sábado, 31 de dezembro de 2011

Adeus 2011

Não me deixas saudades.
Vai e leva contigo todo o azar.
Que o 2012 venha cheio de Saúde e Boa Sorte!
Isto de passar o Natal e o Fim de Ano num hospital é uma treta! Valha-nos a internet que nos permite estar on-line com a família!
Entra 2012.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Natal neste hotel 5 estrelas?

Desde sábado à tarde que estou internada no hospital. 
Causa: fractura da tíbia direita.
Agora percebo a inquietação dos dias anteriores.
Mais uma vez, só não acerto nos números do euromilhões!
Que coisa, pá!
Portanto, os próximos dias vão ser chatinhos! Muito chatinhos!
Até por aqui...

sábado, 24 de dezembro de 2011

Yann Tiersen: Comptine d'un autre été: l'après-midi



Adoro.

E olha o que encontrei...

Este Natal também é meu!
E só assim é que faz sentido.
E já agora, no futuro quando me oferecer para fazer doces, mandem-me ter juízo!
Ouviste, miúda?

Olha aí, há tanto tempo que não te sentia!

Depois de uma torta de claras, um tronco de Natal, bolachas de chocolate e um bolo de bolacha, acabei a noite estatelada no chão da cozinha! Entre acertar num banco ou pisar uma das gatinhas, fiquei-me assim pelo meio... não acertei no banco mas também não pisei a gata... sentei-me no chão.
Amanhã é que vão ser elas!

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Neste Natal

O que interessa acima de tudo, é termos quem amamos à nossa volta.
Não há dinheiro que colmate a falta de alguém.
Por isso, olhemos para o que mais interessa: Os Nossos.
O resto são cantigas e ilusões.

Um Feliz e Santo Natal!

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Há os babyblog e agora há o puppyblog! lolol

Asneirei e à grande!

Já tenho idade para saber que cães na cama, não é boa ideia.
Pois mas não tenho estado a aplicar a experiência.
Ontem deitei-me tardíssimo e quando fui para a cama já o marido dormia.
O Sasha foi comigo até ao quarto e lambidelas à parte, saltou-me para a cama. Deitou-se no meio dos dois.
Não podendo falar alto, comecei a mandá-lo para a cama. Qual quê! Orelhas moucas! Não me ligou nenhuma!
Muito quietinho, muito aconchegado. Mesmo falando baixinho acordei o marido. Quando viu quem estava deitado ao lado dele, mandou-me uma rosnadela (o marido, não o cão!) e tapou a cabeça.
De manhã levantou-se e levou-o para a cama dele. O Sasha como quem não quer a coisa, retirou os protectores dos sofás. Levou umas palmadas e dormiu o resto do tempo na cama dele.
Já sei, mea culpa.

Mais um motivo para sorrir

A partir de hoje os dias começam a crescer!

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Um motivo para sorrir

Mal o meu marido se levanta da cama para ir trabalhar, o Sasha (é este o nome da peste) deita-se no lugar dele.
Na primeira vez, não dei por nada. A cama é grande e o rapaz sabendo que o que estava a fazer era proibido, deitou-se longe e bastante quieto. Só dei por ele porque o telefone tocou e quando me tentei virar para o apanhar na mesa de cabeceira, senti o edredon preso. Achei aquilo estranho e voilá, lá estava o rapaz. Deitado tal e qual como uma pessoa e com a cabeça na almofada!
No dia a seguir repetiu. Chateei-me com ele e mandei-o sair. Vingou-se. Quando entrei na sala, eram almofadas e mantinhas por todo o lado! Nem foi preciso dar-lhe umas palmadas. Bastou um tom de voz mais alto. Tremia todo. Sabe que faz asneira mas acho que não consegue resistir.
Desde esse dia, não voltei a pô-lo fora da cama. Deita-se ao meu lado, não estraga nada e dorme até que me levanto!
O resto do tempo dorme na cama dele, logo, se só vai para a nossa cama quando fico sozinha é porque me quer fazer companhia e sabe que não suporto o frio! lolol
Pois sim, está bem está! Faz de conta!

sábado, 17 de dezembro de 2011

Podia ter sido escrito por mim

Li algures o seguinte e não identificavam o autor mas este pequeno texto resume, infelizmente, este pequeno país à beira mar plantado:

"Quando você perceber que para produzir precisa ter a autorização de quem não produz nada,
 Quando comprovar que o dinheiro flui para quem negoceia, não com bens mas com favores;
 Quando perceber que muitos ficam ricos pelo suborno e pela influência, mais que pelo trabalho e que as leis    não nos protegem deles, pelo contrário são eles que estão protegidos de você;
Quando perceber que a corrupção é recompensada e a honestidade converte-se em auto-sacríficio:
Então poderá afirmar sem temor de errar que a sua sociedade está condenada."

Pronto, postei. Assim, a seco! Nem li. Pumba!

Faltam 7 dias

E aquela pica toda que tinha há dias pelo Natal, sumiu-se.
Nem um terço das compras tenho feitas e a vontade de as fazer não é nenhuma.
Cada euro que gasto faz-me pensar se não virei a precisar dele nos tempos que se avizinham.
Estou com este país pelos cabelos! E quando digo "país" estou a referir-me a quem nos governou e a quem nos governa. Tantos podres que ninguém extermina.
E eu que disse a mim própria não escrever sobre isto durante este mês. Afinal, o que interessa é que a família está toda junta. Mas ver tanta gente a passar necessidades por causa de um monte de ignóbeis e saber que ainda vai piorar, dá-me náuseas e dores de cabeças constantes.
E estou aqui vai-que-não-vai quase a apagar isto tudo mas ...

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Já alguma vez disse que o meu mano é lindo, lindo?

Um borracho?
Não?
Coisa mai linda!

Gentinha

Por causa deste post em que concordo plenamente com a Dina, posso dizer que há uma coisa que detesto ainda mais.
Gentinha.
Gentinha que diz amén a tudo, que são sempre sorrisos e a simpatia personificada para toda a gente. São uns amores. Conquistam todos e são sempre bem vistos. Depois vai-se a ver e falam horrores por trás. Trabalhei com dois exemplares desses. As maiores víboras que já conheci.
Não suporto. Urticária aguda!

domingo, 11 de dezembro de 2011

Mas que bem... as coisas que se diz... será que vai cair em si e pedir desculpa? Não foi comigo e tou aqui com as orelhas a ferver!

Ups! Já me esquecia do tio!

Voltando ao meu tio...
Antes de casar, fez obras na casa dos pais e redecorou-a quase toda.
Faz mil e uma coisas ao mesmo tempo.
Tem um emprego extremamente bom, sim... emprego (aquilo é trabalho que não cansa) e quando sai de lá vira agricultor. Pega no tractor, arranja tubagens de rega e apanha fruta. Sabe construir estufas enormes, à maneira antiga, em madeira. Adora jardinagem.
Já foi político mas viu ciganice a mais e saiu.
Não descansa um dia na semana. Uma canseira para quem o rodeia!
É pedreiro e pintor. E electricista também!

Cozinha e é muito meticuloso se tiver de limpar alguma coisa.
Ufa! Mais alguma coisa?
Sim! É teimoso como uma mula, ciumento, possessivo, é um pai galinha, é guloso mas não sai da linha...
Mais?
Sim. Já teve um cancro e passou pelo processo todo sem contar a ninguém. Sempre que se ausentava para fazer tratamentos ou exames, ia supostamente em viagens de trabalho...
Logo, homens perfeitos não existem mas há alguns que nascem com uma estrelinha extra. Que fazem com que tudo pareça fácil! Demasiado fácil!

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Pai Natal, estamos a inovar!

O meu sobrinho pediu ao Pai Natal uma cozinha. Já lhe expliquei que não é verdadeira, que é só de brincar e ele diz que sim, que quer. Vamos ver se não vai ser como com o computador, que tendo dois para a idade dele, só quer e usa o da mãe! Estes miúdos estão muito à frente. Aprendem a uma velocidade que me deixa assombrada!
Também quer um martelo e uma chave de fendas.
Mas parece que a cozinha é que não pode faltar. Ouviste, Pai Natal?

Haja paciência

Tão caladinho, tão caladinho, deu nisto: uma das mantinhas de sofá foi personalizada by Mr. S.
Dois buracos bem redondos no meio. Agora é puxar pela imaginação e tapar os buracos. Não dizem que as mantas de retalhos estão na moda?
Então, vamos sorrir, sim?

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Três! Três!

Botijas de água bem quente e nem assim!
Se os pés continuarem gelados, chamo o S. para a cama.
(Que inveja tenho daquele cachorro, é um forno!)

domingo, 4 de dezembro de 2011

Homens "apuradinhos"?

A pessoas são cabeçudas, não são? Digo isto por causa das reacções que vi à reportagem da SIC acerca dos homens a dias.
Isto de um homem tratar por tu as lides caseiras, faz comichão na cabeça de muita gente.
Quase que arrisco a dizer que os apelidam logo de maricas ou como uma colega minha dizia: "Uns coninhas"
Não conheço pessoalmente nenhum (homem a dias) mas tenho na família algumas referências que me permitem dizer e defender que há homens que são o máximo.
Não vou falar do meu marido, que me arruma a um canto, ali no fogão e que fazendo falta, faz as compras para casa, lava roupa, passa a ferro, limpa e aspira. Casa de banho e limpar sapatos, é que não são com ele! Não seria um excelente homem a dias mas mulher que tivesse as aptidões dele de certeza que não se queixava.
Depois tenho o supro sumo. Um homem que até hoje ainda não conheci nenhum como ele.
O meu tio.
Temos menos de vinte anos de diferença.
Bonito, muito inteligente, muito elegante, extremamente bem educado. Muito bem casado com uma mulher que quase lhe chega aos calcanhares e pai da minha espectacular prima. Ui!!! Tanta baba.
Voltemos lá ao tio...
Quando era miúda comprava-me roupas magníficas. Quando conheceu a minha tia, começou a desenhar roupas que depois a mãe dela me fazia. Dava-me explicações de matemática... por telefone porque tínhamos 250Km entre nós, o que me permitiu estar sempre uns passos à frente do resto da turma. Tirava-me fotografias super giras. Comprou-me livros de gente grande quando ainda só tinha 10 anos. Ensinou-me a maquilhar. A utilizar as cores que me favoreciam.
(continua ...)

domingo, 27 de novembro de 2011

E por causa do episódio das batatas...

... lembrei-me de uma história que uma das minhas bisavós me contava em pequena, sempre que me via franzir o nariz à comida!

(Começamos mal. Esqueci-me do nome do sujeito! Não interessa...)
Pois contava a minha bisa que uma senhora mandou o filho, ir no burro fazer um recado. Para o almoço do rapaz arranjou uma mão cheia de figos secos que meteu num lenço. Os tempos eram duros e a fome grassava no país. Mandou-o ter cuidado, não perder tempo pelo caminho. Abreviando: ser ligeirinho.
O gaiato em vez de se montar no burro, resolveu ir a pé. O burro à frente, ele atrás.
Quando achou serem horas de almoçar, sacou do lenço que levava no bolso. E lá iam eles. O burro sempre à frente e ele atrás. De vez em quando vinha-lhe à mão um figo que ele achava estar bichoso.  Prontamente o atirava ao cu do burro. Figo sim, figo não... cu do burro! Depressa se acabaram os figos.
Chegado ao destino, carregou o burro com o que a mãe tinha encomendado e meteu-se a caminho de regresso a casa.
Nem a meio ía quando lhe começa a roncar a barriga.  Uns metros mais à frente, já arrependido de ter mandriado pelo percurso, vê um figo no chão. Era um dos bichosos. Ainda passou por ele mas rápido voltou atrás para o apanhar. Esfregou-o na manga da camisola, soprou-o para lhe tirar restos de pó e comeu-o. E lá continuaram eles. O burro à frente e ele atrás. E de quando em quando, um figo bichoso no caminho.
Apanhou-os a todos e apesar de já terem roçado pelo cu do jumento, o rapazola comeu-os. Todos. Não desperdiçou nenhum.

sábado, 26 de novembro de 2011

E quando pensava que o meu jeito para cozinhar se tinha esfumado, faço umas bolachas de aveia espectaculares!

Toma aí, marido!

O que a fome não faz...

Tive um dia de trabalho, já lá vai uma semana, em que fui para o escritório ainda não eram 8 da manhã e saí de lá passava das 21h30. Foi daqueles dias intensos em que se evita quebrar o ritmo porque temos um prazo à frente do nariz. Parei para almoçar. Em trinta minutos fui à comida de plástico. Sobraram umas batatas fritas.
Ora, ao fim da tarde já a barriga reclamava. A reserva de barrinhas e similares já tinham acabado.
E com a barriga vazia os miolos ficam lentos. Que fiz eu? (Nem digo o que já gozaram comigo...)
Fui ao carro, peguei no saco do almoço que estava já arrumadinho para deitar no lixo e joguei-me à dúzia de batatas que sobraram do almoço!
Credo! Até sabiam a cartão!

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

E o que eu não dava agora por um bolinho de aipim? Aiiii!

Coisas que ninguém gosta de ouvir

-Fui ali "ao coiso e tal" e comprei 2m de corda.
E nós a olhar para o colega sem perceber como enfiava ele uma corda na conversa que estavamos a ter.
-Sim! Quando acabar o dinheiro, ponho-a à volta do pescoço e acaba-se tudo.
Raios! Só me apetece dizer palavrões!

Do dia para a noite

Saio de manhã, regresso à noite.
Olho para Ele e noto-o mais crescido!
Até os bigodes estão a mudar!
Que terá a ração? Fermento?

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

E é isto

Dois carregadores de telemóvel, lombadas de três livros e um casaco de malha (quentinho como tudo e praticamente novo!), já arderam.
Quero dizer, arder não arderam. Foram roídos.

terça-feira, 22 de novembro de 2011

All I Want For Christmas Is You


Ainda Dezembro não chegou e já me cheira a Natal!
Hum, hum!
Já estou como o meu sobrinho que só quer ver filmes de Natal! lolol

domingo, 20 de novembro de 2011

Ah! E mais uma...

E se depois de um bom banho de chuva, tiveres a sorte de ir para um lugar que tenha lareira, é a cereja no topo do bolo!
Ficas tão cheirosa! Do melhor perfume que pode haver!
(Lenha molhada? Mas que vos passa pela cabeça? Fumo?!)

Medidas anti-crise? A chuva ajuda!

Três cordas de roupa sequinha, em menos de 5 minutos ficou encharcada.
Entre o escritório e o carro, coisa assim de 10 passos, desaba um pé de água, a ponto de me deixar como uma esfregona engelhada.
Lições a tirar:
- Não gastar detergente, água e luz com a roupa suja. É pendurar na corda e esperar que chova!
- Tomar duche para quê? Assim que começar a chover vai para a rua. Vestida ainda é melhor. São dois em um!
Poupas tempo e és amiga do ambiente!
(A garganta já começou a dar sinais de concordar comigo.)
Furiosa. Muito.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Raios que já não aguento dores!

Podia desfiar aqui uma série de palavrões mas ficava feio.
Eram dores nas costas, na barriga... mas nas rótulas? Que as dores menstruais se façam sentir nas costas e barriga é óbvio mas nas rótulas? Rótulas? Um dia destes até o cabelo me há-de doer!
E à conta desta treta não governei vida! (Agora parecia a minha avó que isto é mal de família. Saltou uma geração mas é de família!)
Dispensava.

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

António Lobo Antunes

Gosto do senhor, porque sim, porque gosto.
Gosto daquela secura e dureza rude (superficiais para mim).
Gosto mais das suas crónicas, do que dos livros porque são leituras diferentes.
Dá-me muito trabalho ler um livro dele. Não é uma leitura descontraída. Cansa-me. Ginastica-me demasiado os neurónios. É uma leitura que me dá luta, em que volto atrás, leio e releio, até pensar que percebi (tá bem, tá!) determinados parágrafos.
Com as crónicas, a coisa é diferente. Ali, quase preto no branco, vogais e consoantes, bem escarrapachadas que fluem com clareza. E gosto, gosto, gosto muito.
Há poucos dias esteve em Faro, na livraria Pátio das Letras para apresentar o seu último livro e apesar de desafiada por um dos cunhados, não fui ao evento.
Sou assim. Gosto de mantê-los à distância. Que o diga o marido que não se coíbe de contar a toda a gente que não o deixei cumprimentar o Eusébio (e pedir um autógrafo!).
Que querem? Sou assim.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

E o S. já reage ao nome!!

Finalmente. Quase que moí o juízo ao marido, tantas foram as vezes que lhe disse que o cachorro não gostava do nome!

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

E com isto me vou deitar

Uma pessoa que não me conhece, disse-me duas coisas:
- Ponho o trabalho acima de tudo.
- A maternidade (ou falta dela) nunca me preocupou muito.

E mais uma vez, pergunto: Como se pára uma bola de neve?
Como dizer, a quem não entendeu há seis anos e continua a não entender: Não quero mais. Cansei. Preciso de uma vida, a minha vida.

Resumindo: meti-me na boca do lobo e sabe-se lá quanto tempo vou levar a conseguir sair.

domingo, 6 de novembro de 2011

Equívoco

Pensava que tinha um cão mas enganei-me.
É um aspirador... de comida.
Se o aspirador cá de casa engolisse o pó à velocidade que o S. come a ração, o chão ficava limpo em segundos!

sábado, 5 de novembro de 2011

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Gelados em Querença - Algarve

Há umas semanas fomos até Querença.
Terra simpática e muito castiça.
Deu fominha e como sabíamos que havia alguém na zona que fazia gelados caseiros e vendia, começamos a procurar.
À primeira pergunta disseram-nos logo o caminho! Fica no sítio do Pombal. Não foi difícil de encontrar, apesar de não estar nada sinalizado. (Quem tem boca vai a Roma!) E é numa casa normal que encontramos a Geladaria Ramos. A senhora é uma simpatia!
Tem sabores normais mas depois tem os de alfarroba, amêndoa e figo e pinhão que são uma delícia. Adorei o de amêndoa e figo. Babei!
Esquerda: Alfarroba                Direita: Amêndoa com figo e Pinhão
                               

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

S.

Esta é a peste.
Ainda não consegui tirar uma foto decente, pois o rapaz não aguenta um segundo quieto!

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Coincidências estranhas

Apesar da ausência do B. continuar a ser muito sentida e muito sinceramente eu não estar preparada para arranjar outro cachorro, o mesmo não se passou com o meu marido. Quero dizer, para ele foi ainda mais complicado. Eles tinham uma relação muito especial. Uma adoração. Os dias posteriores à morte foram passados a tentar perceber onde falharamos. Sempre foi muito saudável e não compreendíamos, não aceitávamos. 
Por experiência sabia que a melhor maneira de superar seria com outro cachorro. Mas entre o saber e o estar preparada, vai uma grande distância.
Até que ele me diz que contactou uns criadores de labradores. A preparar tudo para daqui a uns meses. Lá para a Primavera.
Não gosto de raças puras e ir a um canil seria o ideal. Também sei que não conseguimos entrar num canil. Mas até à Primavera, tinha eu esperanças que aparecesse alguém com notícias de cachorros para dar. Há sempre, excepto quando se precisa. Mas também pensava eu que ia ser só para a Primavera.
Em meados de Setembro disse-me que tinha nascido uma ninhada.
Percebi tudo. E aceitei. Pois que havia eu de fazer?
Fomos convidados a ir conhecer a ninhada. Ele foi com a mãe porque eu não podia ir. Passadas duas semanas fomos escolher. Depois era só aguardar o telefonema para o ir buscar.
Agora quanto às coincidências estranhas...
O B. morreu no dia 27 de Agosto.
O dia para ir conhecer a ninhada, calhou sem darmos logo por isso, a 27 de Setembro.
Veio para casa a 27 de Outubro.
Estranho?

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Reflexão

Já pararam para pensar na relação saúde - profissão que se desempenha?
Há dias conheci uma pessoa com sessenta anos ou mais, que tinha o branco dos olhos amarelo esverdeado.
Deve haver ali problema grave mas tomando em conta o feitio da pessoa e o trabalho que faz, se quisesse brincar dizia que tem o veneno do trabalho todo nos olhos!
Mas agora a sério, quantas vezes não nos cruzamos com pessoas que são tão aceleradas que até nos deixam indispostas? E depois há aquelas que são tão calmas ao falar que nos transmitem logo uma sensação de tranquilidade? Agora imaginemos alguém com um feitio mauzinho e que tem um trabalho daqueles ruinzinhos. Passado alguns anos, deve reflectir-se na saúde, da mesma maneira que uma má alimentação tem as suas consequências. Aí está um estudo que gostava de fazer.

domingo, 30 de outubro de 2011

Mudança de hora

Sou mais produtiva à tarde e à noite mas não gosto desta mudança da hora.
Não gosto que às 17 horas comece a escurecer. 
Preciso de luz. Luz. Sol. Calor.
Agora era o momento certo para ir viver cinco ou seis meses para o hemisfério sul!

Pequeno traquinas

Como todos os pestinhas, a dormir parece um anjinho.

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Casa em obras?

Parece mas não está.
Cartões a proteger móveis, pernas de cadeiras enfaixadas, jornais no chão. Protecções nos sofás e na cama.
Temos um novo habitante em casa e a casa está interdita a visitas nos próximos dois meses.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Cinzentona como o tempo

Hoje fui acordada com más notícias.
Eram notícias que já esperava mas que vão influenciar a vida de umas dezenas de famílias e por isso custa sempre ouvir o que já prevíamos há algum tempo.
Todos sabemos que é o início do fim.
Muita gente não tem noção da real dimensão da crise que aí está. É inevitável não falar dela.
Todos os dias oiço lamentos. Todos os dias oiço queixas. Todos os dias sinto a descrença das pessoas. Que somos roubados por quem tem a obrigação de nos proteger. Que a "chulice" de quem está à frente de determinados organismos é tanta que não há nada a fazer para recuperar o país porque "eles" vão sempre continuar nos seus postos e são corruptos.
Todos os santos dias sinto a revolta. Ninguém acredita num futuro crescimento económico. Não acreditam numa melhoria. Todos os dias sei de um cliente ou fornecedor que pede a insolvência.
E quando a bola de neve começa a rolar, então sabemos que mais dia, menos dia, vamos ser apanhados na avalanche.
E por muita fé que se tenha e que se saiba que o que se perde hoje podemos ganhar amanhã, é tramado, muito tramado, engolir tudo.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Eu avisei que o ventinho estava para lá de forte mas ninguém me ouviu!

Roubar à descarada

Antes de escrever o que me está a revoltar as entranhas, vou falar primeiro com a DECO.
Se for possível irem-nos assim à carteira, então estamos bem tramados!
Começo a ficar cansada deste país. É só burocracia, oportunistas a cada esquina, braghhhh! Ando com os nervos à flor da pele e quando vejo certas coisas, só me apetece bater em alguém! Pergunto-me como deixamos que nos façam isto? Como? Não vivemos num país de terceiro mundo, pois não?
Não me lembro quem disse mas li algures que vivemos numa aparente democracia... e já fiquei mal disposta com a conversa.
Vou dormir.
Se conseguir!

Vento, ventania

Má noite para se sair de casa.
Saí para ir à farmácia e até o carro abanava!
Se de manhã estiver assim, terei de atar um tijolo a cada pé!
Este tempo... nem oito, nem oitenta!

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Seal - Secret (Feat. Heidi Klum) (Official Music Video)

Esquisitices?

Parece que é muito esquisito dormir só de cueca.
Um homem pode dormir só de boxers e ninguém pia!
Agora, mulheres sem camisa de dormir ou pijama? 
Coisa anormal. 
"Só de cueca? Credo, não me digas! Não tens medo que te entrem em casa? Ou que te aconteça algo a dormir e tenham de chamar o INEM? Que haja um incêndio ou sismo, e tenhas de sair de casa sem teres tempo para te vestires?"
É pá! Fogo, já não vou conseguir dormir esta noite! lol

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Já disse que preciso de perder 5 Kg?

Dizer já disse muitas vezes, o problema é fazer!
Fechar a boca ao que faz mal, é só o que preciso. Só ao que faz mal. É o suficiente.

Pior a emenda...

Dois dias (!!!!) inteirinhos para descansar.
Até saí do Algarve não fosse cair em tentação.
Afinal, voltei mais cansada...
Puf!

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

O resultado de tanta gula nos últimos tempos?

Triglicéridos no limite elevado.
Doces e refrigerantes? Finito.

Fátima

Sou católica por herança. A típica católica não praticante.
No fundo sou uma mescla de algumas religiões, o que não é bem aceite pela Igreja mas eu também não vejo com bons olhos, certas convicções do Vaticano. Estamos quites.
Ponho os pés numa igreja, duas ou três vezes por ano. (E depende muito do padre!)
Mas admito... gosto da Procissão das velas em Fátima.
Como em todos os eventos onde se juntam multidões, sente-se uma onda de energia contagiante.
Aliás, o santuário é um local óptimo para reflectir. Esteja ele vazio ou a abarrotar! Transmite-me paz, serenidade, esperança.

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Dinamarca - Portugal

Comentário do marido:

"Tanta loucura com o Ronaldo (Cristiano) e ele não faz nenhum."

A minha resposta:

"Se ele ganhasse na Selecção, o que lhe pagam no Real Madrid, aplicava-se mais!"

Jogo ruinzinho!

Faltam 20 minutos e estamos a perder! (Cof! Cof! Eu não disse nada, nem estou a escrever nada. Não é necessário alimentar, ainda mais, a decepção do homem!)

domingo, 9 de outubro de 2011

O difícil que é, saber manter algo em Segredo

E lá chegou o dia de "conhecer" (ser apresentada) à minha futura cunhada.
Um segredo que julgavam muito bem guardado mas que toda a gente já conhecia.
Quase um ano e até hoje eles nunca perceberam que todos nós sabíamos.
Afinal, quem é melhor a guardar segredo? Nós ou eles?

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

OCULOS DE SOL!!!



Quando tinha quatro anos era doidinha por esta musica! Vá-se lá perceber a loucura!
Há pouco quando encontrei este vídeo no You Tube, comecei espontaneamente a cantar. É que a letra continua quase toda sabida! O nosso cérebro é uma caixinha de surpresas!
A Lolita fez questão de me acompanhar com umas miadelas um pouco (muito) esganiçadas. Nem consigo imaginar a angústia que lhe estava a causar! Ou canto muito mal (por algum motivo não me aceitaram no coro de Natal da catequese) ou ela entende o quanto bera é a letra da musica.

A minha sogra é a minha desgraça

Mandou-me um tupperware cheio de ... brigadeiros!
E logo eu que não gostava, até comer dos dela!
É que babo... literalmente!

Do que me fui lembrar (raio de insónia!)

Tive um namorado que quando bebia um copinho a mais, virava o disco e tocava sempre o mesmo:
És feliz?
Diz lá, és feliz?
Mas diz lá... és mesmo feliz?
E pronto, com tanta insegurança tava-se mesmo a ver como iria terminar a história!

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Um dia destes ponho uma placa na porta do meu gabinete...

CONFESSIONÁRIO.
Assim tornamos a coisa oficial.
Mas arranjem outros temas. A CRISE já chateia.
Falem da comida preferida do gato, das cores das cuecas da vizinha, do namorado do irmão da catequista...

domingo, 2 de outubro de 2011

É Dia

Hoje o dia é nosso.
Meu e Teu.
Há doze anos, foi nosso e de mais quase três centenas de pessoas.

Se isto não é amor, não sei o que será

Na sexta chego a casa e tinhas o jantarinho feito.
Favas com toucinho e chouriça.
Eu adoro. Tu odeias.
Teres o trabalho de fazer comida que não comes, só porque eu gosto, é comum.
São as favas, o xarém, as iscas, a mousse de limão e o bolo de bolacha!
E sai tudo divinal! Não provas nada mas fica tudo no ponto!

"Relógio" adiantado

Acordar (sempre) minutos antes do despertador tocar, não tem maldita piada!

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Ela está mais que certa!

Colega nova

Lá no trabalho temos colega nova.
Levantou-se um grande burburinho quando a viram pela primeira vez. Uma das colegas até se levantou de um salto e correu pelas salas.
Tanto barulho, não sei para quê.
A nova, é gira mas tem uma pele macilenta, é pequenina e não pesca nada de trabalho.
Ontem, antes de sair, fui deixar uns papéis numa secretária e lá estava ela. Dedicada como tudo! Pespegada em cima de um monitor.
Há quem tenha pirilampos mágicos, nós temos uma osguinha!
E não há quem a consiga apanhar! Houvesse mosquitos e a rapariga vingava!
O que eu ri ontem! E não foi da osga!

sábado, 24 de setembro de 2011

Donas da casa

Estas donzelas são as donas cá de casa.
São malucas pelo meu marido e só não me ignoram quando lhes interessa que as deixe passar da zona delas para a nossa, onde só podem estar enquanto nós estivermos.
São umas "falsas calmas" e só estão sossegadas enquanto estamos por perto. Se ficarem sozinhas viram a casa do avesso e não há flor ou planta que lhes resista.
São muito independentes e estou desconfiada que a da esquerda é bipolar. É que só pode! lol
D. Lolita e D. Mascarinha, na sua cama favorita.

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Rico Mofo

Voltamos aos tempos dos meus bisavós.
Um cliente pagou com um monte de notas mofentas. (Nem quero imaginar onde esteve guardado!)
Era idoso? Neps!
Já não confia nos bancos!
Quantas vezes já ouvi isto?
Que bonita que estou!
Então não é que acordei com o nariz esfolado?

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

(E mais uma) Acerca de camas

A maior onde dormi, foi num hotel do Rio de Janeiro.
Acordei a meio da noite. Escuro como breu. Estremunhada, estico o braço e não encontro o meu homem. Procuro uma luz que não encontro. Senti-me perdida. Quase, quase a chamar por ele (figuras tristes!), lá me lembrei de onde estava e como a cama era imensa. Depois de muito me arrastar lá encontrei o marido (que normalmente acorda no sítio onde se deita, ao contrário de mim que viro e reviro) numa das pontas.
Isto de tamanhos, é como tudo, nem oito nem oitenta!

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Sabedoria?

A minha avó paterna, usava duas expressões de que me tenho lembrado muito ultimamente.
Uma era: "Maria vai com as outras"
A outra: "Na carreira do cegos"
A vida da maior parte das pessoas que conheço resume-se a isto.
A minha também.
Quero mudar? 
Quero mas não consigo.
O "sistema" não permite.
Antes de nos queixarmos dos nossos males, devíamos pensar noutras realidades. Mas com os males dos outros, podem todos muitos bem! 
Somos tão fúteis, tão superficiais, tão pobres no meio da tanta riqueza!
Escravos duma aparente liberdade.

Coisa boas

O cheiro do amanhecer.
Revigorante.

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Mimos do pequeno

Há pouco, combinava com o meu irmão, ir ter com ele amanhã, para almoçarmos juntos.
O nosso sobrinho que nos estava a ouvir, perguntou logo:
- E eu?
- Tu tens escolinha! Vais connosco, no sábado, ok?
Três anos e já quer alinhar nas almoçaradas dos tios.

domingo, 18 de setembro de 2011

Grande mas baixa. Ok. Já percebi!

A minha (nossa) cama é grande.
Não é uma king size mas é grande o suficiente.
Tenho um homem grande e quente. No Inverno é a minha salvação mas no Verão pode ser uma tortura!
Quando a encomendamos isso foi tomado em consideração.
Sempre gostei de camas muito altas mas dizia-me o vendedor que não, não podia ser. Com aquele modelo não havia nada a fazer. E lá veio uma cama com um tamanho super confortável mas que me chega aos joelhos.
Há dias, não sei como... estava a dormir como hei-de saber?... resvalei e a sorte é que foi um pé ao chão. Isso impediu-me de acabar de cair! Fiquei meio fora, meio dentro.
Tivesse isto acontecido na cama de solteira e tinha-me partido toda!

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Acerca do post ali em baixo, pois que parece que nos safamos.
Ora que uma colega vai quinze dias de férias, adoece mas não interrompe as férias. O médico de família não lhe passou a baixa.
Regressa ao trabalho e comunica a toda os colegas que pode ter tuberculose. 
Começaram todos a torcer o nariz. Afinal, todos estivemos em contacto com ela nos últimos tempos. Nós e mais umas centenas de pessoas que a rapariga tem uma vida social muito activa!
Parece que na primeira consulta fez uma radiografia. Dava para ver que havia infecção. O médico diz que há grandes probabilidades de ser tuberculose, receita-lhe um xarope normal para a tosse (?), manda fazer recolha de expectoração para análise, marcaram-lhe consulta com outro médico, para nove dias mais tarde... e vai para casa, sem baixa. Mandam as amostras para Lisboa. Quinze dias para ter uma resposta. 
Tomamos diversos cuidados no local de trabalho. 
Vai à tal consulta, não a atendem porque como o computador não funcionava, não dava para ver o Raio-X. Regressa novamente ao trabalho. Cinco dias depois vai novamente a outra consulta. É atendida. Não havia computador,  o médico lá resolve mandar fazer o teste tuberculínico.
Como não havia enfermeira e não estava dentro do horário, o teste só foi feito três dias depois. Deu positivo mas não era conclusivo.
Dias depois, nova consulta. Do resultado das análises nem sinal. 
O médico lá lhe prescreveu uma bateria de medicamentos, estes sim para a tuberculose. Mesmo não havendo certezas, disse ele que era o que deveria ter sido feito logo no inicio. Ah, pois! Devia mas não foi feito!
Ontem, continuava a não se saber o resultado das análises feitas há mais de vinte dias. 
Hoje, ela começou a bombardear o centro de saúde com telefonemas. A maior parte ninguém os atendia. Dizem que a central está avariada.  Até que finalmente lá atenderam e em vez de a despacharem com uma desculpa parva, lá disseram que sim, já tinham os resultados. 
Negativo. 
Suspiramos todos de alívio. 
Confirmam que há infecção mas não sabem o que é. Parece que a amostra vai manter-se no laboratório pois pode vir ainda a acusar alguma coisa nos próximos dias. Tuberculose dizem que não é de certeza!  Ela está pelos cabelos.
Amanhã vai novamente a outra consulta. Isto é, se houver computador...
E por aqui fico... sem mais comentários... não vale a pena.

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Incompetência ou negligência?

Ainda estou a tentar perceber qual o adjectivo que me melhor se adequa ao que estou a passar.
Se a culpa é dos profissionais ou do sistema.
E como estou furiosa, vou esperar mais 18 horas, antes de começar a mandar vir, sei lá com quem!
Pode ser que nessa altura esteja tudo bem.
Mas o computador pode estar avariado e aí ficamos na mesma! Sem saber nada.
Desgraça de país que quer incrementar tanta inovação e tecnologia e depois falha no básico!

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Os Versículos Satânicos de Salman Rushdie

Finalmente, "o" tête-à-tête com este rapaz!
Comprei-o tinha quinze, uma primeira edição. Era fresco, fresquinho, envolto em grande polémica!
Na altura, li pouco mais de meia centena de páginas, era demasiado para mim, não me cativou e foi posto de lado.
Até há uns dias.
Agora a opinião é outra, talvez porque a cultura e a maturidade / idade, também são outras! O tempo livre não é muito, logo vai durar mais do que é costume!
Vai ser desta, vai ser! Escreve aí!

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Mais outra (pérola) do acordo ortográfico

Suprimem-se as consoantes mudas ou não articuladas.
Por exemplo Egipto passa a Egito. Mas eu sempre articulei  "Egipto" com todas as letrinhas! Supostamente seria de manter porque se pronúncia, não é?
Como "Egípcio"que vai continuar a ser egípcio ou néctar!
Quem decidiu esta, pronúncia a palavra diferente de mim, de certeza! Não falamos o mesmo português, tá mais que visto!

domingo, 11 de setembro de 2011

Madeira

Sonhei que tinha apanhado o ferry para a Madeira.
Não era má ideia!
Fogo! Era bem bom!

Complicar para quê?

Uma das principais alterações com o acordo ortográfico são as palavras que se escrevem com maiúsculas / minúsculas.
Ora querem "eles" que se escreva com minúsculas os dias da semana, os meses do ano, os pontos cardeais (excepto as abreviaturas) e as estações do ano mas...
o uso de minúsculas / maiúsculas torna-se facultativo no que toca a títulos de livros, a formas de tratamento, a nomes de áreas do saber, disciplinas, cursos e nos nomes de logradouros públicos, templos ou edifícios.
Até visualizo uma cena:
Um bate boca entre Agosto (podia ser outro qualquer e sim, vou continuar a escrever com maiúscula) e matemática (sim, parece que vou continuar a escrever com minúscula!).
Assim um pouco para o irritado, pergunta Agosto à matemática:
"Que tens tu a mais que podes ser facultativa? Diz lá, hum? Se estiverem contentes contigo és Matemática, se fores uma nódoa passas a "matemática". Eu preste ou não, reduzem-me obrigatoriamente a um agosto!"
Afinal quais foram os critérios para tomar esta decisão? A das minúsculas foi tomada antes do almoço, de barriga a rosnar e a facultativa foi a seguir ao almoço, de pança cheia, aconchegada por um belo de um café? Não era mais fácil tornar facultativo para todos? Cada um escrevia consoante a inspiração do momento e estava resolvida a coisa!

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Tanto trabalhinho

Nem tenho sabido para onde me virar!
Tanto mas tanto trabalho. Tanto que até me esqueço de comer (mas parece que engordei um nadinha, culpa do marido que me enche o congelador de gelados!).
Isto de chegar a casa, jantar e deixar-me dormir no sofá, não tem jeito nenhum!
Precisa-se de fim-de-semana! Corrijo! Preciso do domingo. Sábado não conta, não dá para dormir!
Descanso precisa-se. Urgente!

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Deixa ver

No sábado, num garden center, passei num corredor com vasos de plumerias rubras (ou jasmim-manga, árvore-pagode, dente de leão, há mil e um nomes!).
Conheci as plumerias na Madeira. Raro era o jardim que não tinha uma. Apaixonei-me pelas suas flores! Gosto tanto delas que é a minha foto de perfil aqui no blog.
Não sei que me deu, coisa inteligente não foi certamente e trouxe uma comigo. O Outono vem aí e esta árvore não gosta de frio e geadas.
No caminho para casa, decido que lugar bom para a árvore, é na casa da avó. Aqui no jardim não há espaço e levá-la ali para o pé das oliveiras, não me pareceu bem. Não combinavam.
E lá fui direita à casa da avó. Encarreguei o meu tio de a plantar. Talvez na próxima Primavera. Até lá pode ficar num armazém que também funciona como estufa! Lá é um bom sítio.