sexta-feira, 29 de abril de 2011

Parece que sobrevivi à batalha

E sabe tão bem esta chuva...
E já agora, quem no seu perfeito juízo, entra numa passadeira sem se certificar se vem carro? Hein?? Em duas horas, meteram-se-me à frente cinco pessoas! É que nem olhavam! Iam no passeio e sem sequer olhar, entravam na passadeira. Ao segundo susto, comecei a andar a passo de caracol. E quem ía comigo no carro, ligou o radar anti peões suicidas! 
Irra! Pareciam aluados! (De certeza que não conduzem!)

quinta-feira, 28 de abril de 2011

terça-feira, 26 de abril de 2011

As voltas do destino

E assim, num abrir e fechar de olhos, três pessoas que não se falavam há mais de 17 anos, contactaram-se no último fim-de-semana... assim... espontâneamente... sem nada combinado...
Ui, até me sinto arrepios espinha acima!

sexta-feira, 22 de abril de 2011

Procissão do Senhor Morto

Se não parar de chover, a Procissão vai ser molhada e não vai ter nem metade da gente habitual.
A essa hora vou estar em casa da mãe.
Esta procissão sempre me meteu medo e para ser sincera as últimas vezes que assisti focava-me nos cavalos. As procissões espanholas, essas apavoram-me. (Faz de conta que não escrevi isto!)

Uma Feliz Páscoa!
(Mesmo para quem a Páscoa significa só e só, amêndoas, ovos e folares!)

Procedimentos antigos

Plantam-se as favas, de cada lado das laranjeiras.
Assim, apanham-se, comem-se e vendem-se favas e quando acabam, aproveita-se a planta para adubar o pomar.
Fizemos o mesmo nos olivais mas usando ervilhas. Não chegaram a crescer um palmo. 
Os coelhos bravos comeram tudo. Até os pés das oliveiras, os rapazes tentam trincar! Uma autêntica praga! Já foram avisados que ou tomam tino naquela cabeça e deixam as oliveiras em paz ou vão ser colocadas armadilhas!
Espero que tenham ouvido o aviso e que o levem a sério. É que quem os avisou tem muitos amigos que adoram coelho fritinho com tomatada!
(Aiii!)

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Marido, lamento informar-te

Mas o jantarinho hoje não me convence... snif... esse entrecosto grelhadinho era uma perdição! Mas assado no forno?? Blahhhh!!! Eu sei que tá chover e coiso e tal... e não dá para estar na rua de roda do fogo... pronto, tá bem! Como e calo!

Chove, faz sol, troveja e chove, faz sol, chove granizo, faz sol...

O S. Pedro está mesmo de mau humor!
O Patrão não lhe deu tolerância de ponto!!
E isto para dizer que o Governo não tem pinga de juízo ao decretar a tolerância de ponto para esta tarde. Não chegam os dois feriados de sexta e segunda?? Parece que não! Já agora deviam decretar tolerância para terça de manhã!
E depois há quem fique chocado por uns quantos países membros andarem a jogar-nos em cara que somos uma cambada de chicos espertos que só querem é estar de papo para o ar!

quarta-feira, 20 de abril de 2011

10 METROS

Foi o que percorri debaixo de chuva até ao carro.
Fiquei ensopada e já me joguei às pastlhas da Apropos.
Ficar doente não está nos meus planos.

Parabéns Avó!

Saudades imensas da minha avó. Das gargalhadas dela, dos mimos dela, da comidinha boa, dos folares magníficos, do pão saído do forno e dos caracóis. Maravilha de caracóis!
Saudades da maneira como ela bebia água, de lhe pôr os rolos no cabelo, de a espicaçar com malandrices, de a ver namoriscar o meu avô.
Parabéns, avó!

Mini tornado

Hoje, mal entrei no escritório, corre uma colega para mim (a dos pretchinhos!), toda excitada, a perguntar: "Já sabes, já sabes?"
As maminhas até pulavam! Nem me deu tempo para dizer que não.
"Estava eu ali ao fundo, a Sra. M. estava a limpar a porta e começa tudo a tremer. Ainda pensei que fosse um tremor de terra mas depois vi muita terra no ar... os vidros batiam, os pinheiros estavam dobrados, passou um plástico daquela estufa lá de baixo e a Sra. M. agarrada à porta que não conseguia fechar... olha foi um susto, pensei que íamos todas pelos ares. Deve ter sido um mini tornado!"
A velocidade a que ela falou é que parecia um mini tornado.
Mas a senhora tinha razão. Passou um ventinho tão jeitoso que até aparelhos de ar condicionado e estufas voaram!
Estivesse eu na rua e era mais uma coisinha a voar. Foi sorte, muita sorte! A minha. Até tremo só de pensar!

domingo, 17 de abril de 2011

Na onda do Rei D. Juan Carlos

Não sabíamos mas parece que o meu sobrinho está a aprender a surfar na mesma escola que o rei espanhol!!
Agora está na onda do "Cálhá-tê! Ai! Ai! Ai!" sempre que o meu avô refila com ele. O bisavô adora fazê-lo perder a paciência!
88 versus 3. É lindo de se ver!

sábado, 16 de abril de 2011

Oliveiras

Já disse várias vezes que sou incapaz de viver na cidade. Preciso do cheiro da terra e das árvores.
Quando casei fui viver para a casa onde vivi até aos cinco anos. E é lá que tenho um lindo olival. Fez há dias, três aninhos e logo no seu primeiro ano deu azeitona suficiente para fazer azeite.
Agora está carregadinho de flor!

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Desejos...

Amoras brancas, amoras pretas, uvas, melancia, melão branco, pêssegos, nectarinas, ... deseja-se o Verão. À falta de melhor vamos aos morangos e às laranjas!

terça-feira, 12 de abril de 2011

domingo, 10 de abril de 2011

Preguiça

Está um lindo dia de Verão, sim de Verão, mas não apetece nada sair de casa e ontem prometi ao sobrinho irmos ver os aviões... adora aviões... acho que vamos primeiro comer uns geladinhos! Nham, nham!

Destes...
Duas bolas... uma de merengada, outra de D. Rodrigo... uma perdição!

Heiiiii Touro!!

Há já alguns anos, tinha eu uns vinte e um aninhos, (cof, cof... tou ficando velha!) fui com o meu pai e um amigo a Coruche. Era uma reunião de trabalho, a um domingo. 
Quando lá chegámos seriam umas sete da manhã e tentamos encontrar um local onde comer qualquer coisa. Depois de muita procura, encontramos um café aberto. Foi a primeira vez na minha vida que comi bifanas (excelentes bifanas!) ao pequeno-almoço!
Depois fomos a uma grande propriedade... era lá que estava o objectivo da reunião... uma máquina enorme de terraplanagem... uma motoscraper (muito parecida com a da foto).
Saímos dos carros e fomos a pé até à máquina. A conversa era mais que muita (e sobre tudo e mais alguma coisa) e eu começava a sentir os miolos a torrar! Comecei a afastar-me. Havia alguns sobreiros e como estava muito calor dirigi-me para uma das sombras. Teria andado uns cem metros quando oiço gritar o meu nome. Aquele tipo de gritar que sentimos logo haver problema. Viro-me. Os braços deles apontavam para uma enorme massa negra. Não tive consciência imediata do perigo. Era um touro. Enorme e lindo. Como me dou bem com animais, fiquei ali parada a ver a maravilha de bicho. Mas eles continuaram a gritar e a gesticular. O touro começou a andar na minha direcção. 
"Carro! Carro!" - gritavam eles. E foi aí que aqui a esperteza, se apercebeu que aquele bichinho não era como as simpáticas vacas leiteiras da vizinha! Olho à minha volta e o que estava mais perto de mim era realmente um dos carros. Comecei a despir-me. Tinha um colete vermelho, bem vivo e a última coisa que eu queria era virar-me de costas com um chamariz daqueles. E perninhas para que te quero! Enfiei-me dentro de um BMW azul escuro! O touro levou um tempo jeitoso a desamparar a loja. Andou ali a uns metros, a rondar e eu a rezar para que ele não investisse contra o carro!
Quando se foi embora o pessoal veio ter comigo. Parece que o que o fez vir atrás de mim foi o meu colete vermelho pois ignorou o grupo de homens que estavam junto à máquina. Nas minhas mãos jazia um colete amarrotado de tanta adrenalina.
Ainda hoje me questiono como ninguém se apercebeu do touro a aproximar-se num descampado tão grande!
Mas que era lindo, isso era!

E isto tudo para dizer que sou contra as Touradas. Fazer um animal sofrer para gáudio pessoal está fora de questão. É desumano.

sábado, 9 de abril de 2011

Tão, tão cansada...

E pode haver quem pergunte, como aqui o senhor meu marido, que faço eu agarrada ao computador?
Relaxo, Senhor Meu Marido! Acompanhar a vida dos bloggers que sigo, ajuda. Oh, se ajuda! Ri-se com uns, chora-se com outros e aprende-se um pouco com todos!
A semana tem sido longa e daqui a seis horas e meia vou trabalhar.
Qualquer dia estico o pernil!
Agora vou ali obrigar-me a dormir...

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Já nada é como antigamente

Hoje a meio de uma reunião, o meu telefone pessoal deu sinal. Estava sem som, pego nele, era a minha irmã.
Não atendo. Segundos depois, toca novamente. Não atendo. Nova chamada. Mau... Para insistir tanto... Aproveito uma pausa e mesmo com mais gente na sala ligo para ela.
Era uma urgência... sem grande urgência. 
Há uns meses apareceu uma gatinha na casa da minha mãe. Parecia ter uns dois meses e era muito meiguinha. Foi adoptada de imediato. Ainda não estava há um mês lá em casa e o meu sobrinho atira-a do 1.º andar para o rés-de-chão. Resultado de a ver saltar dos móveis da cozinha! Por sorte o meu pai estava por perto e foram logo buscá-la. A gatinha parecia não se ter magoado. Ao fim de um dia fui convocada para a levar ao veterinário. Tinha a cabeça inchada. O veterinário fez uns exames e nada. Voltou para casa sob observação. Correu tudo bem.
Hoje nova convocação. Saio do trabalho, vou buscar a gata. Chego ao vet. Sintomas?? Um inchaço esquisito na barriga, uns durões nas maminhas. Lá em casa já nos tinhamos questionado se estaria prenha.
"Alguma vez?? Estão malucas? A gatinha não sai de casa! Ainda é tão novinha!" - disse a minha mãe.
O veterinário toca-lhe e a primeira pergunta foi igual à nossa. Agarra nela e faz-lhe uma eco.
Resultado?
Prenha de um mês.
Saio de lá e dou a novidade. Sessenta euros para diagnosticar uma gravidez. Gata fina, hein?
Agora temos uma grávida de risco porque a rapariga é demasiado nova. Corre risco de aborto ou de não conseguir fazer um parto normal.
A minha mãe e a minha irmã ainda não acreditam. Querem esperar para ver. Isto porque já tivemos tantas gatas e nenhuma engravidou com menos de um ano.             
Que dizer? Já nada é como antigamente.
E a minha mãe a pensar que era uma hérnia... pois!

terça-feira, 5 de abril de 2011

Miolos mexidos

É o que acho que está dentro do meu crânio!
A ventania virou a cabeça ao pessoal... tudo a queixar-se com dores de cabeça... tadinhos, somos muito sensíveis!

Dizia eu que seria uma segunda-feira de cortar à faca??

Pior, muito pior.
Já começaram a rolar cabeças...
E eu preciso ser a Suiça... mas não venham agora armarem-se em vítimas...
O circo ainda agora começou. Eu bem queria ficar no público... mas não me pagam para ficar a assistir.
Como é o ditado? "Abril, águas mil"? Pois para mim vai ser: "Abril, chatices mil"!

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Adoro a minha terra...

... mas se o Brasil ficasse a duas horas de avião, já me tinha mudado... mais certo que ossos!
Novembro, Dezembro, Janeiro, Fevereiro e Março... no outro lado do oceano.
Abril, Maio, Junho, Julho, Agosto, Setembro e Outubro... na terra dos Algarves!
Acabavam-se os problemas com o frio!
Mas o marido nem pondera sequer passar mais do que quinze dias longe da família, quanto mais uns meses!! E logo com o Natal pelo meio?? Nem em sonhos!
Eu compreendo mas volto a dizer:
Ficasse o Brasil mais perto...

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Dia das mentiras

Sendo hoje o dia das mentiras quando me contaram do raspanete no escritório, pensei, é óbvio, que era mentira. Não era.
Começaram a chover os telefonemas.
O ambiente na segunda vai ser de cortar à faca.
Odeio maus ambientes. Prejudica toda a gente. Se aquelas pessoas saíssem era tudo tão diferente!

Será que acaba o dia e ninguém me prega uma peta?
É que até agora, nem uma! Nem o pessoal no facebook!
Então??

Tornado

Parece que passou um tornado pelo meu escritório.
Ainda bem que fui trabalhar umas horas no passado sábado. Compensaram-me com um dia completo de folga... hoje.
E ainda bem que não estava lá!. As visadas mereceram mas não gostava nada de ter assistido ao puxão de orelhas...