompanhado por batata cozida e salada de alface ou de pimentos assados na brasa.
Este bacalhau foi motivo de birra. Eu bem que sugeria uma boa de uma cataplana mas não consegui demover o anfitrião.

Quarto: e para sobremesa? Querem lá ver que não havia maneira de "a pessoa" se decidir? Ficamos pela mousse de chocolate, por um doce que a sogrinha faz e que é delicioso e por um semi-frio de morango? É o que parece.

Agora isto tudo implica madrugar. E para quem anda outra vez numa de insónias, não é nada boa ideia!
Não vai haver maquilhagem que me salve.

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Até tenho medo de perguntar...

Depois de dois dias de calor delicioso, aquele calor que eu adoro (mas que ao marido dá quebras de tensão, rapaz sensível...) e que me faz querer hibernar na praia, coisa que este Verão ainda não tinha acontecido... a sério... até tenho medo de perguntar:

- Verão? Amor meu, agora é a sério? Posso tirar o cobertorzinho da cama? Posso dar uso ao biquini e ao protector solar?

terça-feira, 5 de agosto de 2014

A deitar fumo pelas ventas

Ir à loja comprar dois novelos de lã para acabar a mantinha e vir de lá com um número de telefone para ligar daqui a uma semana, não era bem o que esperava. Tudo porque a fábrica da Rosários 4 está de férias e não entregou o que tinha sido encomendado.
Se é a verdade ou se é desculpa, nem quero saber. 

Esta manta está enguiçada. Só pode!

Faça-se luz

E toca de ir comprar um candeeiro de tecto para a cozinha!

Durante o dilúvio tememos um curto circuito. Tal nunca aconteceu. A fuga foi detectada e vai que, quando só aguardamos que as paredes sequem em condições para poderem ser arranjadas e pintadas, dá o berro o candeeiro!

Sem gemido, sem queixume algum, apagou-se o desgraçado.

Crianças obesas e adultos anoréticos (ou bulímicos, sabe-se lá!)

Não sei onde os pais têm a cabeça mas cada vez mais, olho à minha volta e vejo crianças obesas. Até mete dó! Pequenos e pequenas, a rebentarem pelas costuras e com dificuldades para se mexerem.
Mas também o que não falta são mulheres de pele e osso! Pele e osso. E gostam. E gabam-se. E passeiam os ossos dentro de roupas diminutas, como se fossem um troféu!

A cegueira mental é tramada.


segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Pronta a rifar o marido

O aniversário de casamento está próximo. Aqui há uns dias procurava passagens aéreas para S. Miguel nos Açores e como as datas que pretendia estavam disponiveis, resolvi abrir o jogo pró marido:
- Amorzinho?
- Hum? (nem levantou os olhos do computador!)
- Que me dizes a cinco dias nos Açores?
- E o Sasha?
(bolas!)



quinta-feira, 31 de julho de 2014

Desinformada que sou

Onde tenho andado que nunca tinha ouvido falar da pílula contínua?
Tomando em conta de que já não me lembro do nome da minha ginecologista... tanto desleixo, Meu Deus!

Será que ainda vou a tempo?
Será que os prós compensam os contras? Só de pensar que podia acabar com aquele inferno mensal...

Quando o poder não está nas nossas mãos

Isto de se andar de mal com a vida tem que se lhe diga!
Há mais de uma semana que comecei a ficar intratável. Já andava meio virada com o que se anda a passar na Faixa de Gaza e chegou então aquele dia em que o avião malaio foi abatido na Ucrânia.
Quando vejo que a comunidade internacional não faz nada por interesses políticos/económicos, é mais que certo que me começam as tripas a revirar. É só blá-blá-blá!
É como aquele paspalho ignóbil, daquele grupo islamita do qual não me lembro o nome, que raptou umas duas centenas de raparigas na Nigéria... querem lá ver que será muito difícil mandar-lhe a alminha dar contas ao Criador?

Foi a este ponto a que cheguei... oiço e vejo determinadas notícias e inconscientemente formam-se na minha cabeça as piores pragas que se pode desejar a quem manda cometer tamanhas atrocidades.
Isto não é saudável para ninguém. Para mim então, é veneno. Já nem consigo ver noticiários.

Cansada de tanto fel, mergulhei no trabalho. Era dormir, comer e trabalhar. Computador, só mesmo para trabalhar! Nada de redes sociais, televisão... só programação escolhida a dedo.

O mau humor dissipou-se mas estou cada vez mais intolerante com as insignificâncias de quem me rodeia. Há dias, alguém me dizia que tinha de ter paciência porque certas pessoas, quer eu queira, quer não, fazem parte da minha vida.
Não, não fazem. Posso ter de tolerar algumas pessoas pela harmonia do todo mas é só isso. Tolero por momentos. Depois elas vão à vida delas e eu à minha. Se não posso mudar nada, fico na minha. De que adiantam os maus fígados? De nada.

Esteja o "errado" próximo ou longe... se nada posso fazer para alterar, de que me serve andar agastada?

A vida passa num abrir e fechar de olhos. A todo o momento vejo desgraças a acontecer a gente boa, enquanto que outros passam incólumes.
Temos mesmo é de aproveitar todos os minutos. Estar com quem gostamos.

Quanto ao resto, a Vida o dirá.


domingo, 13 de julho de 2014

Digam-me

Como é que o fim-de-semana passou tão depressa?
Não fiz nenhum, não fui a lado nenhum, era para ter custado a passar... mas não custou.
Evaporou-se.

quarta-feira, 9 de julho de 2014

O que uma pessoa não pensa ouvir da boca de um puto de seis anos

Decididamente não é boa ideia fazer chantagem emocional com crianças.
Ao telefone na maior cusquice com a mana, oiço o meu sobrinho chegar ao pé dela. Queixei-me à minha irmã que ele nem olá me dizia mais! Ela transmitiu-lhe a mensagem e ainda foi mais ao longe, ao dizer-lhe que eu acho que ele já não gosta de mim. Ouvi o fedelho a debitar uma sentença e a minha irmã começar a rir.
- Que disse ele?-perguntei.
- "Se ela gostasse mais dela, não tinha esse problema!"

Magnífico.

terça-feira, 8 de julho de 2014

E já não abro mais a boca...
E os alemães a fazerem gato-sapato do Brasil...

Aos 26 minutos, quatro golos... 

Brasil - Alemanha

E os mal dispostos dos alemães já vão no segundo golo...

Uva Cardinal

A-M-O!
Sempre que como os primeiros bagos do ano, entro numa máquina do tempo. E volto bem lá atrás e vejo a minha avó com belos e grandes cachos de uvas, quase negras, nas mãos, enquanto procurava aconchegá-los nas caixas onde seriam vendidos.
E vêm-me os cheiros todos à memória. Da terra quente, do doce das uvas, do mar que estava perto.
Uma overdose de recordações.

0,50m x 1,00m foram à vida

Estou furiosa. A mantinha voltou à estaca zero. Ah, pois é! Tive de desmanchar tudo porque não consegui encontrar agulhas compatíveis com as que se partiram. O trabalho estava a meio... Meio!
Não me venham cá com artigos chineses que os mando directamente para o lixo!
Amanhã compro as minhas Milward circulares e toca a começar de novo!

domingo, 6 de julho de 2014

Ontem senti uma comichão doida na mão

Gabo o meu homem. Sei que é um tipo responsável mas tem alturas que é tal e qual uma criança.
Ontem foi uma delas. Notei que ele estava na cozinha há demasiado tempo, imerso em silêncio. Quando faz asneira, em vez de pedir ajuda, cala-se e só faz M****. Nada de grave mas irritou-me a estupidez.
Ontem senti aquele frémito na mão. Ontem senti vontade de dar umas boas palmadas!
Foi a segunda vez numa semana. Afinal, tenho uma criança em casa e não sabia!

Parece que a isto se chama egoísmo

Perante a possibilidade de comprar um presente muito caro mas necessário para o Pequeno G., fiquei de pé atrás só por pensar que depois poderá não ser usado exclusivamente pelo bebé!
Argh!
Porque é que nestas coisas sou tão careta? Tão "preto no branco"? Tão intolerante?

sábado, 5 de julho de 2014

Desbocada

É terrível a naturalidade com que me descoso e só me apercebo depois... quando noto um silêncio esquisito do outro lado...
Raios! Onde tens o filtro, mulher?

sexta-feira, 4 de julho de 2014

Mas eu mereço?

A mantinha a crescer a olhos vistos e solta-se o cabo de uma das agulhas!
Raios partam os chineses! Só tenho agulhas da Milward mas não tinha o tamanho necessário para este trabalho, pelo que me emprestaram umas. Dos chineses. Raios partam as chinesices!

quarta-feira, 2 de julho de 2014

Hoje foi um dia bom... apesar de haver quem (ainda) não veja isso

Hoje tive a prova em como há sempre um propósito em tudo o que nos acontece. Nada é por acaso.
A perda de algo, de alguém, um nascimento, a influência (positiva) de um desconhecido, a traição de um amigo.
No fim faz tudo sentido. Como cada ponto numa tapeçaria.

Sorte a minha

Não ser como a minha avó ou a minha sogra... fanáticas por limpeza. É que no estado em que estão os tectos e algumas paredes cá de casa, acho que é coisa para um ataque de nervos.
Os canalizadores finalmente lá encontraram o problema e deram conta do desgraçado. A sogra esteve aqui há dias e vi-lhe os olhinhos a brilhar quando disse: - Vamos chamar já alguém para limpar e pintar!
Não, não vamos! Por enquanto! Precisamos de calor. Precisamos que os tectos e as paredes sequem como deve ser. Lá para Outubro, ela já pode fazer o gostinho ao dedo! (Até parece que deixo! Ah!)

segunda-feira, 30 de junho de 2014

Resquícios do fim-de-semana

O civismo. Neste caso, a falta dele! Dispenso festas escolares. Como querem que as crianças sejam educadas se os pais são umas desgraças?

Os vícios de um padre. Comida e bebida. A continuar assim, não dura muito. E parece que os defeitos dele não se ficam por aqui mas fico-me eu porque só posso falar do que vi.

E mais uma vez a confirmação de que o barato sai caro. Como me apetecia massa frita com galinha, convenceram-me a ir um restaurante daqueles onde pagas x e comes tudo o que te apetecer. Fui a contra gosto, como se eu não me conhecesse! O restaurante tinha demasiada gente, a comida até sabia bem apesar do aspecto duvidoso e a higiene corporal de alguns funcionários deixou muito a desejar! Logo eu com o meu olfacto (quase) canino! De certeza que não fui a melhor das companhias porque o enjoo era tanto que não dava para ocultar. Comi menos do que paguei? Certamente!

Ficou-me a satisfação de ter encontrado uma pessoa de quem gosto muito e que já não via há dois anos.

domingo, 29 de junho de 2014

Mantra

Massa frita com galinha. Massa frita com galinha. Massa frita com galinha. Massa frita com galinha. Massa frita com galinha. Massa frita com galinha. Massa frita com galinha. Massa frita com galinha. Massa frita...

Ando há semanas a babar por Massa frita com galinha... que lá no restaurante tem outro nome mas que para mim é Massa frita com galinha!

Será hoje? Amanhã?
Ah, gula desnaturada! Não dá para aguentar! É uma batalha mais que perdida!

sábado, 28 de junho de 2014

Quando a birra ganha

Este é um daqueles temas que quem é pai conhece bem.
Mas eu que não tenho filhos, fui vencida esta semana por uma birra que durou uns bons três dias.
O estranho nisto tudo é que fui eu a birrenta. Estive intratável. Não saí de casa. Foi comer, dormir, tricotar e exorcizar o mau feitio.
Acho que tudo ajudou para este estado.
Foi o tempo, raios o partam, estou farta de frio!
Noites bem dormidas, está bem, está! Era bom mas é coisa que não tem havido. Acordo a meio da noite sem me conseguir mexer, com dores nas cervicais. Sei que a culpa é do tricôt mas sou mais teimosa e tenho de acabar a mantinha do bebé. Resta-me então dormir em posição fetal, só assim tenho algum descanso! Depois foi a porcaria do futebol... não o futebol em si mas a celeuma que uma selecção levanta nesta gente. Nervos! Não há paciência!
Depois a ignorância e a estupidez de algumas pessoas. Há gente que não sabe mesmo o que são dores de cabeça mas mesmo assim só olham para o próprio umbigo e julgam que o mundo roda à volta delas. E quando são da família, pior ainda.
A birra ganhou mas hoje tenho de sair de casa, por isso a birra vai ter de ir ali para o fundo da gaveta, pelo menos até que eu tenha tempo para me dedicar a ela.
Com sorte, o calor está de volta, acaba-se a manta e as dores abrandam, a selecção teve o que mereceu e começo a ignorar as pessoas parvas!
Está dito. Ah! E sexo! Há lá mau humor que resista a bom sexo?

domingo, 22 de junho de 2014

Ai "ca" nervos

Nem olho para a TV. Basta-me ouvir o homem a rosnar aqui ao lado.

Mais uma constatação de algibeira

"Quem nasceu para lagartixa, nunca chega a jacaré."

Argh! E não tem nada a ver com dinheiro... tem a ver com pobreza de espírito. Oh, gente!

Mayoral


O que é que se faz numa noite de insónia? Adianta-se a mantinha do pequenino até as mãos ficarem dormentes e compram-se, on-line, roupinhas lindas.
A bem dizer, a Mayoral é a minha desgraça... Tem coisinhas lindas e uma pessoa nem sabe para onde se virar!
E estes pijaminhas amorosos já cá cantam! (Oh, sim! Olha pra mim a bater palminhas de contentamento!)

www.mayoral.com

www.mayoral.com 

quarta-feira, 18 de junho de 2014

Língua de gato

É assim que está a minha língua. Por causa de uma fava que tantas vezes assoprada, não era para estar a escaldar!

segunda-feira, 16 de junho de 2014

Bipolaridade

Há uma semana, frio de rachar.
Esta semana, caloooor!
Na próxima semana dizem que volta o frio. Dizem que o Algarve não ultrapassará os 23º. Ora, isto para mim é frio.
Argh!

domingo, 15 de junho de 2014

Só me cheiro

Antes de sair de casa, apliquei uma camada generosa do protector solar que normalmente só uso na praia.
O dia estava de torrar e toda eu exalava Praia sem ter feito praia.
Com a sensação de que me faltava qualquer coisa, terminei o dia na praia de Faro. Fiquei aconchegada com o pôr-de-sol.



sexta-feira, 13 de junho de 2014

Papa Francisco

Adoro este Papa.

Sobrinho novo a caminho

Bebés são sempre bem vindos.
Mesmo quando os pais não estão juntos, mesmo quando os pais, apesar da idade, têm atitudes de adolescentes... junta-se a família, reza-se para que a criança lhes traga juízo e seguram-se as pontas.

Para este pequenino já fiz o esquema para uma mantinha de lã. Para este pequenino, tenho tempo para a fazer.
Ao contrário do meu outro pequenino em que comprei tudo feito. Trabalhava que nem uma louca na altura em que ele nasceu. Nem tempo para me coçar tinha! Nem o aproveitei como devia! Está bem que o meu cunhado era um pai possessivo e não parava de lamber a cria nos primeiros tempos! rsrs Mas dou-lhe um desconto! Pai de primeira viagem. Agora...  giro, giro era que a minha irmã se inspirasse neste bebé que aí vem e encomendasse outro dela! Olha que boa ideia!

Mas agora a balança vai ficar equilibrada. Um sobrinho de cada lado.
Por enquanto. ;)

quinta-feira, 12 de junho de 2014

Cheirava a tudo, menos a rosas

Hoje comecei a manhã num Centro de Saúde.
Nada demais, não estivesse eu sensível a cheiros. Maldito TPM.
Mal entro no centro passa por mim um cigano quase a fugir. Entrou-me um cheiro tão nauseabundo narinas adentro que pensei deixar logo ali o pequeno-almoço.
Depois, enquanto esperava pela minha vez, sorte a minha, entram duas ciganas com uma criança de três anos. Controlei o nariz mas a falta higiene era tanta que só de olhar me vinham as lágrimas aos olhos. E o pior é que onde se sentam fica tudo sujo... era iogurte, bolachas partidas, bolachas meio mastigadas e sei lá que mais...
Eu bem que enfiava o nariz no cabelo...
Chamaram-me depressa. E assim que entro no gabinete médico... alivio total... cheirinho a homem lavado!

Mas se me queixo da falta de higiene destes ciganos também tenho de fazer um reparo... dos Grandes... não sei se é por causa da crise e o Ministério da Saúde está a cortar nos detergentes e no pessoal de limpeza... mas o estado de alguns corredores deixam muito a desejar... chão sujo e nem eram nove da manhã... e nem estava a chover, logo não havia a desculpa dos pés sujos...

RTP, RTP!

A qualidade da transmissão dos casamentos tá abaixo de má.
O som então... credo!

Quanto à adopção do apelido do cônjuge

Para mim nunca fez sentido. Demonstra falta de personalidade.
Não me venham dizer que é uma prova de amor. Continua a ser sinal de submissão, reflexo dos tempos da ditadura. É sem qualquer dúvida nenhuma, o não ter gosto por quem somos.  

Nenhuma das minhas bisavós e avós adoptaram o apelido do marido e isso reflectiu-se em mim.
Da mesma maneira que nunca aceitaria fazer a troca de apelidos e pôr o apelido do marido antes do meu. No meu nome têm de constar os nomes de quem me trouxe a este mundo, não o nome de quem escohi para partilhar, em determinada altura, a minha vida.


Só pondero a mudança para quem tenha um nome desprezível ou por questões de segurança!

Portanto, se nasci Soneca Graciosa e gosto de mim assim e assim me respeito, Soneca Graciosa hei-de ser até morrer!

Noivas de Santo António

Hojé é o dia! E eu adoro!
Os vestidos, os cabelos, a maquilhagem, os arranjos florais, os enganos dos noivos, os nervos, ...
Ainda me lembro de quando tinha de deixar o vídeo programado para gravar os casamentos! Para ver tudo como deve ser! Manias!

quarta-feira, 11 de junho de 2014

Às portas do Mundial

... e a minha mãe ainda não pespegou com as bandeiras nas varandas.

No que dá uma pequena fuga de água

Tecto da cozinha e de um corredor completamente arruinados.
Duas paredes em estado calamitoso.
Tinta a escamar e empolada. Manchas. Bolor.

Ploc. Ploc. Ploc.
Alguidares e bacias.

Acho que é mais fácil arranjar outra casa para viver e substituir depois com tempo e sem pressas, toda a canalização desta. Isto de andarem a brincar ao Poirot com os canos, está a torrar-me a paciência e a carteira.

E o mail com o novo orçamento que não chega! Isto é o que dá dar-lhes luz verde!

Agora é que fico com os cabelinhos todos brancos!

Os smoothies do McDonald's

São uma treta. Já experimentei os dois e não sei qual o pior.
Meu rico dinheiro...

terça-feira, 10 de junho de 2014

Mulheres de Ditadores de Diane Ducret

Normalmente gosto de livros factuais. Sou curiosa mas este livro venceu-me a curiosidade. O desgraçado anda por aqui aos tombos.
Por um lado até que é interessante mas dá-me "nojo"... a palavra pode parecer demasiado forte mas é o que sinto em relação a algumas destas pessoas.
É engraçado sem ter graça nenhuma, como tanta gente medíocre conseguiu chegar tão longe...  Gente poucochinha igual a muitos políticos actuais...

Ainda não o terminei. Falta-me o Hitler e as tontas que o adoraram.

segunda-feira, 9 de junho de 2014

Quando tudo começa a quebrar... alguém me dê paciência!

Primeiro foi um cano... e não se consegue encontrar a ruptura. Já fez demasiados estragos!
Para o canalizador e o pedreiro se coordenarem tem sido... estiveram cá há mais de um mês, o problema não ficou resolvido, voltam daqui a uns dias e duvido que a coisa fique ok. Quando acharem o furo, começam as pinturas!

Depois foi o esquentador.

No sábado assassinei o assento da sanita.

O motor da arca congeladora começou a fazer um barulho esquisito...

Ontem, um dos lençóis preferidos do marido começaram a rasgar e o homem está desgostoso porque o algodão é macio, macio! Finalmente rasgaram! Estão muitos novinhos guardados à espera de vez.

Ontem disse à minha irmã que vou mudar-me temporariamente para casa dela! Eh, eh! Tadinha dela! Começo a ficar pelos cabelos.

Hoje então, estou intratável! Ninguém merece ter que aturar-me assim! Até o cão me vira costas!

domingo, 8 de junho de 2014

Manjerico... manjerico...

Sempre que chegava Junho, a minha avó paterna trazia para casa, um ou dois vasos de manjericos.
Era sinal, para mim e para a minha irmã, que se aproximavam aquelas 3 noites especiais em que se faziam fogueiras de alecrim seco.
Santo António. São João. São Pedro.
Na véspera de cada um destes dias, bem à noitinha, acendia-se a fogueira que pulávamos em sequências de nove saltinhos de cada vez. Pulava-se muito. Ria-se muito. E faziamos os jogos dos tempos em que a minha mãe, a minha avó e a minha bisa eram jovens e solteiras.
A minha bisa partiu, a minha avó adoeceu e nós fomos perdendo o gosto. A última vez que acendemos uma fogueira de Santo António, se não me falha a memória, foi há uns doze anos...
E quando a minha avó partiu, nunca mais ninguém comprou manjericos.
A minha mãe assa as sardinhas e faz a salada tão bem como a minha avó fazia mas manjericos nunca mais se compraram.

Até que há uns dois dias vejo, numa florista, um tabuleiro cheio de manjericos. Nem pensei duas vezes. Pedi ao marido que fosse comprar um.
E aqui está ele.  Um manjerico um nadinha diferente dos da minha avó. Os dela tinham uma quadra na bandeirinha, este tem a bandeira portuguesa e não é tão perfumado como os outros.
Mas o que conta é a intenção. Os manjericos voltaram à minha vida. Agora só falta a fogueira.

Ainda nem tem o vasinho de barro como eu gosto e a foto foi tirada contra-luz...




sábado, 7 de junho de 2014

Nem me lembrava que dia 10 é feriado...

Dia de Portugal.

Preciso de vitaminas para os miolos.
Burra e esquecida! A minha cabeça está um mimo!

Momento inesquecivel

Aquele em que vais meio a dormir à casa de banho... te sentas tão à bruta na sanita que partes o assento e quase te estatelas no chão...


segunda-feira, 2 de junho de 2014

Tenho vezes que não entendo os homens

"- Ai que estou tão cansado! Mal consigo ter os olhos abertos..."

Cansado para umas coisas porque para o computador...


Adenda: e nestas coisas sou rancorosa. Muito. Não esqueço com facilidade. Tenho pena.

Tenho de ganhar o Euromilhões

Tenho dois projectos em mente para os quais preciso de uns quatro milhões de euros.
Um é de apoio social e o outro tem como objectivo sustentar-se a si próprio e ao outro.
Quatro milhões chegam.

Tenho de me lembrar é de jogar!

domingo, 1 de junho de 2014

Relação difícil

Com os shoppings.
 Ainda pior se for a um domingo!

Cookies, grande treta...

A trepar paredes por causa desta porcaria! E não adianta removê-los. Por exemplo, a partir do momento em que os removo já não consigo abrir o blogue. Se faço compras on-line, lá estão a porcaria dos cookies. Dizem que os cookies ajudam os sites a fornecer um melhor serviço e se não os aceitamos não podemos navegar na página!

Tenho comprado roupas de bebé em lojas on-line. Não são para mim. São para oferecer. São artigos em que tenho um interesse pontual. Abri a página da loja, escolhi, paguei, fechei página mas na verdade a minha incursão pelas roupas de bebé não ficou por ali... é que abra as páginas que abrir, em que haja publicidade, lá estão elas escarrapachadas!

Procuro um determinado hotel e a partir desse momento sou inundada por hotéis...

Meus senhores, se acham que é por me inundarem o computador com interesses pontuais que me fazem gastar dinheiro... então podem tirar o cavalinho da chuva!

Sorte a minha que não comprei nada para a despedida de solteira da minha amiga, numa sexshop online. Aí é que era bonito usar este computador!


sábado, 31 de maio de 2014

Ai Se Ele Cai


A insónia a dar em força

Se há boa noite para se ter uma insónia, é mesmo na véspera de um casamento. Houve ali uma altura em que pensei que nem o melhor corrector de olheiras me salvaria o dia. Melhor ainda é estar no cabeleireiro e fazerem-nos uma massagem na cocuruto! Juro que senti o sono a vir galopante!
Cabelo arranjado em menos de uma hora e ainda me queriam maquilhar... nã, muito obrigada porque se me sento ali para me pintarem nem com um balde de água gelada vocês me acordam!
Em casa, volta a adrenalina, pintura bem feita (das olheiras nem sinal!), almoça-se nas calmas, veste-se a farpela e arranca-se para a igreja.

Casamento cinco estrelas. Quase quarenta e oito horas sem dormir... haja insónias...

quinta-feira, 29 de maio de 2014

De noite insónias, de dia perdida de sono...

Casas antigas

Sou uma apaixonada por casas antigas. Antigas mas de bom gosto. Com uma traça bonita e caracteristica da região. Casas com história. Com vivência nas paredes.
Se me derem a escolher entre uma casa nova e uma antiga recuperada, nem hesito...  e vem isto agora à baila porque acabei de ver uma, recuperada, para arrendar a uns quilómetros aqui de casa, numa terrinha que adoro... poxa, pá!

quarta-feira, 28 de maio de 2014

Quem sai aos seus não degenera

Quando o marido me diz "Calminha contigo, preciso de dormir...", é sinal que tenho de meter travões e dar descanso ao homem.
Oh, céus! Já não se fazem homens como antigamente!

Mesmo na mouche

Bela altura para o esquentador dar o berro!
É o que mais me apetece fazer... estoirar dinheiro.
Se escolher uma máquina de lavar foi uma dor de cabeça, escolher um esquentador vai ser de ... grrrr!

segunda-feira, 26 de maio de 2014

Oráculo

Tenho um na família.
Tem mais de 90 anos e tudo o que tem dito acerca da política e dos políticos tem vindo a realizar-se.
Mais cego é quem não quer ver.

A extrema-direita na França

Ganha terreno a galope!

Como, minha gente? Onde têm os franceses a cabeça?
M-e-d-o.

sexta-feira, 23 de maio de 2014

Boca de chocalho

Afinal confrontei a sogra.

Não me parece que tenha servido de grande coisa, aposto... vai continuar assim mais uns meses...

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Meias

Mas é que nem que a vaca tussa vou calçar meias no casamento!
Só se vai ver o pezinho e nem pensar em andar com ataques de comichão nas coxas por causa de meias!

Com o caraças! Tá um frio... mas meias, não.

Quando eles gostam de nos oferecer lingerie

A minha loja de lingerie preferida foi à vida. Quero dizer, fechou portas! Mais uma que a crise levou.
Não é que eu lá fosse mas ia o marido. E trazia coisas lindas que me deixavam a bater palminhas.
Agora até que ele descubra uma outra loja onde goste de ir, é vê-lo a olhar de lado para as desasadas que o atendem.

É impressão minha ou há muita mulher recalcada por aí? Umas porque são mal casadas, outras porque são divorciadas, outras porque os namorados só sabem é comprar cerveja! Outras que acham que homens que compram lingerie são uns "coninhas"! E depois ainda dizem que os homens é que são machistas! Há mulheres que nem pra elas são! Credo!

quarta-feira, 21 de maio de 2014

A sogra

A minha sogra anda numa fase má.

Mal disposta quando ela é brincalhona.
Cáustica quando é simpática.
Nem para o seu hobby tem paciência.
Esquisita. Quezilenta.

A minha sogra é aquele tipo de pessoa que vai tirar um nódulo da mama e não diz nada a ninguém mas está sempre presente quando precisamos dela.
Conheço-a há 17 anos e não me lembro de alguma vez a ter visto assim. Um dia mau todos têm mas isto dura há uns cinco meses.

Desconfio qual seja a causa mas não a confronto.
O tempo dirá se tenho razão.


terça-feira, 20 de maio de 2014

Carlos Santana

"A religião organizada é uma distração.
A espiritualidade é água, a religião é a Coca-Cola e a Pepsi-Cola."

Muito bem dito. Penso exactamente como ele.

O Ministério da Saúde e o Código de Ética

Metem nojo! Querem calar os médicos, meus paspalhos? Querem esconder à força a merda que aí vai dentro?

Nojentos de merda!

Hoje estou virada! Não me puxem pela língua.

Raça do tempo! Mais um alerta amarelo!

Ai eu!
Ai eu!
Ai eu!

Isto sou eu a imitar o meu cunhado! É só umbigo, raio do homem! lol Assim como o São Pedro que se está a borrifar pra gente!

Dinheiro pelo cano... quase!

Antes de sair de casa tirei uma nota da carteira e meti-a no bolso das calças.
Fui à minha vida e quando regresso a casa vinha aflitinha. Fui directa ao wc.
No fim despejo o autoclismo e ao puxar as calças para cima, eis que me salta a nota do bolso e aterra dentro da sanita!
- Não, isto não pode ter acontecido...
Fecho os olhos, abro os olhos e a nota lá continua. Meio dentro de água, meio colada na loiça! Ai ca nojo! A sanita estava limpa mas aquilo é coisa que nunca está verdadeiramente limpa!
Apanhei-a? Eu não.
- Maridoooooo!
 Ele tem estômago de ferro, eu é que sou uma cagadinha! Estou com o TPM, tenho desculpa!
A nota? Foi passada por água muitas vezes e agora está ali a secar no estendal. Blhac!

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Mezinhas

Enfiar-me num bom banho quente enquanto o marido faz uma bela duma canja.
Quem há-de dizer que uma boa canja cura as dores da alma e as maleitas do corpo? É um consolo!

Desenterrar os mortos

Acordei completamente influenciada por um sonho.
Desatino quando isto acontece.
Sonhos que deixam uma pessoa completamente destabilizada. Sonhos demasiado realistas. Cheiros, sons, tudo! Sonhos que mostram uma outra perspectiva. Sonhos que não tendo nada de desagradáveis só empatam... acho eu.

Hoje estou oficiamente deprimida.
Juntou-se tudo. TPM, o sonho, um vento estúpido que faz dores de cabeça, o sol está tímido e a temperatura tá uma c*c*!

A minha mana só me complica a vida

Não chegava ter cá em casa duas fatiotas em aberto para o tal casamento. Não, não chegava.
- Olha lá estas calças tão giras! E já viste como ficam bem com os sapatinhos da mãe? E são mesmo o teu tamanho!
E lá vieram as calças.

A escolha vai depender do mood do dia.

Mandioca e mandioquinha

Alguém me explica porque se encontra mandioca facilmente mas mandioquinha nem sinal?
Então importamos de tudo um pouco e a boa da mandioquinha que preciso para fazer um pão, nem vê-la?

domingo, 18 de maio de 2014

Ração para cão

O Sasha mudou hoje de ração.
Com o cheiro que está a sair, há umas duas horas consecutivas, do seu traseiro, desconfio seriamente do que os fabricantes usam para a fazer.

O cão parece estar podre e o saco da ração custa os olhos da cara!

Escaldão no rabo?

Nem no rabo, nem em lado nenhum.

Apesar do sol, esteve um vento mais frio que sei lá o quê! Só dentro do carro é que se estava bem!
Não apanhei sol e tou mais murcha que uma passa de uva... quem raio há-de dizer que para estar bem humorada, preciso de sol quente e luminoso?

Arrrrr burro!

sábado, 17 de maio de 2014

S. Pedro não te atrevas!

Então que raio de conversa é esta, de irem baixar uns 5º?

Querem lá ver que vou ripar frio?
Já estou a ver este casamento de esguelha!

sexta-feira, 16 de maio de 2014

Quando a bota não bate com a perdigota

Tenho ali um vestido mesmo giro para o casamento e tenho umas chinelas elegantes mas muito confortáveis ainda por estrear mas... não combinam! Nem lá perto.

E agora:
- Compro sapatos novos? (mas ando a namorar uns da minha mãe... têm uns 33 anos mas são lindos e intemporais!)
ou
- Compro mais um vestido?

Isto é chato. Chato. Chato. Detesto gastar dinheiro em roupa.
Agora dava-me jeito ser uma daquelas mulheres que adoram comprar roupas e sapatos!  Só por 24 horas.
Blanhc.

Barriga

O casamento vai calhar naquela altura do mês em que vou estar inchada que nem uma grávida de cinco meses.
Não estou com vontade de gastar dinheiro numa cinta mas... tenho ali uma de apoio lombar, recomendada pela fisioterapeuta que cumpre perfeitamente o objectivo, se a apertar um bocadinho mais do que é costume.
Fico com uma cinturinha de fazer inveja!

Ó raios e depois como me sento?

quinta-feira, 15 de maio de 2014

As Despedidas de solteira e as púdicas

No jantar de aniversário de uma amiga, oferecemos-lhe uma camisola de noite linda, linda. Daquelas sexys, sem serem ordinaronas que o namorado é um bocadinho (estou a fazer de conta que acredito!) pró conservador.
Uma das presentes, grita: "C'orror, deram-lhe um espera-maridos!" - e mais algumas queridas presentes concordaram agitadas.
Raios, nem parecem mulheres casadas e com filhos!

Agora, essa amiga vai casar. Não posso ir à despedida-de-solteira mas das duas, uma:
- ou, vai ser uma pasmaceira de morte;
- ou, alguém sai de lá com taquicardia!

quarta-feira, 14 de maio de 2014

Abençoado marido

Que me alimenta a gula!

Mesmo murchinho por causa do Benfica!

Solidão na velhice só porque se é teimoso e inconsciente

Deus, quantas vezes me pergunto porque me diz ela consecutivamente que está só, que se sente só, que está triste e infeliz, se depois demonstra sem qualquer pudor que prefere a companhia de outros? Ela quer-nos só para fazer companhia enquanto os outros não chegam. Os que inventam trabalho para não irem ter com ela demasiado cedo e ela mesmo sabendo disso, arranja sempre desculpas. Coitadinhos que trabalham tanto, coitadinhos que fazem mais que tanto. Coitadinhos que são perfeitos!  Pelo Amor de Deus, tenham piedade de mim!
Mas tenho cara de burra ou quê? Tenho cara de masoquista, é?
Ofereci-me para deixar a minha casa e ir viver com ela. Cada uma na sua casa que privacidade é coisa que se respeita e gosta naquele lado. Nunca estaria sozinha. O marido olhou-me de esguelha e franziu o nariz. Não por mudar de casa mas por saber das preferências dela. Viver com uma pessoa que assume naturalmente, como o acto de respirar, que outros são os preferidos não é o ideal de convivência, pois não?
A nossa presença nunca é suficiente, tem de haver a outra em simultâneo mas depois queixa-se a toda a hora que não aparecemos.  E quando estamos juntas, critica, critica, critica. É verdade, não somos perfeitos. Tolice a minha.

Não gosto da solidão. Nunca soube o que é solidão. Ninguém tem de viver assim quando tem família mas o que é demais, é demais. Ela própria se condena à solidão.
Tenho amor próprio mas também tenho consciência e não quero que ela me pese neste aspecto. Não foi assim que me educaram, não foi isso que vi na casa dos meus pais e dos meus avós. A família sempre em primeiro lugar.

As horas hoje correm e eu só oiço na minha cabeça "Solidão, Solidão, Solidão". É martelada atrás de martelada e hoje tudo pesa. Sinto cada vez mais que falta algo. Que começa a faltar tudo.
Hoje é um mau dia.

domingo, 11 de maio de 2014

sábado, 10 de maio de 2014

Caras (que me são estranhas)

Sustos! Perplexidade.
Não por serem feias ou bonitas mas por serem diferentes, tão diferentes das caras que outrora me foram tão familiares.
Muitos dos meus amigos de infância simplesmente desapareceram da minha vida. É normal. Objectivos de vida diferentes, diferentes ambições e vai que as pessoas mudam e vai que as pessoas desaparecem das nossas vidas.

Ultimamente tenho vindo a reencontrar algumas no facebook. Tenho uma amiga que diz que se em determinada altura essas pessoas sairam das nossas vidas sem olhar para trás é porque não estavam destinadas a fazer parte do nosso dia-a-dia, logo para quê tentar reencontrá-las agora?
Eu não sou tão radical. Gosto de saber o que é feito delas, sem me imiscuir. Eu não esqueço facilmente.

Ultimamente, tenho tido sustos atrás de sustos. É que se há pessoas que as feições continuam iguaizinhas, outras há que não as reconheço. Podiam passar por mim na rua e se não me falassem... sim, eu sou das que tem a mesma cara desde sempre... eu não as reconhecia.

Perfeitos estranhos. E dou por mim a questionar-me: Como é possível as feições mudarem tanto? Em que nem o olhar reconhecemos...

Mézinha para dormir bem?


Tudo menos ver a série Sobrenatural antes de dormir!

Há quatro anos que não lhe pegava.
Recomecei a ver há duas noites e tenho tido umas noites tão descansadas... eh,eh! Quero dizer, faço de conta que sim!
Deixo de ver? Claro que não! rsrs

sexta-feira, 9 de maio de 2014

Muda de pêlo... a primeira do ano pró labrador cá de casa

Estamos a dar em doidos!
Aspire a casa as vezes que aspirar, limpe os móveis as vezes que limpar, há sempre pêlos por todo o lado!
O Sasha está na muda do pêlo. Agora está a mudar para a fatiota de Verão. Até que o processo esteja concluido, não há limpeza que mantenha esta casa em condições.
Temos pêlos para dar e vender mas tê-lo na rua está fora de questão! São demasiados os amigos do alheio e não queremos um desgosto. O Sasha é um cão de casa. Dorme onde quer, na sala, num dos sofás no Inverno, ao lado da nossa cama assim que as temperaturas sobem.
É um labrador demasiado agarrado ao meu marido mas não há nada a fazer quanto a isso. É uma adoração, é um carinho... Quer colo... pois é, um cão com mais de quarenta quilos que dorme no colo do dono!
Todas as manhãs quando vou à casa de banho, ele vai comigo... imagem bonita de se ver (not)... eu na sanita e ele sentado à minha frente para ser escovado. É assim que ele gosta. Às vezes são duas vezes ao dia! Ah, já me esquecia... e limpar as orelhas que este cão é sensível e precisa dos ouvidos bem limpos!

Estamos a dar em doidos mas é por opção!

Coisas boas

Não dá para ver mas estou com um sorriso de orelha a orelha! Ando assim há dias! Mas não sou só eu, não! O cachorro deitado aqui aos meus pés, no fresquinho do chão, delira sempre que nos ouve dizer que vamos à praia. E vem de lá, estoiradinho, tal e qual como uma criança!

Já há alguns anos que não fazia tanta praia no mês de Maio! Desde o fim de Abril que os dias e as noites têm estado invulgarmente quentes!
Calorzinho bom, constante! Parece Verão! Cheira a Verão e a Primavera, assim tudo misturado!

quarta-feira, 7 de maio de 2014

quarta-feira, 30 de abril de 2014

O Desmame vai ser bonito... ai vai, vai!

Três semanas consecutivas com um feriado, em dia útil, em cada uma delas.
Para quem tem os chamados horários normais, é o suficiente para alterar os hábitos!
A próxima semana vai ser looooonga!

terça-feira, 29 de abril de 2014

Processador lento

Estou tão cansada que nem falar consigo!
Sai tudo trocado!
Isto de três horas mal dormidas, seguidas de doze horas de trabalho intensivo... tou velha!

Eu sou tão maldosa!

Hoje um dos meus cunhados esbardalhou-se todo ao salvar um gato de ser morto por quatro cães.
O gatinho ficou um bocado mal tratado, deixa ver se amanhã já está mais calmo e deixa ser visto. É incrivel o que cães de caça fazem assim que se apanham soltos!

Não fosse o contexto da situação e eu tinha rido a bom rir!
O que eu não dava pra ver o meu cunhado de patas pro'ar! Ia castigar um dos cães e catrapumba que se enrolou nos próprios pés!

Oh, pá! É demais! O esforço que faço para não rir! Oh, pá!

Pobre gato! Pronto, assim passa-me logo a vontade de rir...

Rabo quadrado

Foram quase doze horas sentada.
Já não posso ver papéis e computadores à frente.


Montanha russa

A sério?
Só de fralda!

segunda-feira, 28 de abril de 2014

Quando o pincel é quem manda

Sai-lhes a sorte grande!
Gostam de molhar o pincel, não gostam de gabardines e depois berram aos sete ventos que uma flausina lhes estragou a vida com o mais velho esquema da história!

- Parabéns, meu grande idiota! Tens um filho para criar!

O que a mãe dela deve estar a rir!

Palmadas em falta

Há por aí muito homem feito, a quem todas as palmadas a que foi poupado na adolescência, foi do pior que lhe podiam ter feito.
Meninos da mamã! Sempre habituados à papinha feita, ao rabinho lavado com água de rosas, aos problemas do dia-a-dia resolvidos pelos pais!

Já dizia a minha avó: "Todas as que caem ao chão, são perdidas"!

sexta-feira, 25 de abril de 2014

Perfil falso

Uma alminha, não muito inteligente, deu-se ao trabalho de criar um perfil falso só para que a aceitasse no facebook. Um nome vulgar, ausência de foto e nada de informação pessoal. Página criada há meia dúzia de dias.
Pobre alminha. imagino a decepção de se ver ignorada...

quinta-feira, 24 de abril de 2014

A quem da sua competência

Estou a levar uma sova das hormonas!
Não sei se chore ou se ri.

Maldito TPM.

Bichos da seda

Algo me diz que vou arranjar um casal ou dois e dar ao meu sobrinho.
Está na hora.

Dose de veneno

Os meus lindos cabelos quase a eriçarem-se.
Os lindos cabelos da namorada do meu mano, a darem sinais de electricidade estática!

Olhamos uma para a outra em agonia.

Festas de anos de putos.
Tantos putos.
Tantos guinchos.

Alguém nos acuda!

quarta-feira, 23 de abril de 2014

terça-feira, 22 de abril de 2014

Da inveja

Digo que é coisa mui feia.
Não falo de inveja do dinheiro. Da casa. Do carro. Para essa tou-me borrifando!

Falo daquele que cobiça o Amor dos próximos. Daquele que por causa da dor de cotovelo, diz disparates do tamanho do mundo. Feio. Muito feio.
Cada vez mais, te tenho menos respeito.

sábado, 19 de abril de 2014

Agora vamos lá a uma conversa muito séria

Quem é que mandou baixar as temperaturas? Ah?
Quem é que mandou vir esta ventania que uma pessoa só não perde a cabeça porque anatomicamente ela está presa ao corpo?!
Quem?

A esbardalhar-me é que eu me entendo...

... com a calçada escorregadia.

Oh, figuras tristes!
Um sapato um nadinha esfolado, as calças meio esverdeadas e eu a rir que nem uma perdida, sentada no chão, à espera que me passasse o ataque de riso.

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Os feriados à sexta enrolam-me toda

A sexta que parece sábado.
Sábado vai parecer domingo.
E no domingo, a cena vai ser muito esquisita, porque vou pensar que é segunda.

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Recambiada para o tanque

Até parece que vou lavar roupa... agora por isso, há quantos anos não lavo roupa à mão num tanque? Já nem me lembro...

Diz a Senhora Doutora... raios, como eu gosto daquela médica! Ainda me lembro de como lhe torci o nariz ao inicio mas afinal revelou-se uma pessoa e uma profissional 5 estrelas!... bem, diz a Sra. Dra. que a fisioterapia entra em stand-by. Agora é piscina. Piscina, piscina, toda a piscina que eu quiser. Daqui a uns meses ou quando eu achar necessário, só tenho de ligar e regresso à fisio.

Na brincadeira, lá fui avisando que um dia destes mudo-me para um sítio qualquer, onde haja mar por perto e as temperaturas nunca sejam inferiores a 20 graus o ano inteiro! 

Um dia vai ser o dia mas por agora e nos próximos meses: Piscina de água quente.

Por aqui já se fazem apostas

Aquando do meu aniversário, o fofo do meu sobrinho ofereceu-me um pequeno ramo de flores.
Margaridas rosa escuro, cravos rosa claro (andei eu a resistir à vontade de comprar cravos, pra quê?) e lírios brancos.
Com o passar do tempo tudo foi murchando como é natural. Nada de aditivos na água, apenas trocava a água de x em x dias mas ao fim de um mês ainda havia um cravo e com mais de um mês resiste um pé de margaridas.

Gostava de saber que produtos metem eles agora nas flores.

segunda-feira, 14 de abril de 2014

E para quem perguntou o porquê de tanto radicalismo

Só digo uma coisa:

- Se hoje estou viva, tenho que agradecer a um anjo-da-guarda canino.

Não me compreendem? Paciência!

Mas sei que não tolero gente que maltrata e mata animais.
Abomino.
Desejo-lhes os piores dos sofrimentos.

Tolerância 0.

Esta notícia revirou-me o estômago.

Achava-me eu uma arejada das ideias

mas depois levo um susto de ressuscitar um morto quando vejo fotos de um CERTO empresário, a beijar uma miuda (leia-se mulher) de vinte e alguns anos que eu vi crescer. Estão juntos. Juntos?

MEDO
Nojo
E outras tantas...

domingo, 13 de abril de 2014

Não pareço, sou...

Uma parvinha.
Passei o dia a encostar portas e a pedir ao Sasha para as abrir. E assim que ele as abre, faço uma festa! Palmas, gritinhos, um sem fim de parvoíces mas agastava-me ter um cão que não sabia lidar com as portas!

Sou uma parola, eu sei!

Finalmente perdeu o medo

Ao fim de dois anos e sete meses, o tonto do Sasha abriu a primeira porta encostada.
Nunca tinha tido um cão que não abrisse portas.

sábado, 12 de abril de 2014

Gula estúpida

Quando te apetecer comer churros, espera ao menos que eles arrefeçam um pouco!
Agora aguenta as consequências!

quinta-feira, 10 de abril de 2014

Amoras brancas

Ainda não estamos no tempo delas, por isso fui buscar a foto à net.

Sonhei com amoras brancas.
Sonhei que olhava para cima e só via ramagens com amoras brancas maduras, ali ao alcance de um braço esticado.
Que felicidade!

Eu não gosto, Amo amoras brancas, suculentas e doces.

É curioso o conforto que certos sonhos nos dão!

E já é tão raro encontrar amoreiras brancas. Tenho de plantar uma, está visto... dificil vai ser encontrar o local certo.

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Esquizofrenia...

... nos pés!
Ontem de manhã cedo saí de casa com botins.
Vai que ontem, a temperatura chegou aos 27 graus e se quanto à roupa dá para tirar casacos, já em em relação ao calçado... que giro que era ver a cara das pessoas se lhes aparecesse descalça!
O pior de tudo é que já estava a dar em doida com o calor nos pés! O desconforto era tal que me custava formular um discurso coerente. Só pensava em água. Em meter os pés dentro de água.
Assim que pude, liguei ao marido e pedinchei uns chinelos. Salva pelo homem.

Agora digam-me lá: Como é que há alminhas que conseguem usar botas com calor?

terça-feira, 1 de abril de 2014

Então? Ninguém fecha a torneira?

Há horas que chove sem interrupção!

Olha lá, pagam-se bem!

Apanhei uma conversa num restaurante que me deixou de antenas no ar.

Uma senhora, na mesa ao meu lado, contava à amiga que tinha ido a uma médium porreiraça. Disse ela que foi uma boa hora e meia de conversa, em que ouviu o que não pediu e ouviu o que pediu. No final da "consulta" pagou 60 euros e veio de lá abismada com certas coisas e incrédula com outras! Previsões de ossos partidos e operações a isto e aquilo, penso eu e pareceu-me que ela também, não têm muita piada. Não lhe tentaram vender a banha da cobra, o que até foi bom sinal, nem tentaram vender-lhe mais consultas.


Mas, 60 euros? E sem recibo, hein! Quando saiu, havia pessoas na sala de espera.

Também contou a senhora que uma certa médium muito conhecida e que dá na televisão todos os dias (que eu saiba há duas mas ela não disse o nome, logo fiquei em águas de bacalhau na minha cusquice!), até tem assistentes que ligam a quem já a consultou "só" para "lembrar" que podem fazer certos tratamentos e que se aceitarem têm desconto! Isto é que é!

Isto é que é facturar. Aí está uma profissão com futuro! Se uma cobra 60 euros e a outra até tem assistentes, imaginem o que este pessoal não ganha!

Abriram as torneiras do céu

Olha como chove!
Até dá sono...

segunda-feira, 31 de março de 2014

terça-feira, 25 de março de 2014

segunda-feira, 24 de março de 2014

Memória curta ou ignorância

Medo.
É o que sinto quando vejo os partidos de extrema-direita a ganharem terreno nas eleições, em países outrora ocupados pelos nazis.

domingo, 23 de março de 2014

Shame on me

Ao fim de dois dias apercebo-me que afinal a pessoa a quem tenho chamado Ventura, chama-se na verdade Boaventura.

Que vergonha! Acho que vou dizer que sou dura de ouvido!