quarta-feira, 29 de maio de 2013

E quando metemos os ovos todos no mesmo cesto...

... arriscamo-nos a ficar sem nenhum.
Mais de dois dias sem telefone, televisão e internet devido a uma avaria.
Valeram-me os telemóveis estarem noutro operador. Aliás, quando nos pressionaram para juntar os telemóveis ao pacote e nós recusamos, foi exactamente por este motivo. Em caso de avaria ficariamos completamente apeados.
Só espero que a próxima factura traga um desconto ou rodamos a baiana!

terça-feira, 28 de maio de 2013

Prestes a queimar os fusíveis

Ando a sonhar com tamanha intensidade (e parvoíce também) que temo pelos meus fusíveis!
Se não tiver rapidamente uma noite de sono em condições... ai, ai! Ai, ai!

sábado, 25 de maio de 2013

Matar não é para mim

Na minha família sempre se criou e matou animais para consumo da casa.
Até há poucos anos e por estranho que isto hoje me soe, eu adorava ajudar os meus avós a depenar os frangos e gostava do ritual da matança do porco.
Não sei o que se passou comigo mas actualmente se tivesse que matar para comer, estava tramada!
O pior é que isto está a agravar-se.
Há dias fui abrir umas amêijoas para o jantar e na hora de as meter no tacho foi o bonito, foi. Já há tempos tive a infeliz ideia de comprar sapateiras vivas e na hora de lhes enfiar o vinagre na boca, só eu sei o que custou.

Hoje é dia de caracolada na casa da mãe e quem já cozinhou os bichinhos, sabe que aquilo dá muito trabalho.  Mil e uma lavagens, muita escolha e quando estão no tacho também tem de se mudar a água... depois são os bichinhos a tentar fugir da água quando esta começa a ferver e aí toca de se meter a tampa em cima... e pronto, já estou cheia de ansiedade e a sentir a agonia da bicharada.
Acho que só lá vou aparecer quando souber que já estão cozinhados!
Sorry, mammy! Vais estar por tua conta!

Midsomer Murders

Descobri esta série inglesa quando estive de descanso forçado.
E viciei.
Quando preciso de descomprimir, injecto um episódio de Midsomer Murders. Adoro as paisagens. Tudo tão bucólico e tão bem preservado. Odeio o clima britânico mas sou uma apaixonada confessa pelas paisagens e pela arquitectura (a antiga, esclareça-se!).
A série existe desde 1997 e já vai na décima sexta temporada. Há duas temporadas mudaram a personagem principal e como ainda vou na décima primeira, estou a fazer render o peixe porque não sei como vou reagir ao novo personagem/actor. É que há coisas que são como o ditado diz: Não há amor como o primeiro!

sexta-feira, 24 de maio de 2013

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Cota

A minha mana postou no facebook que estava com desejos de sushi.
Comentei que era uma excelente ideia.
Alguém pensou logo em marcar um jantar.
Quando disse que preferia comer em casa, chamaram-me cota e disseram-me que não sabia o que era aventura.
Ora, se cá em casa se cozinha quase de tudo e é tudo, muito, muito bom, porque iria eu gastar dinheiro num restaurante?
E se para algumas pessoas o simples acto de ir ao restaurante de sempre é sinónimo de aventura, então tenho pena delas.
Aqui, vamos a restaurantes que tenham comida igual ou melhor que a nossa.
Aqui, vamos a restaurantes quando precisamos de descanso dos tachos.
Para nós é uma aventura ir a um restaurante se for para comer algo completamente divinal ou algo que nunca provámos.
Não me venham dizer que sou velha só porque valorizo e tiro prazer do que tenho em casa!
E meus amigos, um dia destes abro as portas cá de casa e começo a cobrar o jantar... depois logo vemos que é a cota e pouco aventureira!

Agora já vai tarde

Aquando da escolha das minhas alianças, apaixonei-me por umas que vi numa revista de noivas. Sóbrias, sólidas e personalizadas.
Corremos tudo o que eram ourivesarias no Algarve e nada. Uma das ourivesarias disse que mandava fazer, que ficariam iguais às da revista. Foi um susto, foi o que foi. A quinze dias do casamento chegam as alianças e eram uma pobreza! Eram uma pequena amostra das da revista. Recusei-me a ficar com elas.
Telefonei para o contacto que estava na revista e o local mais próximo onde podíamos comprar era em Lisboa. E foi de Lisboa que vieram.
O que não me passou pela cabeça ao escolher aquele tipo de aliança, era que se o dedinho engordasse só um bocadinho que fosse, a aliança não poderia ser alargada.
E agora estamos assim. De dedinho ao léu, à espera de perder uns quilinhos!
Sim, que o marido já disse que não se compram alianças novas. Que me sirva de incentivo à dieta!

domingo, 19 de maio de 2013

Estou que não me aguento

Em vez de lanchar uma peça de fruta e um iogurte, achei melhor aproveitar o toucinho frito que sobrou das favas do almoço. Enfardei de tal maneira que nem consegui jantar, tal foi o fastio com que fiquei. São quase três da manhã e se continuar assim não sei a que horas me conseguirei deitar.
Tudo o que é demais não presta.

E depois ainda me admiro que as pessoas pensem que estou grávida!

sexta-feira, 17 de maio de 2013

O meu cão é uma vergonha para os Labradores


No Largo da Igreja da bela Querença, estão umas vaquinhas a pastar. Umas mais exóticas que outras mas uma coisa é certa: o Sasha odeia as vaquinhas.
Ladrou desalmadamente!
O Sasha ladra a tudo o que seja estátua! Estúpido, muito estúpido!






quinta-feira, 16 de maio de 2013

Quando se é a última a saber

Entra-me o homem casa a dentro, vindo da casa da mãe, com cara de poucos amigos (de meter medo, mesmo) e diz:
- Temos de ter uma conversinha... então, estás grávida?!? Toda a gente sabe, até o meu tio F. e eu sou o ÚLTIMO a saber?

E eu que ía panicando com a cara de mau do homem, quando percebi a palhaçada, desfiz-me em gargalhadas!
Rebolámos à gargalhada!
Parece que uma das nossas vizinhas encontrou o tio do meu marido e resolveu dar a boa nova.

E agora quem vai decepcionar a minha vizinha? Tadinha da senhora! Quando a encontrar tenho de agradecer por me dar a boa nova!

Isto só me vem lembrar de uma coisa que não tenho andado a levar a sério:

Cortar na Boca!

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Regresso revoltado

A bem dizer, é isto:
- Na última massa de frio polar que lambeu Portugal, apanhei uma gripalhada fulminante que em meia dúzia de horas, fiquei de patas para o ar!

Agora que me sinto nos trinques, oiço que vem aí outra massa ranhosa... de frio! FRIO!

Recuso-me a meter o edredon.

Já chega, pá!

quinta-feira, 2 de maio de 2013

quarta-feira, 1 de maio de 2013